close
Viver de Blog

Quem é Henrique Carvalho? A História do Fundador da Viver de Blog

henrique-carvalho-fundador-viver-de-blog

Quem é Henrique Carvalho, o fundador do Viver de Blog?

Leia essa história abaixo e entenda um pouco mais sobre sua jornada.

Tem gente que passa uma vida inteira esperando um sinal sagrado do universo…

Tem gente que precisa de uma planilha de excel, um documento de texto com 50 páginas e todos os papéis impressos pra fazer uma viagem de 1 semana pra fora do estado…

E tem gente que tem um medo enorme de colocar o pezinho na água porque ela pode estar gelada…

Esse tipo de pessoa acaba desenvolvendo o que eu chamo de: “A Síndrome do SE”.

  • “E se a economia despencar e ninguém comprar o que eu tenho pra oferecer?”
  • “Mas e se eu postar um vídeo e alguém me criticar?”
  • “Se eu escrever uma palavra errada no email, alguém vai me chamar de idiota?”

Por muito tempo, eu havia desenvolvido estágios crônicos dessa síndrome e não fazia ideia da existência dela.

Em algumas situações, eu ficava me sentida no meio de uma forte tempestade de névoa – completamente paralisado sem tomar qualquer tipo de ação.

A única certeza que tinha era que eu odiava a incerteza.

Dá uma olhada nos meus 4 anos fantásticos após ter entrado na faculdade de economia:

  • 2007: Entre na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Pegava ônibus e ia de chinelão pra faculdade todos os dias.
  • 2008: Perdi metade do meu “patrimônio” acumulado em toda a vida na “marolinha” da crise financeira. Uma perda de uns R$ 1.000.
  • 2009: Criei o blog HC Investimentos.
  • 2010: Perdi dinheiro o ano inteiro por não aceitar propostas de corretoras ou bancos para vender algo que eu não acreditava no blog.
  • 2011: Descobri o mercado de afiliados e faturei R$ 700 em um dia com um único email enviado pra minha audiência.

Até o final de 2011 – quando a possibilidade de finalmente ganhar dinheiro divulgando com algo que eu acreditava pra uma audiência que eu cultivava…

Eu me sentia um fracassado… derrotado… e cansado de bater tanto a cabeça sem chegar a lugar algum…

Até que o faturamento como afiliado me permitiu seguir meu sonho de criar um eBook memorável sobre investimentos.

Então… uma nova linha do tempo surgiu:

  • 2012: Faturei 10k em menos de 14h. 6 dígitos de faturamento só com o eBook nesse ano.
  • 2013: Meu primeiro lançamento de 6 em 7. Um faturamento de R$ 100.000,00 em apenas 7 dias.
  • 2014: 2 lançamentos de 7 dígitos no nicho de finanças.
  • 2015: 1 lançamento de 7 dígitos no nicho de marketing digital.
  • 2016: Crescimento da empresa de 3 pessoas para 16 pessoas home-office.
  • 2017: Diversificação do modelo de negócios, incluindo serviços high-end com mentorias, mastermind e consultorias.

Você consegue ver em qual exato ponto foi o maior ponto de virada nessa história?

Pra mim, esse período foi a semana em que tudo mudou.

Foi o momento em que eu sai de um faturamento no ano de R$ 100.000,00 para um faturamento em 7 dias de R$ 100.000,00.

Eu não sei você… mas no meio da minha “Síndrome do SE” isso era completamente impossível.

Não fazia parte do meu mundo um crescimento de 1 ano em 1 semana.

O Henrique do passado falaria:

“Isso é balela. Vamos parar com essas fantasias. Pra crescer é preciso doer.”

O Henrique do presente sabe que no passado ele estava vivendo guerras em sua mente durante um período de paz em sua vida.

Essa mudança de pensamento só foi possível por conta de 2 fatores:

  1. Acreditar que era possível, libertando minha mente das crenças limitantes da época.
  2. Um modelo de negócio e de venda que gerava resultados comprovados.

Foi nesse ponto que eu conheci a Fórmula de Lançamento e o meu hobby se transformou em um negócio.

Um negócio que hoje alcança:

  • Mais de 12 milhões de pessoas com nosso blog.
  • Mais de 4 milhões de pessoas com nossa lista de email por mês.
  • Uma audiência acima de 1.5 milhão no Facebook.
  • Mais de 100 mil pessoas nos seguindo no Instagram.
  • Em torno de 50 mil seguidores no Youtube.

Eu acredito que esses “pontos de virada”, essas “mudanças de chavinha” estão presentes para todo mundo.

Elas são raras, como nossos sonhos mais profundos…

Elas sussurram no nosso ouvindo enquanto nossos medos gritam pela sua atenção.

E a partir desse ponto de virada e mais de 5 anos seguindo forte nessa jornada eu me tornei consciente de algumas lições que considero valiosas para quem deseja seguir um caminho parecido.

Hoje eu compartilho 3 delas com você.

Lição #1: Eventos presenciais são a saída do anonimato para os holofotes

No final de 2013 eu participei do meu primeiro evento sobre marketing digital. Era também o maior deles.

Na época, o Viver de Blog era um bebê de 6 meses…

Porém, apesar do pouco tempo, ele já estava com rota traçada para alcançar 1 milhão de pessoas intercalando publicações de artigos e infográficos.

