close

Mais Blog

Como criar uma estrutura de texto com o Método GPS

Henrique Carvalho Escrito por Henrique Carvalho em 28 de julho de 2021
Junte-se a mais de 250.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Criar uma estrutura de texto antes de digitar a primeira palavra evita que um problema grave, mas extremamente comum, aconteça.

É normal que as ideias fluam soltas e acabem se confundindo enquanto estamos escrevendo.

E, ao invés de seguir pela direção que você pretendia, seu texto cria vida própria.

No lugar de uma escrita coesa, objetiva, clara e leva o leitor a tomar uma ação, temos um emaranhado selvagem e confuso de várias ideias que nada têm em comum.

Quase como se você estivesse em uma rodovia, seguindo reto rumo ao destino final, e as ideias paralelas que começam a pipocar são bifurcações com potencial de desviá-lo do seu destino original.

Existe uma forma de ir reto do início ao fim da sua estrada, ou melhor, da sua escrita, sem se perder no meio do caminho com ideias que nada acrescentam ao seu texto além de distração.

Quando falamos de texto, pode ser um artigo, um pequeno post de Instagram ou até mesmo uma página de vendas. Todos eles podem, e devem, seguir uma estrutura de texto.

Portanto, não importa qual seja o seu objetivo final do seu texto, o Método GPS vai mostrar o caminho certo a seguir para chegar mais rápido, sem desvios e com muito mais resultados.

Vamos então conhecer as etapas do Método GPS para criar estrutura de textos que são lidos, compartilhados e amados por seus leitores.

1. Tema: como transformar ideias comuns em conceitos interessantes

Todo conteúdo precisa de um tema único para se diferenciar da enxurrada de textos disponíveis na internet.

Único porque difere dos demais e também porque foca em apenas uma única grande ideia.

É a escolha adequada do tema faz a mágica de tornar seu conteúdo interessante.

Mas antes preciso reforçar uma coisa: alguns escritores acreditam que precisam ser 100% originais para escrever um texto que mereça ser lido.

No entanto, não existem ideias originais, apenas combinações de ideias existentes que criam algo que parece novo.

Para criar um tema único você não precisa fazer algo que ninguém nunca fez antes. Essa é uma pressão muito grande para um escritor carregar sobre os ombros, já que ela não passa de uma ilusão.

Portanto, esqueça as ideias mirabolantes e foque no simples com um toque especial, como fiz em um dos nossos conteúdos campeões de visitas no blog sobre erros gramaticais.

Esse é um assunto que pode até interessar a professores e alguns escritores, mas que causa sono na maior parte das pessoas.

Porém, o pulo do gato para transformar ideias comuns em conceitos interessantes está em fazer a pergunta: “e se?”

Foi o que fizemos com o infográfico “80 erros gramaticais que fazem você parecer um idiota”.

“E se eu pudesse alertar sobre os perigos de cometer os erros gramaticais mais comuns, mas de uma maneira leve e divertida?”

A resposta para essa simples pergunta nos possibilitou alcançar um público mais amplo, que normalmente não teria interesse nesse tipo de conteúdo.

O título chamou atenção daqueles que ficaram curiosos em descobrir se estavam “pagando mico” frente a outras pessoas ao cometer erros gramaticais.

Além disso, muitos leitores acabaram compartilhando o infográfico com pessoas conhecidas, seja para fazer uma piada sobre o conhecimento da língua portuguesa ou para passar uma informação importante e valiosa adiante.

Outro exemplo de conteúdo, dessa vez do nosso Instagram, tinha uma ideia comum e pela qual poucas pessoas se interessam: o egocentrismo.

Esse é um assunto que a maior parte das pessoas reconhece como sendo algo prejudicial, então, aparentemente não teria nada novo a se apresentar para nossos leitores.

Sem falar que se você recebesse um conteúdo falando dos mecanismos do ego aí no seu feed, no meio de tantos outros conteúdos, provavelmente passaria reto.

No entanto, o meu pensamento foi: e se eu mostrasse que o egocentrismo pode ser algo bom não somente para o indivíduo, mas para toda a sociedade?

Com esse conceito em mente, criei a postagem “Egoísta Utilitário” e apresentei os meus argumentos para defender meu ponto de vista contraditório.

Você pode checar o conteúdo completo aqui e ainda deixar a sua opinião nos comentários, dizendo se você concorda ou não comigo.

Vale reforçar que o tema deve estar presente do título do seu texto, afinal, esse é o elemento que você tem em mãos para capturar a atenção do seu futuro leitor.

Veja esses outros exemplos de ideia comum x conceito interessante x título irresistível:

Tema: escrever bem vai além do que as pessoas imaginam.

Conceito: é preciso ter hábitos considerados estranhos para escrever muito bem. Assim como milionários e bilionários possuem.

Título: 5 hábitos inusitados e pouco conhecidos que escritores de sucesso adotam em sua rotina diária.

O tema é a parte mais importante do Método GPS, pois a escolha errada do mesmo irá estragar todo o resto da sua viagem.

Então, agora que você já começou a caminhar na direção certa rumo ao seu destino final, temos o segundo elemento que não pode faltar na sua estrutura de texto.

2. Introdução Curiosa

O título procura chamar a atenção do leitor entre tantas opções que ele encontra à sua disposição, já que ele será julgado atraente ou não em apenas 3 segundos.

a introdução serve para confirmar o interesse.

