Mais Receitas

Você consegue usar suas ideias criativas para ganhar dinheiro? Transforme sua habilidade única e seu propósito de vida em resultados épicos.

banner-blog-criativoIdeias criativas para ganhar dinheiro. Quem não quer descobrir a fórmula mágica da fama, do sucesso e da riqueza?

Quem acompanha o Viver de Blog há mais tempo, sabe que eu não acredito em receitas milagrosas para “ganhar dinheiro dormindo”. Ou em, quem sabe,” trabalhar 4 horas por semana e ter uma renda mensal de 30 mil reais”.

Estas são algumas das promessas que pipocam por toda a internet. Vindas de “falsos gurus” ou de conteúdos vazios como ” As 10 dicas incríveis para você ficar rico(a) hoje mesmo.”

Se você espera ler um texto com dicas batidas de ideias criativas para ganhar dinheiro, como vender seus objetos usados na internet, fazer marketing multinível ou como ganhar dinheiro com cliques em anúncios, sinto desapontá-lo(a), mas não vou falar nada disso aqui.

Já existem inúmeros artigos por aí listando todas essas mesmas dicas.

Minha intenção é fazer você descobrir como gerar renda através da sua habilidade única.

E tudo isso usando um recurso muito poderoso que só você tem: sua criatividade.

Eu tenho plena certeza que todo mundo possui uma habilidade única. Por que com você seria diferente?

Assim como também acredito que é possível ganhar dinheiro com praticamente qualquer dom.

Desde que seu talento seja transformado em valor para as outras pessoas, é claro.

Portanto, se você tem um talento, um propósito, uma paixão, mas não sabe como transformá-la em ideias criativas para ganhar dinheiro, continue lendo este artigo.

Nele eu vou falar mais sobre:

Gostou do que vem por ai? Então não deixe de compartilhar com seus amigos para que cada vez mais pessoas tenham ideias criativas para ganhar dinheiro e assim façam do mundo um lugar melhor.

Fazer o que ama ou amar o que faz?

ideias-criativas-01

Podemos dizer que a ideia do trabalho como forma de realização pessoal é um conceito bastante recente.

Porém, pare para pensar, faz muito sentido.

Não há como separar a satisfação no trabalho com a satisfação com a vida de um como um todo.

Ainda mais se pensarmos que é no ou com o trabalho que gastamos, em média, 90 mil horas de nossa vida.

E quando o trabalho, algo a qual dedicamos a maior parte do nosso dia, é causador de insatisfação e falta de motivação pessoal, o dano pode ser bastante grande.

E no entanto, A maioria de nós está acostumada a ver o trabalho como uma obrigação. Como um meio de pagar as contas no final do mês.

E opta por viver de verdade somente nos finais de semana, feriados e férias.

São contadores(as) que gostariam de ser músicos(as). Médicos(as) que na verdade sentem mais prazer em escrever do que exercer a medicina. Ou ainda advogados(as) que usam todo seu tempo livre para pintar, porque essa é a atividade que dá significado à sua vida.

Talvez não seja o seu caso, mas assim como os exemplos acima, muitas pessoas seguem uma carreira “convencional” por acreditarem que esse é o único modo de não morrer de fome.

Porque acreditam que seu hobby, sua verdadeira paixão, muitas vezes de natureza criativa, nunca será uma atividade remunerada.

Eu mesmo quase caí na mesma armadilha.

Cursei a faculdade de Economia praticamente até o final. Mas desisti na hora certa para poder trabalhar com aquilo que realmente considero ser o meu talento. E ganhar dinheiro com blog.

E não me arrependi.

Quando penso na vida que estaria vivendo se tivesse continuado a faculdade e seguido o caminho que eu “deveria” ter seguido, tenho certeza que seria extremamente frustrado.

E que, eventualmente, iria acabar insatisfeito, como tantas outras pessoas que acreditaram que não teriam como juntar o trabalho com propósito.

