Mais Receitas

17 Gatilhos Mentais para você dominar a arte da persuasão e alavancar suas vendas [parte I]

gatilhos-mentais

Você sabe o que são e para que servem os gatilhos mentais?

Bom, imagine que você esteja com um problema e possui duas alternativas para resolvê-lo e, aparentemente, está em dúvida sobre qual decisão tomar.

Faça algo simples: jogue uma moeda para o alto.

Não que a moeda vá decidir por você, mas nos instantes que ela estiver no ar, você vai saber para o que está torcendo.

E sabe por que isso acontece?

Porque todas as nossas decisões são tomadas, primeiro, no inconsciente, e só depois vêm à consciência, normalmente acompanhadas de uma justificativa racional.

Um estudo realizado pela Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS) mostrou que o ato de escolher pode ser dividido em três partes:

  1. Seu cérebro decide o que você vai fazer;
  2. Essa decisão aparece na sua consciência, o que transmite a sensação de que você está tomando a decisão de forma racional;
  3. Você age de acordo com a decisão tomada

Pode parecer estranho, mas na realidade existe um número enorme de decisões que nosso cérebro toma e executa sem informar à nossa consciência.

Quando decidimos caminhar, por exemplo, a decisão é consciente, mas logo em seguida o cérebro assume o controle e coordena a ação de dezenas de músculos nas pernas e braços, garantindo que demos um passo, e depois outro e assim sucessivamente.

Algumas decisões do nosso dia a dia são simples e demandam pouca energia do nosso cérebro. No entanto, outras, como comprar um imóvel, são mais complexas e exigem mais esforço mental.

Mas, imagine se, para toda decisão complexa, seu cérebro tivesse que analisar minuciosamente cada aspecto da situação. O cansaço mental seria uma constante em nossas vidas.

Porém, nosso sistema nervoso possui um mecanismo de filtragem para validar as nossas escolhas. E é aí que entram os gatilhos mentais.

Eles são diretrizes que o nosso cérebro adota para não precisar fazer todo um trabalho de reflexão a cada tomada de decisão.

Isso quer dizer que, ao aplicar os gatilhos mentais de forma correta, você é capaz de engajar as pessoas, motivando-as a agir.

Continue lendo esse artigo e  você conhecerá 9 dos 17 gatilhos mentais que apresentaremos aqui no Viver de Blog e como usar cada um deles em seu negócio e até na sua vida pessoal. São eles:

Mas atenção! Esses atalhos mentais são extremamente poderosos e devem ser usados com ética.

Além disso, se você não entrega ao público aquilo que promete, seu negócio está fadado ao fracasso. Lembre-se: “O cliente só não é Deus porque não sabe perdoar”. (tweet essa frase)

Seu Cérebro em Ação: Rápido ou Devagar? Duas Formas de Pensar

gatilhos-mentais-pensar-rapido-devagar

Responda rápido:

1. Quantos animais de cada espécie Moisés colocou na arca?

E sobre esse enigma?

2. Se um bastão de beisebol + uma bola de beisebol custam juntos R$ 1.10 e o bastão custou R$ 1,00 a mais do que a bola… Qual é o preço da bola de beisebol?

Você respondeu dois na primeira pergunta e R$ 0,10 na segunda?

Esse é o seu cérebro buscando decisões rápidas, chamadas de fast thinking, ou pensamento rápido.

Ele busca atalhos para encontrar uma solução o mais depressa possível para o que você precisa.

Agora… você saberia me dar rapidamente a resposta para essa pergunta?

3. Quanto é 19 x 26?

Humm, claro que sei, a resposta é… (peraí! deixa só eu pegar a calculadora…)

Exato! Você é capaz de acertar essa multiplicação rapidamente se realmente quisesse, mas seu cérebro entrou no modo slow thinking, ou pensamento lento.

Esse é o seu cérebro reconhecendo uma dificuldade maior na tomada de decisão e precisando de mais tempo para processar a resposta.

