close

Mais Blog

Como escrever textos persuasivos que mantém a atenção dos leitores da primeira até a última palavra

Henrique Carvalho Escrito por Henrique Carvalho em 7 de julho de 2021
Junte-se a mais de 250.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Textos persuasivos não nascem apenas da escrita correta.

Da mesma forma que um bom árbitro não garante um bom jogo de futebol, escrever todas as sentenças com perfeição gramatical não garante o desejo insaciável nos seus leitores de virar páginas.

Seu objetivo é, e sempre deve ser, escrever bem. É o mínimo que todo escritor precisa fazer.

Uma boa gramática é apenas uma das ferramentas que você usa para criar textos persuasivos.

Porém, um profissional sabe que na batalha entre lógica x emoção, o lado emocional sempre ganha o coração dos leitores.

E nada funciona melhor do que técnicas de storytelling para criar curiosidade, suspense e antecipação, elementos fundamentais para textos persuasivos.

Seja qual tipo de texto for, de um livro de ficção a uma página de vendas, esses elementos devem estar presentes se você quer que o leitor chegue até à última palavra.

Portanto, vamos descobrir como usar técnicas infalíveis de storytelling em artigos, posts, páginas e emails para criar textos persuasivos.

Como criar suspense

Você sabia que mais pessoas assistem Netflix do que a TV hoje em dia?

Que ela é responsável por mais de 1/3 do tráfego da Internet inteira nos Estados Unidos?

E que 700 mil horas são assistidas por usuários de todo o mundo em apenas um minuto?

Somos conectados por histórias e, hoje, estamos ainda mais viciados em formatos que exploram essa arte milenar.

Histórias representam como olhamos para fatos e tomamos opiniões, já que somos influenciados por narrativas e pela forma como as interpretamos.

É por isso que uma boa história é autêntica, criativa, faz uma conexão emocional e pessoal, inspira ação e leva o público à uma jornada de transformações.

Com tanta demanda por conteúdo original de histórias, quantos roteiristas você acredita que estão rachando de ganhar dinheiro com essa tendência que nunca perde força?

Agora… imagine como seria usar o poder de comunicação do cinema, das séries e documentáriospara criar seus próprios textos persuasivos.

Imagine prender o leitor na cadeira ansioso pelo que está por vir…

Imagine deixar sua audiência arrancando os cabelos com tamanha ansiedade…

Imagine fazê-los devorar seus textos sem perceber que uma hora do dia passou voando?

Existem dezenas de técnicas que escritores profissionais usam para mapear e escrever essas histórias.

E uma das maneiras mais efetivas de fazer seus leitores devorarem seus textos do início ao fim é usando SUSPENSE.

Criar suspense é falar para o leitor:

“Eu sei de algo que você não sabe. E eu prometo que, se você continuar lendo, vou te contar tudo.”

Apesar de histórias envolverem muita arte, elas também são pura técnica.

Logo, eu vou te apresentar a técnica dos 3Ps que você NUNCA deve ignorar na hora de criar suspense em seus textos.

1.Promessa

Toda vez que você escreve um texto, você e seu leitor estão assinando um contrato. Você faz uma promessa e precisa mantê-la até o fim.

E essas promessas podem se arrastar ao longo do texto INTEIRO. Desde que você cumpra sua palavra até o final, seu leitor irá confiar você.

No ótimo filme “Identidade Bourne” toda a história gira em torno de Jason Bourne descobrir sua identidade.

E nós da audiência o acompanhamos em busca da verdade, nos fazendo perguntas como:

  • De onde ele veio?
  • É verdade que ele matou algumas pessoas?
  • O que fizeram com ele de tão ruim?
  • O que é o projeto Treadstone?

2.Prisão

Quer adicionar drama aos seus textos? Coloque seus personagens dentro de um local que eles obrigatoriamente precisam escapar. Ou as consequências serão irreversíveis.

No filme “Tubarão”, por exemplo, essa prisão é o barco quebrado com um tubarão vindo na direção dos personagens.

Essa prisão também poderia ser um labirinto ou qualquer local que inevitavelmente o herói precisará escapar.

Você pode pensar em um gato preso na árvore em chamas.

Você pode pensar em um carro quebrado no meio do nada, sem luz, telefone ou gasolina.

Você pode pensar em pais que criam seus filhos adultos dentro de suas asas como se fossem crianças até hoje.

E o terceiro P é…

3.Pressão

Adicione a pressão pelo tempo em suas histórias e você sempre terá situações de grande risco e retorno.

Uma bomba que precisa ser desarmada em menos de 1 minuto é um exemplo claro da pressão gerada a cada segundo passando.

A série 24 horas é toda baseada no alto risco envolvido, caso o herói da série não consiga resolver os desafios que aparecem em até 24 horas.

Você pode pensar em um prazo apertado para entregar um projeto.

Você pode pensar em jovens correndo no meio de um mato fechado para chegar a cidade antes que o sol se ponha.

Você pode pensar em um estudante correndo no meio dos carros para conseguir chegar a tempo para fazer a prova do vestibular.

Eu usei o elemento pressão quando anunciei para minha audiência, em 2018, que iria gravar 20 vídeos para o meu canal do YouTube em um único dia.