Descobrir o propósito antes de decidir qual caminho seguir

ideias-criativas-02

Nem todo mundo que se sente insatisfeito com sua vida profissional sabe exatamente a causa dessa sensação.

Você pode até não gostar do que faz e sentir que o caminho que decidiu seguir nada tem a ver com seu propósito de vida.

Porém, ao mesmo tempo, não tem ideia alguma do que poderia fazer para encontrar a realização.

Como eu disse logo na introdução deste artigo, acredito que todos temos pelo menos uma habilidade única.

Você precisa ter algo pelo qual é reconhecido. Por algo que você faz diferente.

Pode ser uma habilidade extra que você traz no seu mercado. Algo que você gosta e onde se destaca.

Nada ainda? Então tente responder algumas dessas perguntas:

  • Quais os momentos da sua vida onde você experimentou a sensação de felicidade?
  • Qual ou quais atividades você realiza sem esforço e sem perceber o tempo passar?
  • Pelo quê você é constantemente elogiado(a)?
  • Quais qualidades você acredita não ter que seriam essenciais para a descoberta ou desenvolvimento do seu propósito?
  • O que você faria na sua vida caso o dinheiro não fosse um problema e o sucesso fosse garantido?
  • O que te impede de fazer o que gosta?

O maior destruidor de sonhos é a existência da crença limitante, seja ela qual for:

  • Acreditar que não pode ter ideias criativas para ganhar dinheiro.
  • Não ser bom(a) o bastante para se destacar no seu mercado de atuação.
  • Achar que não é criativo(a) ou talentoso(a) o bastante.
  • Acreditar que os outros são melhores que você.
  • Crer que para ser bem sucedido(a) precisa seguir o caminho já traçado por seus pais e familiares.
  • Medo de perder a “segurança” provida por seu emprego ao invés de arriscar em algo novo.

Poderia listar muitos outros pensamentos que, infelizmente, atrasam a realização e também o sucesso.

Continuar a acreditar em todas essas mentiras de quem não quer que você saia da caixa, só trará mais e mais sentimentos de culpa, tristeza e depressão.

Se você ainda assim acha que não há espaço para criatividade e geração de renda no mesmo lugar, apresento então o conceito extremamente atual de Economia Criativa.

Já ouviu falar de Economia Criativa?

ideias-criativas-03

Assim como a Economia Tradicional, a Economia Criativa é metrificada pela demanda, preço, margens de lucro, geração de empregos e produtividade.

A diferença está na natureza da atividade que irá gerar todos esses elementos.

Enquanto o foco da Economia Tradicional está na força dos setores agrícola, industrial e do comércio, a Economia Criativa tem como base o potencial individual ou coletivo para produzir produtos ou serviços criativos.

Basicamente o uso do capital intelectual, talento e criatividade para gerar renda.

E onde existem pessoas, existe cultura e onde há cultura há Economia Criativa.

Os maiores setores relacionados à Economia Criativa são:

  • Cultura
  • Arte
  • Design
  • Entretenimento
  • Meios de comunicação
  • Tecnologia
  • Inovação

Podemos dizer que a Economia Criativa é a Economia do futuro.

De acordo com o estudo publicado pela UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento) em maio de 2013 o comércio de produtos e serviços “criativos” arrecadou cerca de 624 bilhões de dólares em 2011.

A arrecadação mais que dobrou de 2002 até 2011, crescendo a uma média de 8,8% ao ano, especialmente em países em desenvolvimento, onde a média de crescimento anual é de 12,1%.

A combinação perfeita entre criatividade e inovação.

A criatividade entra na geração de ideias, seja de conceitos, de produtos e serviços.

E a inovação na aplicação dessas ideias com o intuito de gerar valor e retorno financeiro.

O maior valor da Economia Criativa não está na geração de riquezas, apesar de ser parte importante.