Ao invés de atalhos rápidos, ele procura mais lógica para embasar a conclusão.

Fascinante, não é mesmo?

Sabendo dessa diferença entre os dois modos de pensar, vamos conhecer vários gatilhos mentais nesse artigo para que você ative o pensamento rápido de outra pessoa.

Afinal, se você desejar persuadir, influenciar ou vender um produto ou ideia, você precisa ativar essa zona de pensamento rápido.

Ah, as respostas para as 3 perguntas que fiz acima:

  1. Nenhum. Não foi Moisés, mas sim Noé quem colocou animais na arca. 🙂
  2. R$ 0,05. Se o bastão custa R$ 1,00 a mais e o preço dos dois juntos é de R$ 1,10, o bastão custa R$ 1,05 e a bola R$ 0,05. Se fosse R$ 0,10, o bastão custaria R$ 1,10, somando R$ 1,20.
  3. 494. Mas eu não calculei de cabeça. rs

E a referência para esses estudos estão no livro Thinking, Fast and Slow e no vídeo abaixo “Brain Tricks – This is How Your Brain Works“.

Continue lendo esse artigo para conhecer os gatilhos mentais.

Gatilho Mental #1 – Escassez: “Tive que perder para dar valor”

gatilhos-mentais-escassez

É comum ouvirmos alguém dizer que “precisou perder para dar valor”, especialmente no que diz respeito a relacionamentos afetivos.

Acredite, a mesma lógica funciona para os negócios. As pessoas costumam dar mais valor àquilo que é escasso.

Isto porque o inconsciente coletivo costuma associar que, quanto mais difícil for conseguir determinado objeto de desejo, mais raro e valioso ele é.

Além disso, estudos realizados por Daniel Kanheman (o mesmo do livro citado acima) e Amos Tversky, comprovaram que o sentimento de perda é muito mais forte do que o sentimento de ganho, sendo 1,5x – 2,5x maior.

E é fácil entender isso…

Você prefere ganhar um desconto de R$ 5,00 ou evitar um pagamento adicional de R$ 5,00?

Se você é como a maioria das pessoas, você prefere evitar um pagamento adicional de R$ 5,00…

Mas receber um desconto de R$ 5,00 não traria o mesmo resultado?

Sim!

Embora em ambas situações você economizasse R$ 5,00, na primeira você tem uma sensação positiva (ganhar um desconto), enquanto na segunda uma sensação negativa (evitar pagamento adicional).

As palavras são poderosas. E quando usadas para reforçar um gatilho mental, elas se tornam extremamente persuasivas.

Caso de Sucesso:

gatilhos-mentais-escassez-case

“Apenas um restante em estoque…”

A mente do consumidor automaticamente entra no estado “não posso perder”.

O gatilho da escassez é utilizado direto por sites de vendas, como a gigante Amazon.

Ao invés de tratar o baixo estoque de produtos como algo negativo, as empresas perceberam que colocar as pequenas quantidades restantes de um produto aumentaram as vendas.

Esse é um gatilho muito poderoso quando utilizado com integridade.

Como usar o gatilho mental da Escassez no seu negócio:

O gatilho da escassez é um dos mais poderosos. Quando o cliente não está totalmente seguro sobre comprar o seu produto, a possibilidade de não podê-lo mais adquirir o fará agir.

A partir do momento que você manda um email anunciando que é a última oferta, ou quando divulga um curso com “vagas limitadas”, o seu público tende a tomar uma decisão rapidamente e de forma automática.

Isso acontece porque ele será movido pelo medo inconsciente de perder aquela oportunidade que talvez nunca mais se repita.

Use essa estratégia não só em títulos, mas também oferecendo conteúdo exclusivo a um número restrito de pessoas.

Exemplo: oferecer um bônus apenas para os 20 primeiros que comprarem/ligarem.

Mas não se esqueça de estabelecer uma escassez real. Se o público perceber que você sempre usa este artifício apenas para chamar atenção, o efeito pode ser justamente o oposto.

