close

Mais Presença

As 4 Regras de Ouro falar em público com confiança usando a escrita

Henrique Carvalho Escrito por Henrique Carvalho em 3 de novembro de 2021
Junte-se a mais de 250.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Quer aprender a falar em público com maestria mesmo que você não seja um grande orador?

O domínio da escrita poder ser o seu grande trunfo quando você não se sente confortável com esse tipo de situação.

Se esse é o seu caso, saiba que você não está sozinho(a).

O segundo maior medo das pessoas (superando apenas a morte) é falar em público.

Ao dar sua primeira palestra na frente de 100 ou 1.000 pessoas seu estômago fica embrulhado, suas mãos suando, o coração acelera…

Para mim, gravar vídeos já me deixava tenso, desconfortável e tinha de regravar diversas vezes.

Felizmente, após muita prática (mais de 200 vídeos gravados), hoje é uma atividade natural para mim.

Nesse caminho, eu aprendi 3 regras de ouro para diminuir o desconforto em público.

Essas são regras pessoais que funcionaram bem para mim e espero que sirvam você também.

E devo dizer que dominar a escrita foi o primeiro e mais importante passo para falar em público com mais confiança.

Tudo começa com o medo da exposição

Eu não nasci temendo a opinião das outras pessoas.

Garanto que, se você hoje tem medo de se expor, esse sentimento não faz parte de quem você é, mas sim do que aconteceu com você.

A timidez surgiu na minha vida durante uma apresentação  de teatro na 4ª série sobre o descobrimento do Brasil.

Eu estava vestido de índio, tinha minha fala decorada e na ponta da língua, mas entrei na peça na hora errada.

E a plateia toda riu de mim.

Não por deboche ou pela minha “ignorância”, mas pela minha ansiedade e inocência como criança.

Porém, o que ficou na minha cabeça foi o seguinte:

“Se expor é ruim”.

“As pessoas vão rir de você”.

“Você não leva jeito para falar em público”.

Mas o que eu nunca permiti foi que esse medo me vencesse.

Por isso eu voltei a minha comunicação para a escrita, onde eu teria que me expor, é claro, mas não seria obrigado a passar por uma situação como aquela que vivi na infância.

Naturalmente passei a dominar a escrita, enquanto falar em público ou gravar vídeos ainda era um parto.

Mas eu tinha uma carta da manga.

Por que escrever bem ajuda a falar em público com confiança?

Eu escrevo para descobrir o que penso”- Stephen King.

O grande desafio de todo escritor é encontrar algo para dizer.

E outro que se segue: dizer se uma forma que só ele poderia fazer.

Missão impossível para quem não conhece a si mesmo e não presta atenção, e muito menos reflete, sobre seus pensamentos e sentimentos.

O hábito da escrita, além de tornar sua criação melhor a cada dia de prática, faz com que sua mente se torne mais clara e organizada.

Melhorando assim sua habilidade de falar em público.

Você passa a escolher as melhores palavras para expressar cada ideia, além de enriquecer seu vocabulário se esse hábito for acompanhado da leitura diária.

Além da confiança e do carisma, quem sabe falar em público com tranquilidade é alguém que consegue organizar bem seus pensamentos e se conhece como ninguém.

E eu não conheço melhor ferramenta para isso do que a escrita.

Você pode ter um bullet journal (diário) para escrever tudo que vem a sua mente.

Grandes escritores e artistas usam essa técnica, também chamada de páginas matinais, para potencializar sua criatividade e refletir sobre questões importantes. Além de ajudar a controlar a ansiedade e as preocupações, você consegue enxergar seus pensamentos de forma linear no papel.

Você vai aprender muito mais sobre si mesmo.

Além disso, tudo começa na escrita, inclusive sua palestra, live ou aula.

Como montar uma palestra, aula ou live de sucesso com as 4 regras de ouro

Agora que você sabe que até uma palestra começa na escrita, vamos partir para a prática e organizar aquilo que você vai falar em público usando a escrita como base.

A organização e planejamento é o que torna a apresentação mais interessante e te deixa mais tranquilo para melhorar sua performance.

Afinal, de nada adianta conseguir atenção plena das pessoas, ter confiança no que você irá dizer se o que você vai dizer é confuso, chato ou difícil de entender.

Regra #1: Não explique mais do que 3 pontos

Nós humanos não somos muito bons de guardar muitas ideias.

O ideal é você “martelar” suas ideias em apenas 3 conceitos principais.

Dessa forma, sua audiência terá mais chance de lembrar sobre o que você falou.

Regra #2: Explique uma ideia difícil de 3 maneiras diferentes

Se você está comprometido em explicar bem um assunto difícil para sua audiência, você precisa trabalhar com metáforas, analogias, comparações, histórias e repetições.

Vamos supor que eu vá explicar para um leigo um conceito complexo. Por exemplo, o que é um ETF.

Primeiro, o que é um ETF? É uma sigla que significa: Exchange Traded Funds. Ou seja, fundos de índices comercializados como ações.

Vamos mergulhar mais fundo nesse termo. Você ganha dinheiro quando compra uma ação e ela sobre de preço, certo? Agora, ao invés de uma única ação, imagine comprar várias ações de uma vez só?

Ou seja, comprar uma ação seria investir nas ações da Petrobrás, por exemplo. Agora… comprar um fundo de índice seria comprar as ações da Petrobrás, Vale, Bradesco, Itaú, Ambev… (e várias outras) em um mesmo pacote.