Mas sim na paixão pelo que está sendo criado. Na união de pessoas com um propósito e valores semelhantes para desenvolver novas ideias que vão, aos poucos, mudar o mundo.

Mudar as formas de trabalho, as relações entre funcionários e líderes, investidores e empresas, a educação e as formas de geração de renda.
banner-blog-criativo

Quais as ideias criativas para ganhar dinheiro dentro do conceito de Economia Criativa

ideias-criativas-05

Criatividade não é talento.

É a mistura de captação de referências, treino e principalmente desenvolvimento da habilidade de expandir a mente para fazer conexões fora do comum.

E com todo esse aparato criar algo novo e funcional.

Nem só das áreas citadas, as tipicamente criativas, no tópico anterior vive a Economia Criativa.

Em uma realidade onde a inteligência artificial não para de avançar, trabalhos repetitivos podem ser facilmente executados por computadores (frutos também da Economia Criativa).

Deixando o espaço aberto para os criativos.

A criatividade pode ser classificada em 3 grandes áreas:

  • Artística: gerar novas ideias e maneiras de interpretar o mundo, sendo geralmente expressas em forma de imagem, som ou texto.
  • Científica: novas conexões para encontrar soluções de problemas de toda ordem.
  • Econômica: inovações na área de negócios, marketing e gestão.

Dentro destas áreas podem estar inseridas as mais diversas possibilidades de atuação profissional.

Algumas das mais comuns são:

  • Designers
  • Artistas plásticos
  • Estilistas
  • Ilustradores
  • Arquitetos
  • Fotógrafos
  • Cineastas
  • Editores de vídeo
  • Escritores
  • Artesão
  • Atores
  • Compositores
  • Músicos
  • Chefs de cozinha
  • Desenvolvedores de softwares e Games

Basicamente toda e qualquer atividade que necessite da criatividade como ponto de partida.

Em definições mais abrangentes de Economia Criativa, até mesmo áreas mais tradicionais como finanças, direito e turismo podem estar inseridos no cenário criativo.

Desde que, claro, apresentem maneiras diferenciadas de tratar problemas antigos.

Um conceito muito mais relacionado à pessoas e atitudes do que à áreas.

Pessoalmente acredito que toda atividade humana depende da criação e do conhecimento intelectual e que por isso pode ser estar inserida dentro do contexto da Economia Criativa.

Somos todos capazes de vencer o bloqueio criativo e assim de gerar boas ideias e promover inovações que podem mudar a nossa realidade.

Como é o caso dos empreendedores criativos e dos novos modelos de negócio.

Novos modelos de negócios

ideias-criativas-06

Você trocou o seu carro ou o táxi pelo Uber ou usou algum aplicativo para pegar carona?

Viajou e ao invés de reservar um hotel caríssimo escolheu passar uns dias como um verdadeiro local alugando um apartamento pelo Airbnb?

Então você já sabe do que se trata a Economia Colaborativa.

Basicamente alguém que possui um bem material se coloca a serviço de outras pessoas que precisem do benefício proporcionado.

Ao invés de comprar um carro para se deslocar pela cidade, você usa o carro e o serviço de outra pessoa.

E o dono do veículo é remunerado por você, sem precisar ser um motorista profissional ou pagar altas taxas de licenciamento para ter um táxi, por exemplo.

A Economia Colaborativa pode ser a solução para muitos dos problemas atuais, como o desemprego, uso de bens ociosos e de quebra dá uma mão para o meio ambiente.

Outra mudança bastante positiva no cenário atual é a facilidade de acesso ao público final, proporcionada pela internet.

Se antes, profissionais criativos, como músicos, cineastas e escritores só conseguiriam ver seu trabalho chegar nas mãos de sua audiência se antes fossem aceitos por gravadoras, estúdios e editoras, hoje podem fazer todo o processo por conta própria.

A autopublicação de um livro já é realidade para muitos escritores e produtores de conteúdo.