Não passe a impressão de que as pessoas sempre têm que fazer as coisas quando você quer, apenas torne a decisão mais clara para elas.

Gatilho Mental #2 – Urgência: É agora ou nunca!

gatilhos-mentais-urgencia

O gatilho mental da Urgência é muito parecido com o da Escassez, mas está ligado ao fator tempo, pois o produto ou serviço têm um prazo limite para serem adquiridos.

É um gatilho muito efetivo porque uma das piores sensações para o ser humano é a impossibilidade de escolher. Depois que o prazo acabar, a única escolha da pessoa será ficar sem aquele produto ou serviço.

Como odiamos nos sentir impotentes, agimos o mais rápido possível. Afinal, adquirir um produto e se arrepender é menos pior que viver com a dúvida sobre a diferença que aquilo faria na sua vida.

Caso de Sucesso:

gatilhos-mentais-urgencia-case

O site de ofertas coletivas Groupon disponibiliza uma oferta aos visitantes com tempo definido.

O relógio está correndo e o cliente só pode aproveitar a oferta até um determinado e preciso horário.

Ver a mudança dos números no horário, principalmente nos últimos minutos, faz com que a sensação de perder uma oportunidade seja iminente, causando ansiedade ao visitante.

Baseando-se no gatilho de urgência, sites de ofertas coletivas e leilões ganharam uma grande força na internet.

Perceba também na imagem acima como eles utilizam outro gatilho mental logo abaixo do contador: “8842 comprados”. Você sabe qual é?

Falaremos dele adiante nesse artigo.

Como usar o gatilho mental da Urgência no seu negócio:

A procrastinação é um dos maiores vilões para qualquer tipo de negócio. (abordamos um guia completo sobre os vilões da produtividade aqui)

Os clientes adiam a decisão de compra e acabam desistindo dela. Mas ao usar esse gatilho, você ativará um comportamento impulsivo no seu cliente.

Isto porque quando algo demanda urgência, não pensamos muito, apenas agimos no ato inconsciente de nos resguardarmos de um perigo iminente. (no caso, o fato de nunca mais conseguir adquirir determinado produto)

Para ativar esse gatilho, você pode usar palavras e expressões que demandem uma resposta comportamental instantânea, como: “Só até hoje”, “Sua última chance”, “Hoje é o último dia”, “Imediato” e “Agora”.

Assim como na Escassez, use apenas quando o que você tem a oferecer realmente for urgente e finito. E o mais importante: sempre explique o porquê de ter um prazo limitado.

Quanto mais o motivo for verdadeiro e incontestável, mais esse gatilho mental será eficiente. De preferência, use-o associado a outros gatilhos, como o da reciprocidade.

Gatilho Mental #3 – Autoridade: Manda quem pode, obedece quem tem juízo

gatilhos-mentais-autoridade

Este é um gatilho bem peculiar, pois ao mesmo tempo que é muito eficaz, também pode ser nocivo se usado para o mal.

Houve um grande experimento realizado por Stanley Milgrim na década de 1960 (link da Wikipedia), no qual as pessoas estavam dispostas a castigarem outros participantes movidas pelas ordens de uma autoridade (um professor).

Toda vez que um dos participantes (um ator) errasse uma pergunta, o outro integrante do estudo (pessoa comum) deveria dar-lhe um choque. Os choques eram de mentira, mas o ator fingia estar sentindo cada vez mais dor, chorando e gritando.

Mesmo sentindo-se desconfortáveis com a situação, os participantes convidados cumpriam o que era mandado porque o ser humano tende a obedecer a quem ele julga como superior, por uma questão de respeito.

Então, se você quiser que as pessoas confiem em você e no seu trabalho, precisa posicionar-se como uma autoridade no nicho em que atua.

Caso de Sucesso:

“Quem usa Tigre é autoridade no assunto”.

Essa tagline tem como objetivo mostrar às pessoas que a marca em questão é a melhor escolha se tratando de tubos e conexões.