Seria como chegar em uma floricultura e ter duas opções de compra: uma única flor um buquê de flores.

Meu objetivo aqui foi te mostrar que existem várias maneiras de se explicar o mesmo conceito e nesse caso escolhi as ETFs.

Quando você explica o mesmo assunto complexo por ângulos diferentes a imagem na cabeça da sua audiência fica cada vez menos nebulosa e cada vez mais clara.

Regra #3: Repita um ponto importante 3×

Repetição é uma técnica simples e poderosa que você pode usar em palestras, vídeos e textos para reforçar um ponto importante. 

No caso dos ETFs acima, eu poderia repetir a analogia da flor x buquê de flores 3 vezes durante uma palestra para que essa imagem grudasse na mente das pessoas.

O conhecimento é como uma espada sendo forjada. Quanto mais martelamos uma ideia em nossa cabeça, mais forte e duradoura ela fica.

Portanto, seja valente na hora de repetir suas ideias.

Se você já assistiu a um filme várias vezes… Ou escutou uma música várias vezes… Ou leu um livro várias vezes…

Sabe que a segunda, terceira ou até na décima repetição você percebe elementos que passaram em branco anteriormente.

A repetição favorece o conhecimento e a comunicação assertiva.

Logo, repita um ponto importante 3× quando necessário durante uma apresentação em público.

Regra #4: Use o poder das histórias

Ao escrever sua palestra, aula ou live, pense que você vai, na verdade, contar uma história.

Apresente um herói (a audiência), um desafio (problema do público), uma jornada (como resolver) e uma resolução (o resultado final).

Organize seu conteúdo da seguinte forma:

Início: Seu “chamado para a aventura”, descreva a situação e mostre os problemas que existem baseados em dados.

Meio: Use o contraste entre “o que existe” e “o que poderia ser” se a realidade atual fosse modificada para manter a atenção da audiência.

Fim: Dê uma conclusão concreta para a audiência sobre como pode ser o futuro se eles estiverem dispostos a aplicar o que você apresentou.

Mesmo com toda essa preparação prévia, um frio na barriga pode surgir e é perfeitamente normal.

Se isso acontecer, não tenha vergonha de usar algumas das técnicas que vou compartilhar com você agora.

Como diminuir o nervosismo ao falar em público

Estar na frente de um palco coloca muita gente na zona de desconforto.

Se você tem um perfil mais introspectivo, assim como eu, o nervosismo é ainda maior. Em diversos momentos pode parecer que as pessoas estão julgando a maneira como você fala e o que você fala. Sem falar naqueles que parecem mais interessados no celular do que você tem a dizer.

Aqui vão as 3 dicas que me ajudaram a sentir mais confortável (ou seria “menos desconfortável?”) ao falar em público.

Dica #1: Evite dar palestras com as mãos nos bolsos

Quando estamos inseguros ou recuados, nossa tendência é procurar logo um bolso para esconder nossas mãos.

A maneira que você posiciona suas mãos em público diz muito sobre você.

Olhando vídeos das mais de 20 palestras que já ministrei, eu coloco várias vezes minhas mãos no bolso, mesmo sem perceber.

Até que o dia em que vesti uma calça diferente, não era o jeans que estou habituado a palestrar. Durante a palestra lá fui eu no piloto automático colocar a mão dentro do bolso e… … o bolso era falso!

Logo, minhas mãos precisavam ficar sempre visíveis para a audiência.

Nos primeiros minutos após perceber o bolso falso, fiquei incomodado, mas no decorrer da palestra eu esqueci que não tinha bolsos para colocar minhas mãos.

Elas encontraram seu lugar natural junto com os gestos que fazia com elas para explicar algum conceito para a audiência.

Mão no bolso é igual à insegurança. E não queremos passar essa mensagem em uma palestra. Portanto, deixe suas mãos livres e relaxadas.

Dica #2: Olhe para toda a audiência

Assim como a mão, seu olhar também faz uma grande diferença quando você deseja “abraçar” sua audiência.

Imagine um palestrante que só se comunica com as pessoas da primeira fileira. Quem está no fundo, na esquerda ou à direita tem todo o direito de se sentir incomodado.

Logo, procure manter contato visual com todos, alternando de forma natural. Inclusão é muito importante para você transmitir melhor sua mensagem.

Dica #3: Foque nas pessoas positivas

Você também consegue identificar bem rápido pessoas “positivas” e “negativas” em uma palestra ou aula.

Quando falo ”positivas” quero dizer:

  • Pessoas que acompanham cada palavra que você diz
  • Pessoas que mantém contato visual com você
  • Pessoas que mostram felicidade e curiosidade em seu rosto.

Já quando falo pessoas “negativas” quero dizer:

  • Pessoas que não largam seu celular.
  • Pessoas que estão dormindo ou ignorando completamente sua mensagem.
  • Pessoas que estão com uma cara triste, apáticas ou aflitas.

Sabemos que energia contamina. Experimente ficar perto de grupos que só fofocam, falam de tragédias e doenças…

Uma recomendação que recebi é focar mais nas pessoas que estão atentas, felizes e muito interessadas no que você tem a dizer.

Mantendo contato visual com elas, você coloca mais energia, força e sabedoria nas suas palavras.

Com estas regras de ouro você vai diminuir o nervosismo e dar um boost ao falar em público.

Junte-se a mais de 250.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

>