close

Mais Blog

Como ler como um escritor: técnicas de leitura focadas para melhorar sua escrita

Henrique Carvalho Escrito por Henrique Carvalho em 31 de março de 2021
Junte-se a mais de 250.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Muitos me perguntam como ler com tanta frequência impactou a minha escrita.  E, nesse artigo, vou não só responder a essa pergunta, como também ensinar técnicas de leitura. Mas não qualquer leitura.

Porque, para escrever melhor, você precisa ler como um escritor.

Minha paixão pela leitura começou de uma forma bem comum, como a de muitas crianças. Desde a infância, eu e meu irmão éramos viciados em ler os quadrinhos da Turma da Mônica. Esse primeiro contato com a leitura, me levou a adquirir a paixão pelos livros e pelo estudo.

Também fui bastante influenciado pelo exemplo da minha mãe, que sempre gostou muito de ler.

Quem ama ler nem sempre desenvolve a habilidade da escrita, mas quem escreve, necessariamente é apaixonado pela leitura.

Foi essa paixão que me fez criar meu primeiro blog, o HC Investimentos, que depois me levou a criar o Viver de Blog em 2013.

Dois negócios que construí com a escrita, assim como fui construindo minha habilidade de escrever através deles, através de artigos, páginas de vendas ou emails.

Lá se vão mais de 10 anos nessa jornada no mercado digital e tanto a escrita quanto a leitura continuam fazendo parte dela porque sei o quanto a prática é importante tanto para continuar evoluindo.

Como ler para aprender a escrever

“Como a maioria, talvez todos os escritores, eu aprendi a escrever escrevendo, e lendo. — Francine Prose”

Nós aprendemos através de exemplos.

Muitos escritores temem ler enquanto escrevem para não serem influenciados pelas obras que estão lendo, mas o que poderia ser melhor que ser influenciado por grandes sucessos?

É a partir da leitura que surge a criação e não existem autores que também não sejam leitores.

Buscamos em outros textos, inspirações, aprendizado, conteúdo para as nossas próprias criações. Quando você acompanha o trabalho de alguém notável na área, ele irá influenciar o que você vai produzir, pois, você terá um material para se basear.

A leitura de textos ou livros em geral também é muito benéfica. Lembra de todas aquelas regras gramaticais que podem ser difíceis de aprender? Quanto mais você lê e vê seu uso, mais natural vai ficar lembrar de cada uma.

Também fica mais fácil reconhecer um trecho que possa ter ficado “esquisito”, porque você já está acostumado a uma leitura mais fluida.

Já teve dificuldade para escolher sinônimos? Palavras para conectar uma frase ou ideia com outra?

Na leitura você tem muitos exemplos constantemente que podem te ajudar.

Os 4 tipos de leitura de Sertillanges

De acordo com o livro “A vida intelectual” existem 4 tipos de leitura:

  1. Leitura de repouso: para entretenimento ou rápida informação.
  • Obras de ficção e não ficção com menor profundidade
  • Artigos curtos e rasos
  • Posts curtos
  • Notícias
  1. Leitura de consulta: conceitos teóricos, menos aplicáveis no dia a dia.
  • Manuais
  • Dicionários
  • Estudos acadêmicos
  • Pesquisas
  1. Leituras de meditação: inspirar e gerar reflexões profundas.
  • Poesias
  • Livros religiosos
  • Livros filosóficos
  1. Leituras de formação: desenvolvimento pessoal ou assuntos técnicos.

O objetivo é adquirir o conhecimento para aplicá-lo na solução de problemas práticos.

Tanto a leitura de repouso, quanto a de meditação não exigem tanto da nossa memória. Você lê livros de ficção para se entreter e até se inspirar, mas não precisa recordar cada detalhe, a não ser que você seja um escritor de ficção, que deve ler romances com atenção para descobrir os segredos por trás das suas narrativas favoritas.

A leitura de meditação fala com uma parte não racional da nossa mente, o inconsciente.

Já as leituras de consulta e de formação exigem que seu cérebro processe e guarde as informações para que esse tempo investido traga retorno no futuro.