Quem sabe disso, é tratado como autoridade, é respeitado e levado a sério. Ao contrário, quem não entende sobre tubos e conexões e acredita que são todos iguais, simplesmente não é respeitado.

E assim acontece em qualquer negócio ou até situações comuns do dia a dia.

Se você vai a um hospital para visitar um familiar e um homem de calça jeans e camiseta fala com você, é diferente de quando uma pessoa com jaleco branco dá uma informação.

O simples fato de a pessoa estar vestida com um acessório característico da área médica já dá a ela a autoridade de falar como tal.

Enfim, transmita a ideia de que você é uma autoridade em seu nicho. E mais importante que isso: seja uma autoridade! Castelos construídos sobre areia não duram muito tempo. (tweet essa frase)

Como usar o gatilho mental da Autoridade no seu negócio:

Para usar este gatilho em seu negócio, é preciso mostrar que você entende bem sobre aquilo que se propôs a escrever ou explicar e posteriormente vender.

Sendo assim, antes de oferecer qualquer produto pago ao seu público, ceda materiais úteis e gratuitos.

Mostre às pessoas que você tem experiência no assunto, adquira a confiança delas e a autoridade será uma consequência, juntamente com a reciprocidade (gatilho que veremos adiante).

Se você já palestrou em algum evento, considere usar uma imagem sua dando essa palestra.

É incrível o poder que uma foto de uma pessoa segurando um microfone tem.

Inclusive, a página sobre do Viver de Blog possui uma imagem que reune algumas das palestras que já ministrei pelo Brasil.

Além disso, peça que especialistas do seu nicho gravem depoimentos sobre você e sobre suas habilidades.

Para tanto, por mais que você queira se posicionar como autoridade, sempre tenha humildade e respeito pelo trabalho de outras pessoas.

Cite as referências que você usa em seu trabalho, indique alguém capacitado quando você não dominar determinado assunto. Dessa forma, você construirá uma rede sincera de contatos qualificados.

Ou seja, conquistar autoridade não é tarefa fácil, mas através de um trabalho consistente e bem feito, ser visto como especialista é algo natural.

Dica: Se você já conquistou sua autoridade, não a jogue no lixo promovendo profissionais ou produtos os quais não confia plenamente. É a sua credibilidade que está em jogo. Fique atento a isso principalmente se você deseja trabalhar na internet. A confiança da sua audiência é seu bem mais precioso.

Confiança demora-se muito tempo para adquirir, mas pode acabar com apenas uma experiência negativa. E, não tenha dúvida, recuperar a confiança de alguém é muito mais difícil que adquiri-la pela primeira vez.

Gatilho Mental #4 – Reciprocidade: Gentileza gera gentileza

gatilhos-mentais-reciprocidade

O gatilho da reciprocidade é um dos mais importantes e é também a base do inbound marketing.

Isso porque temos uma tendência natural a querer retribuir àquilo ou àquele que nos gera valor de alguma forma. Mas é claro que precisamos perceber esse ato como algo espontâneo, feito de coração.

Por isso suas ações devem, primeiramente, objetivar tornar a vida das pessoas mais simples e, depois, gerar algum lucro para você. Não o contrário. As pessoas sentem isso.

Caso de Sucesso:

Eu desafio você a assistir esse vídeo sem esboçar um sorriso (ou deixar cair uma lágrima). 🙂

Não existe nada mais gratificante do que ver pessoas sendo gentis e ajudando outras pessoas sem intenção nenhuma de serem recompensadas…

Mas a própria rede “The Fifties” se sentiu na “obrigação” de retribuir, oferecendo uma sobremesa grátis pela gentileza gerada.

Nasce o nome da campanha: “Gentileza gera sobremesa”.

O objetivo é incentivar que o frequentador da lanchonete doe R$ 1,26 por mês pelo período de um ano ao Projeto Giramundo, iniciativa da ONG Cidadania Corporativa, que colabora com a inserção social de indivíduos com alguma necessidade especial de locomoção.