Sim…eu fiz isso…

Ao fazer um comprometimento público, tive que permanecer firme até o fim, apesar do cansaço e do sono.

O mais interessante foi ver como me colocar sob pressão diante dos olhos da minha audiência fez com que as pessoas começassem a torcer e me enviar mensagens de incentivo.

Assim como torcemos por um protagonista em perigo ou sob pressão, meus seguidores estavam torcendo e acompanhando de perto a minha jornada de superação em frente às câmeras.

Ganchos Emocionais para textos persuasivos

Ganchos emocionais são bastante utilizados em introduções de posts, artigos, páginas de vendas, livros e filmes para prender imediatamente a atenção da audiência.

A função do gancho é estender a promessa feita no título e reforçar que a pessoa está no lugar certo.

1.Pergunta que abre um loop emocional

“Você já sentiu isso?

Aquele frio na barriga e o coração batendo mais forte?

Você não sabe o que, mas alguma coisa está dizendo que dessa vez será diferente. Não serão apenas palavras de mudanças, mas verdadeiros atos corajosos para embarcar de vez em uma nova jornada. Uma jornada que você sempre sonhou e desejou percorrer.

Você sente as ideias fluírem dentro de você. Você está confiante.

Você sabe que o seu trabalho é tornar essas ideias livres, soltas e que existe um mundo desesperado por esse tipo de informação.

Mas você está com medo.

Você tem medo de largar o seu emprego e viver sem uma fonte constante de renda. Você tem medo dos olhares críticos e desconfiados dos seus familiares e amigos, quando eles ouvirem que a internet é agora o seu lugar de trabalho.

Você tem medo de passar fome, de não ter como pagar suas contas e saber que seus familiares não poderão contar com você.

E acima de tudo?

Você tem medo de estar errado sobre você mesmo.

Talvez essa sensação seja apenas uma ilusão.

Talvez as suas ideias sejam péssimas.

Talvez você seja apenas um tolo em busca de uma fantasia.

Uma fantasia de viver de blog, de viver como um empreendedor digital. Sem um lugar fixo de trabalho. Sem chefes malas gritando ordens no seu ouvido. Sem o controle excessivo dos horários de “entra-e-sai”.

Então, você não faz nada.

Você se esconde no seu atual emprego – seguro, mas que você odeia. Você se identifica, ficando feliz quando seu amigo posta uma imagem dizendo que a sexta-feira já está chegando, ou ficando triste quando já é domingo e o trabalho lhe aguarda na segunda-feira.

Você passa dia após dia contando a velha história a si mesmo de que está fazendo a coisa certa, seguindo o caminho seguro. Mas você está mesmo?

“Não”, uma voz bem calma dentro de você assobia baixinho. “Não, isso tudo está muito, muito errado…”

Essa é uma introdução de um texto meu, usando não uma, mas várias perguntas, como deu para notar, certo?

Usar uma pergunta retórica logo na introdução coloca o leitor no modo reflexivo. Se ele se identifica e reconhece a pergunta e a história ou descrição que faz logo em seguida, você conquistou sua atenção.

Isso porque você acabou de colocá-lo em looping e abrindo a necessidade de fechar esse ciclo até o fim do seu texto.

2.Segredo

Por mais que a palavra segredo pareça batida em textos persuasivos, garanto para você que ela continua tão eficaz como sempre foi, afinal, quem resiste a uma informação que poucos conhecem?

Veja como usei o segredo nessa copy da página de vendas do meu treinamento Escritor Milionário:

“Você sabia que 76% dos redatores ganham menos de um salário mínimo por mês?

E que existe um pequeno grupo de escritores que tira (constantemente) mais de 10 mil reais por mês?

O que torna seus resultados tão diferentes é um SEGREDO que em breve irei revelar para você.

Tudo o que você precisa saber agora é que existem 5 camadas que todo escritor precisa desenvolver para ganhar mais dinheiro com seus textos.

Infelizmente, a maioria fica aprisionada na primeira camada, acreditando na ilusão que escrever bem é suficiente, quanto na verdade é uma obrigação.

Assim como qualquer restaurante possui a obrigação de servir comida de qualidade.

Eu vou te mostrar quais são essas 5 camadas que separam escritores amadores de profissionais.

E como você poderá finalmente viver da sua escrita, mesmo que você se considere (secretamente) inseguro, não tenha tempo ou trave na hora de olhar para uma página em branco.”

3.História

Existe um segredo para usar histórias que chamam atenção logo de cara e eu vou te revelar agora.

Anote aí para não esquecer: comece sua história no ponto mais alto da ação, independente se ela acontece no início ou no meio da história.

Vai ficar mais fácil de entender com esse meu exemplo abaixo, de um gancho que usei no meu texto mais lido e compartilhado até hoje, que alcançou 8 milhões de pessoas no Facebook.

Você pode saber mais detalhes desse feito nesse artigo “Storytelling Online: como uma história simples viralizou nossa postagem.

Por aqui, vamos ficar apenas com o gancho:

“Meu professor de Química disse na frente de todos meus amigos:

Você vai fracassar no vestibular porque não entende nada de Química.