E para lembrar melhor dessas informações, siga esses passos:

  1. Passe pelo índice do livro para saber quais tópicos serão abordados.
  2. Folheie capítulos para entender a construção do pensamento do escritor.
  3. Leia todo capítulo primeiro e somente depois destaque as partes importantes.

Ao fazer isso, você terá muito mais critério para escolher o que é importante de verdade.

  1. Faça anotações com suas próprias palavras a respeito do que você compreendeu das ideias do autor.

Ligue com conceitos que você aprendeu em outros materiais ou qualquer outra informação que julgar relevante.

  1. Faça um pequeno resumo do capítulo que acabou de ler, mais uma vez, usando suas próprias palavras.
  2. Coloque o conhecimento recém-adquirido em prática, não só para lembrar, mas também para testar se aquela ideia funciona.

Técnicas de leitura: como aproveitar melhor o seu tempo

Existem diversos tipos de leitura. A leitura para o lazer, por exemplo, é aquela que você faz de forma relaxada, por prazer.

Já a leitura que é obrigatória sobre um tema ou que precisa ser “dominada” rapidamente não está associada ao prazer.

Portanto, perdemos um pouco do foco e atenção necessário com outras preocupações em mente, pois queremos aprender logo para colocar em prática.

Vamos conhecer nessa aula 2 conceitos básicos de técnicas de leitura:

1. Procure cansar menos seus olhos

Busque livros com fontes maiores ou use o zoom, no caso de livros digitais.

Fontes menores atrapalham o reconhecimento das palavras e dificultam a retenção. Fora que são um problema para pessoas que não enxergam tão bem.

Você pode guiar seus olhos, seja com os dedos ou uma régua no papel, ou o próprio mouse em versões digitais.

Essas duas características tão básicas ajudam seus olhos a não se cansarem tanto durante a leitura.

2. Não fale durante a leitura

Quando aprendemos a ler, muitas vezes, falamos as palavras baixinho para nós mesmos. Isso acontece com você?

Essa é uma vocalização que fazemos e várias pessoas levam isso para a vida adulta.

Para ganhar velocidade na sua leitura você precisa se livrar desse hábito, leia as palavras somente na sua mente, não é necessário pronunciá-las, nem com a garganta, nem com os lábios.

3. Pesquisa, pergunta, leitura, respostas e revisão

Esse método busca facilitar a compreensão para que a pessoa possa ensinar o que está aprendendo ainda durante a leitura.

Ele envolve:

  • Pesquisa: ter uma ideia geral do assunto, geralmente pela introdução ou resumo.
  • Perguntas: gerar perguntas para as respostas que você está lendo no texto.
  • Leitura: foco em passagens específicas de acordo com o objetivo da leitura.
  • Respostas: responder às próprias perguntas em suas palavras e usando os termos chave do texto.
  • Revisão: revisar o conteúdo pela memória.

Como cada técnica tem um enfoque diferente, é importante que você saiba o objetivo da sua leitura, assim você pode aplicar a melhor estratégia para absorver o conteúdo de forma mais eficiente, evitando assim o excesso de informações que só enchem sua cabeça e prejudicam a clareza do seu pensamento.

Leia e escreva de 4 a 6 horas por dia

Leia e escreva de 4 a 6 horas por dia, é o que diz Stephen King.

Adaptar a rotina de um escritor em tempo integral para a sua realidade ainda é possível para poucos.

Mas muitos não sabem que nem o próprio King sempre foi escritor em tempo integral. Ele já foi professor de inglês e escrita criativa, zelador em um colégio e até trabalhou em uma lavanderia.

Tudo isso enquanto ajudava a esposa a cuidar da casa e dos filhos pequenos.

Ainda assim, essa rotina de leitura e escrita sempre fez parte da sua vida.

Como é possível?

Organização, motivação e hábito.

Acredito que somos fruto daquilo que fazemos todos os dias. Se você tem o hábito de se exercitar, você estará mais preparado fisicamente daqueles que não treinam.

Se você tem o hábito de se alimentar bem, seu organismo estará mais saudável daqueles que comem fast food quase todos os dias.