Ao invés de correrem o risco de serem rejeitados inúmeras vezes, como foi o caso de J.K Rowling quando escreveu Harry Potter , você pode transformar seu trabalho em um eBook e vendê-lo ou no seu site ou na Amazon, por exemplo.

Um livro bastante aclamado pelo público feminino, “50 Tons de Cinza”, foi uma desses casos.

O livro surgiu como uma autopublicação na internet de uma história baseada em outra série de livros bastante famosa: Crespúsculo.

E virou um sucesso de vendas, chegando a arrecadar 31 milhões em 37 países onde foi comercializado.

Outro caso de sucesso possibilitado pela internet é o de uma das maiores YouTubers de hoje, a Kéfera.

Com quase 10 milhões de inscritos no seu canal, ela começou a gravar vídeos para atrair a atenção de grandes emissoras de TV, pois tinha o sonho de trabalhar como atriz.

E através dessa maneira criativa de expor seu trabalho, ela conseguiu um feito considerável e talvez muito mais lucrativo do que uma carreira na televisão.

O mesmo acontece com tantos outros profissionais que hoje podem expor seus trabalhos na web e assim alcançar pessoas de todo o mundo.

Mas você sabe que visibilidade não basta e pode estar se perguntando: mas será que realmente é possível ter ideias criativas para ganhar dinheiro?

Apostar na criatividade dá dinheiro?

ideias-criativas-07

Afirmo com bastante tranquilidade que um dos, se não o maior medo, que as pessoas sentem ao apostarem em uma ideia criativa para ganhar dinheiro é acontecer justamente o contrário.

Eu senti medo de fracassar ao decidir largar a faculdade para investir no sonho de viver de blog.

Também vivi dias e dias de insegurança sem saber se investir 5 mil reais no meu primeiro eBook, o Alocação de Ativos, me traria o retorno desejado.

Você pode ter medo de pedir demissão para apostar na sua ideia.

Ou você pode ficar em dúvida se o seu sonho é viável ou não, antes de investir suas economias nele.

E eu digo que você realmente deve ter medo.

E que esse é um sentimento bom.

Desde que não te paralise completamente.

Ter medo significa que você considera as vantagens e desvantagens de apostar no novo.

E que certamente terá muito mais cuidado antes de se jogar de cabeça nas suas ideias criativas para ganhar dinheiro.

No entanto, medo em extremo pode impedir que você parta para a ação e faça como a grande maioria das pessoas: tenha ideias criativas para ganhar dinheiro porém as deixe apodrecer no cemitério das boas ideias.

O Brasil é um dos países mais criativos do mundo.

E ao mesmo tempo um dos menos inovadores.

Por que tamanha disparidade?

Milhares de pessoas extremamente criativas usando todo seu potencial para imaginar mas nenhuma energia para agir.

Se você quiser entender a diferença entre Criatividade e Inovação, leia este artigo completo.

E não tomam uma ação muitas vezes porque o medo domina completamente sua mente e a falta de confiança no próprio potencial faz o resto do serviço.

Aqueles que não tomam uma ação estão completamente envolvidos na crença de que não é possível ganhar dinheiro com a criatividade.

Já os que decidem se jogar de cabeça, mas fracassam ou desistem no meio do caminho, podem culpar a falta de planejamento para usar suas ideias criativas para ganhar dinheiro.

Misturar propósito com empreendedorismo, criatividade, personalidade, seu talento, sua história é uma ideia que dá certo.

Desde que haja planejamento e estruturação para saber “onde” chegar e principalmente “como”.

Canvas Business Model para modelar boas ideias para ganhar dinheiro

ideias-criativas-08

Planejamento é necessidade básica para quem quer estruturar ideias para ganhar dinheiro.

Por outro lado, passar a vida inteira estudando e planejando nunca levou ninguém a lugar algum.

Você não vai querer perder tempo montando um plano elaborado de 100 páginas que nunca serão lidas.