Era meu último ano na escola.

Meu último ano antes de prestar vestibular.

E eu estava de recuperação em 3 matérias: Biologia, Física e, claro, Química.

Minhas notas na escola vinham caindo ano após ano.

Eu saí de nerd exemplar inteligente orgulho da família e dos professores ao status de “vagabundo”.

Eu estava inconformado, nos meus 17 anos, com a forma de aprendizado na escola. (Mal sabia o que estava por vir na faculdade).”

Por que esse início funcionou tão bem?

Porque gera raiva, pena e identificação nas pessoas que já foram humilhadas por uma autoridade ou desacreditadas nos seus maiores sonhos, uma reação emocional poderosa.

Finais Surpreendentes e Inacabados

ATENÇÃO: temos spoilers daqui para frente. Leia por sua conta e risco.

Filmes e séries citados:

  • Guerra nas Estrelas
  • Seven: os 7 pecados capitais
  • A Origem
  • Breaking Bad
  • Game of Thrones

1.Plot Twists

Toda história tem um início, meio e uma torção (ponto de virada) da história.

O meio do caminho é um jogo para enganar as pessoas para o caminho errado e serem surpreendidas.

A maneira mais fácil de criar finais surpreendentes é inverter a ordem da escrita e começar pelo fim, depois o começo e o meio.

Se você sabe como sua história deve terminar, o início da história será criado de forma mais coerente e tão claro, que não haveria outro final possível para a história que você criou.

Vamos lá para os exemplos:

1.Guerra nas Estrelas, Episódio V: O Império Contra-Ataca (1980)

Na luta final com o vilão Darth Vader, quem Luke acreditava ser o assassino de seu pai, somos surpreendidos com a revelação de que o pai de Luke não só está vivo, como é o próprio Darth Vader.

2.Se7en: Os Sete Crimes Capitais

O enredo: dois detetives, Somerset e Mills, procuram um assassino em série obcecado pelos sete pecados capitais.

O ponto de virada: O assassino, John Doe, se oferece para levar os detetives aos dois últimos corpos que completam os sete pecados capitais.

Quando eles chegam a um local no meio do deserto, Somerset recebe uma caixa de um entregador – dentro está a cabeça da esposa de Mills.

Doe admite que a matou por inveja – o sexto pecado – e desafia Mills a matá-lo, tornando a ira o sétimo e último pecado.

2.Resumo, seguido de promessa parcial

Você resume o que você disse e promete apenas metade da informação valiosa, caso ele continuar lendo.

Exemplo:

“Agora que você sabe sobre o workshop online de gestão e tem a garantia de aumentar a produtividade da sua empresa, deixa eu explicar porquê você deve largar tudo o que está fazendo e participar deste evento.”

Percebeu que eu resumi uma informação e apresentei apenas uma parte da promessa para criar a sensação de continuidade e fazer o meu leitor dar o próximo passo?

E chamo de promessa parcial porque para ter acesso a todo o valor prometido, o visitante precisa fazer um cadastro gratuito e participar do evento.

3.Cliffhangers

O cliffhanger não possui uma tradução exata de seu conceito, mas podemos considerá-lo como um final inacabado que deixa um gancho para um novo episódio ou conteúdo, ou apenas deixar que a audiência crie sua própria interpretação.

Apesar do final de Game of Thrones ter decepcionado a maioria dos fãs, não dá para negar que eles foram excepcionalmente eficazes em criar um gancho perfeito no fim da temporada 5.

No último episódio, chamado de “Mother's Mercy”, Jon Snow é avisado que Benjen (seu tio) ainda está vivo. Mas ao chegar no local é cercado por membros da patrulha da noite e esfaqueado até a morte.

Ou não?

A resposta só é revelada na temporada seguinte.

Breaking Bad não fica atrás ao mostrar o seu maior e melhor cliffhanger de todas as temporadas.

Passamos o tempo todo só esperando o momento inevitável em que o cunhado de Walter White, o policial Hank, irá descobrir que ele é o famoso criminoso Heisenberg.

Na metade da temporada final, Hank se depara com uma dedicatória escrita por Walter em um livro e nesse momento tudo parece se conectar. Ele descobre a verdade.

Mas o que ele vai fazer a respeito? Os fãs tiveram que esperar um ano para descobrir.

E essas são as 3 técnicas de storytelling que você usar para criar textos persuasivos ue nunca falham na hora de encantar seus leitores.

Esse conteúdo é apenas um resumo de uma live que fiz no meu canal do YouTube.

Toda terça, às 19 horas, estou ao vivo para fazer uma aula de escrita completa, dividindo as melhores técnicas e minha experiência na jornada da escrita para ajudar escritores e escritoras a viverem da sua maior paixão.

Espero ver você por lá, então não deixe de fazer a sua inscrição no canal da Viver de Blog clicando aqui.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

  • Sou analista de SEO e amei esse guia de como fazer textos persuasivos.
    Os textos persuasivos agregam muito valor em campanhas de SEO, seja para blogs, lojas virtuais e sites institucionais.

  • Junte-se a mais de 250.000 pessoas

    Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

    >