Não faça as coisas esperando uma recompensa, mas a vida sempre trata de retribuir as boas ações.

Como usar o gatilho mental da Reciprocidade no seu negócio:

A reciprocidade é o gatilho mais nobre e deve ser usado em qualquer negócio, mesmo aqueles que não usam uma estratégia de marketing de conteúdo.

Sempre ofereça materiais gratuitos para seu público. Até quando for vender algo, dê uma amostra grátis do seu produto ou serviço.

Assim, a pessoa ficará com a sensação de que está te devendo um favor e precisa retribuir de alguma forma, seja cadastrando o email na sua lista ou mesmo comprando um de seus produtos.

E o mais importante: tenha a reciprocidade como um hábito. Ela gera frutos para o seu negócio, mas os ganhos estão para além do que a ciência pode explicar.

A sensação de ajudar as pessoas e se sentir útil é imensurável. 🙂

Observação: Existe um gatilho que chamamos de reciprocidade inversa, mais conhecida como Efeito Ben Franklin, que é estimulado quando pedimos um pequeno favor possível a alguém.

Após a realização desse pedido, a pessoa passa a ter um sentimento bom por quem o pediu, mesmo em casos de inimizade.

Isso acontece porque a partir do momento em que a pessoa executou o favor, ela tem uma dissonância cognitiva.

Isto é, percebe que é incompatível a relação entre seus sentimentos anteriores e a ação de ajudar a quem pediu o favor.

Para ordenar ambas as cognições e resolver o conflito interno, a pessoa passa a gostar da outra justamente para que pensamento e atitude estejam em acordo.

Em seu negócio, este gatilho pode ser usado quando você oferece ao público a possibilidade de ajudar na resolução de algum problema em seus materiais (gratuitos ou pagos).

Para que a reciprocidade inversa funcione, certifique-se de:

  1. Pedir um favor simples e fácil de realizar aos leitores/clientes;
  2. Assegure-se de que seu pedido foi atendido;
  3. Agradeça sinceramente pelo favor feito;
  4. Não retribua o favor instantaneamente para que a dissonância não se esclareça;
  5. Continue tratando as pessoas para quem pediu o favor de maneira amigável para reforçar o sentimento.

Está gostando desse artigo? Então coloque seu email abaixo para se juntar a vários leitores inteligentes do Viver de Blog para receber novos conteúdos.

Fique atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Gatilho Mental #5 – Prova Social: Diga-me com quem anda…

gatilhos-mentais-prova-social

Jean-Paul Sartre já dizia: “O outro é nosso melhor espelho”. Sim, somos seres sociais e muitas das nossas atitudes baseiam-se no que as outras pessoas esperam de nós.

Além disso, temos necessidade de pertencer a grupos que nos identifiquem como indivíduos, dessa forma, a prova social é um gatilho muito poderoso.

Veja um exemplo do cotidiano. Se você tivesse que escolher entre dois restaurantes: um bem mais cheio, com uma fila de espera, ou o do lado, totalmente vazio… Qual escolheria?

Por mais que as pessoas não gostem de esperar, elas preferem não se decepcionar. Logo, pensamos: se o restaurante está cheio é porque é bom. E vice-versa.

Em um estudo realizado em 1968, Leonard Bickman, Lawrence Berkowitz e  Stanley Milgram analisaram 3 casos:

  • No primeiro, uma pessoa fica parada na rua olhando para o céu.  O resultado foi que, das pessoas que passavam pelo lugar, 40% também paravam e olhavam na mesma direção;
  • No segundo caso, duas pessoas estavam paradas olhando para cima e dessa vez 60% das pessoas paravam e olhavam na mesma direção;
  • Por último, 4 pessoas olhavam para cima e nesse caso, 80% dos pedestres pararam e também olharam para cima

gatilhos-mentais-prova-social-pessoas-olhando-ceu

A que conclusão nós chegamos?

Independemente do motivo (medo, curiosidade, hesitação), quanto mais pessoas optam por determinada opção, mais somos influenciados a tomar a mesma atitude.