Mas também não sair executando suas ideias de maneira desordenada. Você precisa definir suas metas.

Portanto, apresento a você uma ferramenta que está conquistando cada vez mais espaço no mundo dos negócios por sua simplicidade e rapidez na execução: o Canvas Business Model ou Modelo de Negócio.

Se você já tem as ideias criativas para ganhar dinheiro e quer saber como planejar melhor para assim colocá-las em prática, o Canvas é a melhor opção.

Se você ainda não tem sugiro que volte lá para o começo deste artigo e responda às perguntas que citei aqui para descobrir seu propósito.

Afinal, sem uma ideia que possa gerar valor para as pessoas e que esteja alinhada com seu propósito, sua personalidade e seu lado criativo, você não vai muito longe.

Também recomendo a leitura de alguns artigos do Viver de Blog que podem te ajudar nessa missão:

Depois de isso tudo, você está pronto(a) para começar a construir o seu próprio Canvas?

Montando o seu Canvas Business Model

ideias-criativas-09

O Canvas pode ser usado não só por quem está querendo abrir uma empresa.

Mas também pode ser utilizado por você que quer trabalhar como freelancer, começar um blog, um canal no YouTube ou até mesmo para estruturar seu Marketing Pessoal.

É “modelo de negócios enxuto e bastante visual” e serve para definir algumas coisas:

  • Qual a proposta de valor única que você ou seu negócio, blog ou site tem a oferecer para o público?
  • Quais pessoas você deseja alcançar com essa proposta única de valor?
  • Quais os recursos, humanos, financeiros e de capital intelectual serão necessários para colocar tudo em prática?

O Canvas é um quadro, dividido em 9 blocos, exatamente como esse da figura aqui embaixo.

canvas-sebrae

Imagem Modelo Canvas- site Sebrae

O lado direito é o lado mais “emocional” do modelo, onde serão definidos:

  • Proposta de Valor: o que seu negócio, blog ou você mesmo podem oferecer que seja algo diferenciado. Você não precisa revolucionar, só precisa ter certeza que sua proposta resolve um problema existente.
  • Segmento de clientes: definição do seu público-alvo, aquele que teria interesse na sua proposta de valor.
  • Relacionamento com clientes: melhor maneira de se comunicar com seus clientes.
  • Canais: de que forma seus produtos serviços ou conteúdos chegam até seu público.
  • Fontes de receita: quanto e como os compradores pagarão pelo valor que você oferece.

Já do lado esquerdo serão definidos os aspectos mais relacionados ao funcionamento e questões práticas:

  • Atividades principais: todas as tarefas essenciais, que fazem sua ideia funcionar como, por exemplo, produção de conteúdo, emissão de notas fiscais, etc.
  • Parcerias principais: fornecedores de parceiros necessários para cumprir as atividades principais.
  • Recursos principais: o que você precisa fazer ou ter para entregar a proposta de valor (capital intelectual, equipamentos, recursos financeiros).
  • Estrutura de custos: todos os gastos relacionados a seu negócio. Se você fizer um blog terá pelo menos gastos com hospedagem, domínio e claro, seu tempo.

Você pode montar seu Canvas em um quadro físico e fazer o preenchimento com post-its. Ou, como eu prefiro, você pode fazer seu Canvas virtual no site do Sebrae.

As definições feitas nesse modelo não são fixas.

Sempre podem ser atualizadas e melhoradas, especialmente enquanto você já coloca em prática suas ideias criativas para ganhar dinheiro.

banner-blog-criativo

Partindo para a ação

ideias-criativas-10

Se você está apenas começando não vai saber se sua ideia pode ou não gerar renda.

Sinto dizer, mas se você não possui habilidade de prever o futuro, a única maneira de testar o potencial da sua criação é colocando-a em prática.

No livro a Startup de $100, de Chris Guillebeau, mostra vários exemplos de pessoas comuns, como eu e você, que conseguiram, com poucos recursos transformar seu propósito de vida em negócios lucrativos.