Durante a introdução você prepara o terreno para a audiência, começa a apresentar o assunto e inserir as pessoas nele aos poucos.

E se isso parece óbvio, observe como uma grande parte dos conteúdos na internet falha ao fazer uma introdução, já jogando um monte de dados descontextualizados que acabam afastando as pessoas, ao invés de conquistá-las e envolvê-las.

Uma boa introdução pode garantir o sucesso ou o fracasso do seu conteúdo, sendo assim parte chave da sua estrutura de texto.

Seu trabalho é fazer com que as pessoas continuem envolvidas, curiosas para ver o próximo parágrafo, a próxima imagem, a próxima cena.

Por isso que os melhores tipos de introdução que existem são:

  • Perguntas retóricas;
  • Afirmações fora do senso comum.

A pergunta coloca o leitor para pensar sobre aquela situação que você está apresentando e respondê-la mentalmente.

Todas elas abrem um loop que será fechado futuramente no seu conteúdo

A introdução funciona como um ímã que liga o título chamativo com a entrega do restante do conteúdo. Ela precisa “vender” o restante do seu material, mas sem entregar tudo logo no início.

Isso acontece porque a busca por informação para responder a uma pergunta ativa parte de nosso cérebro ligada ao prazer.

Ou seja, encontramos satisfação ao descobrir uma resposta.

O segredo aqui está em fazer uma pergunta que não pode ser respondida imediatamente por quem está lendo.

3. Conteúdo Surpreendente

Seguindo a estrutura de texto ideal, é aqui que você irá entregar tudo que prometeu no título e na introdução.

Nem por isso essa deverá ser uma parte menosprezada do seu texto.

Ao contrário, você precisa dar o seu melhor para manter a atenção dos leitores do começo ao fim.

E não existe forma melhor de fazer isso do que usando metáforas e analogias.

No post o “Egoísta Utilitário”, que mencionei acima, eu uso a metáfora da máscara de oxigênio para ilustrar a importância, na minha visão, de que é preciso cuidar primeiro de si mesmo para estar bem e apto a ajudar os outros.

Histórias também não falham em prender a atenção das pessoas, desde que sejam bem escrita, é claro.

As pessoas que possuem visões de mundo semelhantes, acreditam em histórias parecidas porque conseguem se colocar no lugar de quem viveu aquilo.

O pensamento é: poderia ser a minha história…

4. Conclusão Esperada

Um erro muito comum que vejo em diversos textos pela internet é a falta de uma conclusão. Eles acabam “do nada” porque, evidentemente não conhecem uma boa estrutura de texto e nem o Método GPS.

O que esses escritores talvez não tenham se dado conta é que estão perdendo uma oportunidade de ouro de criar um relacionamento com seus leitores pela falta de uma chamada para ação.

Se alguns pecam pela falta, outros vão pelo excesso e concluem seu texto com 3, 4 ou mais ações que o leitor deve tomar após finalizar a leitura.

E quando precisamos encarar diversas opções sobre o que fazer, acabamos não fazendo nada.

Assim como o seu texto deve seguir um único tema, ele deve gerar apenas uma ação.

Para ficar claro como o foco em um único objetivo faz diferença nos resultados, deixei aqui abaixo o link de duas postagens nossas do Instagram.

Mesma imagem, mesmo texto. Porém, conclusões diferentes:

Na dúvida em qual CTA usar, siga essas dicas:

1. Curtir

Use em postagens pessoais que refletem o seu ponto de vista, mas não necessariamente levam a uma discussão por parte da audiência.

Exemplo:

“Deixe sua curtida se você gostou dessas dicas e quer ver mais conteúdos como esse por aqui.”

2. Salvar

Recomendo usar quando o seu texto trouxer dicas mais práticas em formato de tutorial.

Assim, o leitor consiga guardar a informação valiosa e consultar sempre que precisar de uma ajuda para resolver aquele problema.

Exemplo:

“Salve esse texto para …”

3. Comentar

É a chamada para ação ideal em textos polêmicos, para gerar uma interação nos comentários.

Exemplo:

“Se você também pensa assim, comenta “eu” aqui nos comentários”

“Agora eu quero saber de você, o que pensa sobre esse tema?”

4. Marcar

É a chamada para ação que mais usamos nos posts do Instagram para que a nossa conta consiga alcançar mais pessoas.

Exemplo:

“Curtiu esse texto? Então marque quem irá adorar lê-lo.”

5. Compartilhar

Suspeita que o seu conteúdo pode viralizar? Então essa é a CTA ideal.

“Gostou desse texto? Então compartilhe com quem precisa saber disso.”

 

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

  • O método GPS realmente e o melhor jeito para não se perder pelo caminho, principalmente se você tem horário para chegar ao destino (entregar o texto pronto.)
    Eu só tenho uma sugestão de melhorias no texto. Em 3 pontos diferentes, notei alguns errinhos na escrita. Talvez tenha sido na hora da digitação final antes de você publicar, mas seria de bom tom que você desse uma revisada novamente.
    Bem, não me leve a mal, mas assim como eu reparei estes erros outras pessoas também podem reparar. Sei que as vezes essas coisas acontecem, mas como redatora, eu me sentiria mal se observasse isto e não lhe alertasse.

  • Junte-se a mais de 250.000 pessoas

    Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

    >