Se você tem o hábito de meditar todos os dias, você será uma pessoa mais calma daqueles que tomam decisões no meio do furacão.

Essa é uma lei que pode ser aplicada em várias áreas da vida. E ela não poderia ser diferente quando o assunto é escrita.

Apesar de não ser tão radical quanto Stephen King, acredito que é preciso pelo menos uma hora de escrita e uma hora de leitura/estudo todos os dias ou quase isso.

E veja, esse tempo pode ser diluído ao longo do seu dia. Trinta minutos para escrever pela manhã.

Mais 30 para revisão na hora do almoço ou no fim do dia. E uma hora de leitura à noite.

Este é apenas um exemplo para ilustrar que é possível evoluir na escrita mesmo com pouco tempo disponível.

Mesmo que você seja um empreendedor, um freelancer ou funcionário de uma empresa e não possa (ainda) dedicar todo seu tempo apenas para escrever. Siga o conselho de Stephen King. Mas siga do seu jeito.

E não foque só em ler e escrever, mas também em reter esse conhecimento.

5 dicas que uso para ler e aprender mais rápido

Não basta sair lendo tudo que aparece pela frente sem se preocupar com a retenção desse conhecimento.

Trouxe 5 dicas que me ajudam não só a ler bem mais, mas principalmente a aprender de verdade.

1. Leitura de ebook com apoio de um audiobook

Ao estudar com o eBook (visual) + o audiobook (auditivo) e ainda grifando partes específicas no eBook (cinestésico), você está maximizando as melhores formas de reter conhecimento.

2. Memorização

Relembre mental ou oralmente os pontos importantes do que você leu.

Faça perguntas para você mesmo e responda com suas próprias palavras.

Grife e faça anotações após ter terminado a leitura. .Faça notas sucintas e que simplifiquem os conceitos.

3.Reviews

Hoje com o YouTube é muito fácil encontrar reviews de livros, documentários, filmes…

Além de rever o que você estudou vai ter uma nova perspectiva no assunto que talvez você não tenha notado antes.

Como aproveitar seu tempo livre para escrever melhor

Perder tempo em aprender coisas que não interessam, priva-nos de descobrir coisas interessantes” – Carlos Drummond de Andrade ⁣.

Você pode achar estranha a sugestão de reservar um tempo para não fazer nada.  No entanto, antes de explicar porque reservar espaço na sua agenda para o ócio criativo, você precisa entender qual o conceito por trás desta proposta. ⁣

De acordo com Domênico de Masi, sociólogo e autor do livro “O Ócio Criativo”, significa fazer três coisas ao mesmo tempo:

  • Trabalhar para gerar riqueza⁣
  • Estudar e adquirir novos conhecimentos⁣
  • E fazer isso tudo de maneira divertida e que gere bem-estar⁣.

Ou seja, navegar por horas nas redes sociais sem nenhum propósito de pesquisa ou passar o dia na frente da TV não pode ser considerado ócio criativo. ⁣

Ao contrário do que muitos imaginam, ser criativo não é dom, mas sim treino, mas para sair do lugar-comum, você precisa manter sua mente aberta e descansada.

Para realizar mais conexões, você precisa diversificar. E equilibrar momentos de trabalho e lazer.

Mas não qualquer lazer, porque assistir conteúdos ruins na TV ou séries de gosto duvidoso da Netflix não é realmente relaxar, mas sim alimentar sua mente com referências ruins.

Se possível intercale atividades físicas com as intelectuais durante seu lazer.

Leia bons livros, mas também cuide do jardim (David Ogilvy dizia que suas melhores ideias apareciam nesses momentos). Assista filmes de qualidade ou ouça boas músicas, mas faça caminhadas também.

E, acima de tudo, dê um pouco de silêncio e reflexão nos momentos de descanso para que tudo isso tenha como florescer em ideias criativas.

Você vai perceber a diferença na sua performance em pouco tempo.

Como Evoluir 6 Anos em Apenas 6 Meses: A Ciência dos Negócios de Alto Crescimento...

Mentoria Evolution

Clique, Assista o Vídeo e Leia o Relatório ➜
Mentoria Evolution

Junte-se a mais de 250.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

>