Além de contar 50 histórias de pessoas que conseguiram sair do zero e chegar a faturamentos de 50 mil dólares apostando em ideias criativas para ganhar dinheiro, ele traz insights e lições para que outras pessoas possam fazer o mesmo.

Uma dessas dicas são os 7 passos para você fazer um teste instantâneo de mercado.

Vamos conhecer cada um deles:

  1. Você precisa ter interesse no problema que sua proposta de valor (aquela definida no Canvas) vai resolver e precisa encontrar um número razoável de pessoas que valorizem sua solução.
  2. Faça buscas de palavras-chave em ferramentas como o Google Keyword Planner das mesmas palavras que usaria se estivesse procurando por uma solução parecida com a sua para ter uma ideia do volume de buscas, portanto do interesse da audiência.
  3. Mais fácil vender para quem tem um problema precisando de uma solução do que convencer o público que ele tem um problema que precisa ser solucionado por você.
  4. Um produto, serviço ou conteúdo que resolva uma dor ao invés de atender um desejo pode ser mais eficiente na hora de vender.
  5. Sua solução precisa ser diferente e melhor do que está sendo oferecido no mercado
  6. Crie uma persona. Veja entre as pessoas que você conhece, quais se encaixam no perfil de persona criado e detalhe sua ideia para ela(s).
  7. Faça um esboço, protótipo ou um Minimum Viable Product (MVP)ou Produto Mínimo Viávelofereça amostras a grupos de pessoas que estariam interessadas. Use o mesmo princípio que usamos aqui no Viver de Blog. Oferecemos conteúdos gratuitos de alta qualidade e em troca ganhamos audiência, feedbacks e pessoas interessadas em nosso trabalho.

Não tem segredo. Para descobrir se suas ideias criativas para ganhar dinheiro realmente serão eficazes você precisa fazer testes práticos e correr riscos calculados.

Ou vai passar a vida inteira imaginando como teria sido.

Também não fique acreditando que para tirar seus planos do Canvas você precisa de rios de dinheiro e investidores-anjo interessados no seu projeto (salvo alguns casos mais complexos, claro).

Sempre é possível obter bons resultados investindo pouco no começo.

Só não caia na ilusão de acreditar que é possível construir um negócio lucrativo com investimento zero.

Mesmo que sua ideia seja virar um produtor de conteúdo, para começar um blog profissional você terá que assumir gastos como hospedagem, domínio e talvez um template premium, como o Épico.

Isso não significa que você precisa se endividar no banco ou jogar tudo para o alto de uma hora para outra para viver daquilo que acredita.

Conclusão

ideias-criativas-11

O mais importante para quem quer transformar sua paixão, suas habilidades e seu propósito de vida em algo criativo, inovador e que gere renda é acreditar na sua ideia.

Se você não leva a sério aquilo que se propõe, porque os outros deveriam?

Quando você sabe que está no caminho certo e entende que aquela escolha pode transformar completamente sua vida, um obstáculo, por maior que seja, pode até atrasar mas nunca vai parar você.

“Todos os seus sonhos podem se tornar realidade se você tem coragem para persegui-los” – Walt Disney

E você? Tem uma ideia criativa escondida, só esperando a oportunidade certa para ser transformada em realidade? Conta para a gente aqui nos comentários!

Conteúdo VIP

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Sobre o autor

vive exclusivamente de blog desde seus 23 anos e quer ajudar você a Viver de Blog também. Saiba mais aqui →

  • Mais uma texto fantástico Henrique! Parabéns, nos deu várias dicas e conteúdos de fora importantes!
    Não dava muita atenção ao Canvas, mas esse ano vou investir nessa ferramenta. o MEI do Sebrae também é um caminho tbm bacana.
    Grande abraço! Gustavo Hiraoka

    • Opa Gustavo! Obrigado pelo comentário!

