close

Mais Blog

A História do Teclado QWERTY

Henrique Carvalho Escrito por Henrique Carvalho em 17 de dezembro de 2018
Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Máquinas de escrever surgiram por volta de 1860.

Suas teclas simulavam um piano. Seu arranjo, em ordem alfabética.

Conforme a tecnologia avançava, se tornava mais rápido teclar do que escrever à mão.

Porém, havia um problema…

Quanto mais você acelerava sua escrita, maior era a chance do acionamento mecânico de uma tecla se chocar com outra.

Dessa forma, a máquina travava e você gastava um tempo colocando suas peças no devido lugar.

Isso reduzia a velocidade de escrita, frustrando seus usuários.

Tudo mudou quando Christopher Latham Sholes inventou um novo modelo de reorganizar as teclas.

Nasce o layout de teclado QWERTY.

QWERTY

O consagrado layout QWERTY tinha o objetivo de aumentar o espaço entre as letras mais usadas.

Isso evitava uma tecla se chocar com a outra, diminuindo a chance da máquina travar.

A adoção desse layout foi tão rápida que até hoje é o padrão em 99,99% dos teclados de computadores, tablets e smartphones.

Mas… pense aqui comigo…

Nós paramos de usar máquinas de datilografia há décadas…

Logo, o problema de uma tecla chocar com a outra, travando a máquina DESAPARECEU.

Ainda assim, esse é o layout padrão para teclar que está dentro de nossas casas, mesmo sabendo que ele tem mais chance de causar lesões por esforço repetitivo (LER).

Por quê?

Será que até hoje não temos uma alternativa de layout melhor, mais rápido e mais eficiente para teclar?

Sim e não.

Vamos falar sobre um layout que pouca gente conhece, o DVORAK.

DVORAK

O objetivo do teclado Dvorak é reduzir a distância entre as letras mais usadas, já que não existe mais o problema de uma tecla chocar com outra.

No teclado em inglês, você consegue economizar 42% dos movimentos com seus dedos em relação ao teclado QWERTY.

Por esse motivo, esse estilo de teclado é recomendado para uma melhor ergonomia.

Ou seja, ele diminui a chance de lesão por esforço repetitivo.

Separando o teclado em 3 linhas e sabendo que nós posicionamos nossos dedos com frequência na 2ª linha, o teclado DVORAK coloca as vogais e consoantes mais usadas nessa linha.

Logo, 70% das vezes que você tecla, você está usando a linha do meio.

No layout QWERTY, apenas 32%.

Apesar de parecer mais eficiente e rápido para teclar, poucas pessoas sequer conhecem esse estilo de layout.

O que nos leva a um grave problema.

A Força do Tempo, Hábitos e Rotinas

O ser humano foi treinado desde o século XIX a escrever no layout QWERTY.

Hoje, atalhos de teclados consideram as teclas Z, X, C, V para desfazer, cortar, copiar e colar.

Jogos usam as teclas W, A, S, D para avançar, ir para à esquerda, para baixo e para à direita.

Logo, ao longo de quase 200 anos fomos treinados a usar o teclado QWERTY.

E por mais que, em teoria, o teclado DVORAK pareça superior, sua adoção é mínima, inclusive, por experts e profissionais que vivem da escrita.

Isso mostra a força do tempo, dos hábitos e das rotinas que desenvolvemos como sociedade.

Quando você está em um barco pequeno é fácil ajustar as velas para aproveitar a mudança do vento e navegar mais rápido.

Mas quando você precisa mudar a direção de um Titanic com mais de 7 bilhões de pessoas, a história é outra.

É por esse mesmo motivo que tomadas e cabos não são universais.

Você encontra adaptadores para tudo.

E teclados continuam usando um método inventado para evitar o choque de teclas em máquinas de datilografia no século XIX.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

11 Compart.
Compartilhar11
Compartilhar
Twittar
WhatsApp