E isso atraiu a atenção de grandes players do mercado na época. Inclusive, o dono desse evento.

Ele me convidou para participar do evento e, claro, eu aceitei.

Lá eu conheci pessoas que hoje são grandes amigos e parceiros como:

  • Samuel Pereira
  • Felipe Moreira
  • Vinicius Possebon
  • Victor Damásio
  • Cris Franklin
  • Bruno Gimenez
  • André Fogaça
  • Entre vários outros amigos.

Participar de um evento ao vivo, ver, tocar e bater um papo com as pessoas que você admira (e que também admiram você) é uma experiência única.

Principalmente quando você está acostumado a ficar horas atrás do computador só escrevendo e tem, de repente, a oportunidade desse contato pessoal olho no olho.

É como você ir rapidamente do anonimato ao holofote, pois são milhares de pessoas em eventos como esse querendo trocar ideias, fazer parcerias e buscar conhecimento de altíssimo valor.

O dono do evento era o Érico Rocha. E o evento o Fórmula de Lançamento de 2013.

Desde então, eu tenho participado de todas as edições do FL ao vivo, pois considero um dos melhores eventos de marketing digital do mundo (sim, além do Brasil).

E também vários outros eventos presenciais que considero importantes para afiar o meu machado (conhecimento e networking)

O contador de eventos já ultrapassou o número 100 e não vai parar tão cedo! 🙂

Lição #2: Você nunca saberá como é estar em uma situação se você nunca esteve lá

Essa foi uma das grandes “pedradas” que aprendi nesse caminho.

Quando eu comecei a crescer no mundo online eu acreditava, na minha própria ignorância, que poderia aprender o que precisava “sozinho”.

Eu gostaria de pagar as contas do blog em 2010, mas não sabia como…

Eu desejava faturar R$ 5.000 por mês em 2011, mas não sabia como…

Eu queria fazer um lançamento de 6 dígitos em 2012, mas não sabia como…

E eu percebi que já tinham outras pessoas alcançando esses números até que um estalo veio à minha cabeça…

Claro! É muito simples. Você precisa estar perto dessas pessoas que já chegaram nesse patamar e aprender tudo com eles.

E foi a partir do evento em 2013 que eu comecei a andar em grupos de pessoas que jogavam em uma divisão muito maior do que a minha.

Eu sentava em mesas onde me sentia um iniciante total. Mesas onde eu nunca era o mais inteligente da mesa.

Com a ajuda desses grupos, como:

  • Grupos de amigos empreendedores
  • Grupos de alunos de um curso
  • Masterminds

Eu entendi que o compartilhamento acelerar em pelo menos 100x o conhecimento que eu teria que procurar na internet pra descobrir (e muitas vezes nem achar).

Eu saquei que é esse grupo que vai te ajudar quando você tiver reais desafios no seu negócio. Não necessariamente seus amigos e familiares.

As pessoas precisavam ter passado por uma experiência parecida pra darem bons conselhos.

Eu logo lembro de uma tia minha que passava dos 100kg e num almoço em nossa casa dizia quais eram as melhores comidas para se manter saudável.

Pode até ser um clichê já, mas é real: você é a média das pessoas com quem você convive. Escolha bem essas pessoas!

Lição #3: O seu momento de maior medo é na verdade o momento de maior segurança que você pode ter

Peraí Henrique… aí já é demais… como você explica isso?

Pense na seguinte situação:

Você foi convidado pelos seus amigos para pular de paraquedas.

Logo você aceita e fica super animado.

“Que massa! Vai ser uma experiência única e incrível!”

No dia seguinte, vocês estão numa Van indo em direção ao avião que irá levá-los para 12 mil pés de altura (3.700 metros).

A animação se transformou em ansiedade e medo.

“Por que eu aceitei? Eu nunca fiz isso…”

Agora você está à 12 mil pés e pela primeira vez na vida, você percebe que você está em um avião à 12 mil pés com a porta aberta.

Seu coração está saltando pela boca.

O instrutor fala que você irá pular no Três e a contagem começa:

1…

2…

E ele te joga antes que você hesite e agarre a porta no 3.

Você grita! Xinga! Fecha os olhos e…

Depois de 2 segundas você está voando como um pássaro em queda livre.

Uma sensação única de liberdade e prazer.

A liberação de endorfina é tanta que você se sente abençoado de presenciar um momento como esse.

O medo sumiu completamente e você está mais feliz do que nunca.

E agora eu te faço a seguinte reflexão:

Por que o momento em que você teve mais medo era o momento em que você estava mais seguro dentro do avião?

E por que o momento em que você teve menos medo era o momento em que você estava menos seguro, caindo de 12 mil pés em queda livre?

Pense sobre isso alguns segundos…

É exatamente assim que acontece na nossa vida.

O medo é uma antecipação da nossa mente de algo que ainda não aconteceu…

E por não saber o resultado, você pode acabar hesitando…

Mas é quando algumas pessoas te ajudam a vencer esse medo, mesmo que seja com um simples empurrão antes da hora, que você se toca que o medo pode tanto ser criado como destruído.

Logo, quando você sentir medo, decida mesmo assim.

A recompensa do outro lado só será possível se você tomar uma ação.

Só depende de você.

Agora aproveite esse tempo e explore mais o Viver de Blog.

Sinta-se em casa.

Compartilhar
Compartilhar
Twittar
WhatsApp