      Espero que consiga turbinar seus resultados com o uso do Canvas! 🙂

      Abração e muito sucesso pra você!

  • Lilian Souza

    As 3 maiores objeções na minha opinião infelizmente são o medo, a crença enganadora de que uns nascem com talento e criatividade e outros não e o dinheiro.
    E por falta de informação, muitos nem buscam descobrir seu propósito e apostar nele, ou muitos até descobrem, mas as objeções os barram e não deixam seguir seus sonhos.

    Ótimo artigo HC!
    Obrigada =)

    • Opa Lilian! Obrigado pelo comentário!

      Excelentes percepções! É exatamente isso que muitas vezes acontece e acaba comprometendo o futuro de sucesso que espera por todos aqueles que perseveram!

      Grande abraço e sucesso pra você! 🙂

  • Paulo Anry

    No primeiro tópico, quarto parágrafo acho que faltou alguma coisa, não? rs’

    Excelente artigo memorável 🙂

    • Olá Paulo, obrigado pelo comentário! A qual parte especificamente você se refere?

  • Gláuber Uchôa

    Gostei muito do texto, Henrique. Estou enfrentando um dilema. Criei um Blog sobre turismo em Junho deste ano, limitado a divulgar as belezas do meu Estado, o Piauí. Fiz isso pois administro uma página no Facebook com o mesmo objetivo desde 2012, sendo que atualmente ela possui mais de 189 mil seguidores. Percebi que, apesar da página ser muito conhecida, faltava um espaço onde eu pudesse dar as informações sobre os lugares e coisas de forma mais detalhada. No Facebook nos limitamos muito, já que é uma rede mais voltada para imagens/vídeos com pequenas descrições. O Blog era o caminho certo, já que eu poderia discorrer detalhadamente sobre o assunto. Decidi também por criar o Blog por perceber que o Piauí é desconhecido da grande massa. Pouca gente sabe quantas lindas praias temos aqui, ou as belezas naturais que guardam nosso interior. Até mesmo os piauienses desconhecem. Esse problema era acrescentado já que mesmo pesquisando na internet pouca coisa você acha, e mais poucas ainda as de qualidade. O Blog nasceu para resolver esse problema, centralizar as informações sobre o turismo no Estado em apenas um lugar, ajudando as pessoas que estão pesquisando sobre ou que já conhecem o Estado mas querem saber outras opções de destinos. Blog criado, tudo certo! De Junho pra cá já tivemos mais de 100 mil acessos, e é ai onde mora o meu “dilema”. As vezes acho que, mesmo tendo um site que bomba de acessos nas mãos, mesmo recebendo milhares de feedback do nosso público comentando sobre a importância do que estamos fazendo, não consigo atingir as pessoas/empresas que, financeiramente falando, sustentariam o projeto. Hotéis, pousadas, restaurantes, agências de viagens etc. Não sei se estou cometendo algum erro, ou simplesmente preciso de mais tempo, tornar o site ainda mais conhecido. Enfim, divulguei um artigo sobre uma de nossas prais dois dias atrás e tive mais de 7 mil acessos no site por causa dessa divulgação, graças ao número de seguidores que temos devido o trabalho já consolidado no Facebook. Acabei recebendo um convite de um Flat da praia que divulguei pra conhecer o serviço deles. Não sei se isso é um sinal de que estou no caminho certo, mas já é alguma coisa. Espero daqui um tempo poder voltar aqui e contar uma história mais animadora. kkkk Abraços

    • Opa Glauber! Muito bacana a sua ideia! Realmente, pouco conhecemos sobre o Piauí e você tem uma boa oportunidade de explorar isso com sucesso!

      Espero que consiga alcançar seu objetivo e espero que nossos conteúdos e cursos possam te ajudar na sua jornada!

      Ficamos na torcida e esperamos que nos conte depois as novidades! o/

      Grande abraço e muito sucesso! 🙂

  • Raphael Moraes

    Na boa… QUE POSTAGEM!! Muito boa Henrique. Eu estou vivendo isso, por isso dei até uma sumida aqui do Viver de Blog, a vida está corrida, mas sempre que eu volto, encontro conteúdos como esse.

    EXCELENTE! Me incentivou muito a continuar na caminhada e fazer o meu blog voltado para marketing pessoal, http://naoesofoto.com.br/ um sucesso assim como o Viver de Blog.

    Um grande abraço Henrique e até mais!! 😀

    • Opa Raphael! Bom ver você por aqui de novo! o/

      Fico feliz por saber que te estimulamos e que nossos conteúdos são relevantes para você!

      Desejo que sua jornada seja cheia de muito aprendizado e sucesso! Conte com a gente sempre!

      Grande abraço! 🙂

  • Memorável trabalho Henrique! Assim como vc, acredito que cada um de nós pode conseguir viver daquilo que ama, que faz com prazer! Creio que é o maior objetivo seu, meu e de muitas pessoas aqui! Obrigado pelo conteúdo mais uma vez! Abraaaaaaço!!!

    • Isso mesmo Renan! Fazer o que amamos e amar o que fazemos é o que nos move sempre com energia e motivação rumo a níveis cada vez mais altos!

      Obrigado pelo comentário! 😀

      Grande abraço!

  • Drielly Lemos

    Um dos artigos mais COMPLETOS que já li em toda minha vida! Tudo o que eu precisava em um campo só. O Viver de Blog é fantástico! Descobri há poucos dias e tenho mergulhado nos conteúdos. Parabéns e muitooo obrigada pelo valor que você agrega pra mim.

    • Wooow Drielly! Eu que agradeço pelo seu feedback! Fico muito feliz por saber que está gostando dos nossos conteúdos!

      Obrigado pelo comentário e conte com a gente sempre! o/

      Abração! 😀

  • Felipe Franco

    Fala Henrique!! Beleza??

    Show de bola o artigo, realmente está bem completo!!!!

    Um outro ponto importante também para quem quiser seguir este caminho e se tornar um produtor de conteúdo, é ter um mindset de sempre adquirir novos conhecimentos, de preferência por intermédio de fontes variadas, como livros, vídeos, audios, infográficos, etc….

    Além destas fontes diversas contribuírem para o processo criativo, aumentarão a qualidade do conteúdo gerado. Consequentemente, este conteúdo agregará um valor maior para a audiência, aumentando as chances de as pessoas toparem investir no conteúdo oferecido.

    É Exatamente este fluxo que eu vejo acontecer com maestria aqui no Viver de Blog!! Conteúdo de altíssima qualidade, que agrega muito valor para a audiência e conquista a confiança das pessoas para investir e adquirir o conhecimento ainda mais detalhado oferecido no Blog Memorável, por exemplo!! É uma relação ganha-ganha!!!

    Ainda sou iniciante na produção de conteúdos dentro do meu nicho, mas seguirei ao máximo este grande exemplo que é o Viver de Blog, novidades virão por aí!!! =)

    Obrigado!

    Abraços!!!

    • Wooow Felipe! Comentário memorável o seu!

      Muito obrigado pela reflexão e pelas palavras gentis! Seu feedback é um mega estímulo para o nosso trabalho! 😀

      Conte com a gente sempre!

      Grande abraço!

  • Grazieli Pimentel Fotógrafa

    Bom dia, achei incrível seu artigo, sou fotógrafa e estou precisando de ajuda para captação de clientes. Vou atualizar meu blog e gostaria de saber quais dicas tem para minha área de atuação. Obrigada

    • Olá Grazieli! Obrigado pelo feedback sobre o nosso conteúdo!

      Fico bastante feliz por saber que este artigo será útil em sua jornada!

      Já deu uma olhada em outros artigos do nosso blog? Temos vários conteúdos que podem te ajudar!

      Grande abraço e sucesso! 🙂