Seja em relação à moda, alimentação, um aplicativo e etc.

Caso de Sucesso:

gatilhos-mentais-prova-social-case

Você já ouviu falar sobre Dubsmash?

Eu aposto que sim. Afinal, o aplicativo de dublagem viralizou sendo baixado mais de 20 milhões de vezes.

Essa é (ou era até o momento que estávamos escrevendo o artigo) a nova sensação do momento (até quando?), sendo usado por diversos famosos, gerando curiosidade e uma enorme prova social para o aplicativo.

Alguns famosos como Cléo Pires, Caio Castro, Cláudia Leite, entre vários outros, usaram esse aplicativo para publicar um vídeo em suas contas no Instagram.

Esse pequeno ato fez com que milhares de fãs o baixassem instantaneamente para gravarem seus próprios vídeos com ele.

As redes sociais são uma ferramenta explosiva para viralização e mostram como simples ideias podem cair no gosto popular rapidamente.

Conheça nosso infográfico sobre marketing viral.

Como usar o gatilho mental da Prova Social no seu negócio:

Para ativar esse gatilho em seu negócio, use depoimentos de clientes, números de pesquisas de satisfação, quantidade de unidades vendidas, imagens de pessoas usando seu produto ou serviço, engajamento nas redes sociais, número de leitores do site.

Um exemplo de prova social aqui no Viver de Blog é o infográfico sobre a Psicologia das Cores, com mais de 35.000 compartilhamentos sociais e o infográfico sobre Erros Gramaticais, que está a caminho dos 10.000 compartilhamentos.

Vale lembrar que o gatilho da prova social está intimamente ligado ao da autoridade. Se você conseguir gravar depoimentos de pessoas famosas ou especialistas falando bem do seu produto, o efeito certamente será otimizado.

Além disso, dê a mesma atenção às críticas que recebe. Hoje em dia, antes de adquirir um produto ou serviço, as pessoas procuram pela opinião de terceiros em diversos sites.

Não negligencie as reclamações, pelo contrário, faça delas uma oportunidade de se aproximar das pessoas que compraram alguma coisa de você.

Se você for cordial e procurar resolver o problema, certamente o consumidor levará isso em consideração.

Gatilho Mental #6 – Porque: “Não são as respostas que movem o mundo, são as perguntas”

gatilhos-mentais-porque

Por mais que nossas decisões sejam tomadas no âmbito do inconsciente, nossa mente sempre procura respostas racionais para justificar nossas ações.

Mesmo em situações em que não há nenhuma justificativa inerente, nosso cérebro busca algum significado.

Talvez por isso muitas vezes as pessoas recorram ao sobrenatural para explicar determinados fatos.

Podemos perceber que esse questionamento faz parte da essência humana quando vemos crianças de apenas 3, 4 anos perguntando o motivo de uma série de situações estranhas a elas.

Em seu livro Influence, Robert Cialdini analisa um estudo realizado sobre os pedidos de uma pessoa para passar à frente em uma fila de xerox.

Os testes examinaram como diferentes solicitações podem afetar a disposição das pessoas para permitir que este indivíduo fure ou não a fila.

No primeiro teste, o participante disse: “Desculpa, tenho cinco páginas. Posso usar a máquina de xerox?”

Neste cenário, cerca de 60% das pessoas permitiram que ele furasse fila e usasse a máquina antes delas.

Na segunda situação, a solicitação foi ligeiramente alterada. Desta vez, o participante disse: “Tenho cinco páginas. Posso usar a máquina de xerox porque estou com pressa?”

Você percebeu a sutil diferença entre os dois pedidos?

Vamos decompô-lo: Não foi apenas a solicitação minimamente alterada, mas sim o “porque” (o motivo) que fez a diferença para que ele furasse fila.

“Porque eu estou com pressa” não é uma boa desculpa para a maioria de nós. Mesmo assim, cerca de 94% das pessoas deixaram que ele furasse a fila desta vez.

Se você acha estranho, vamos à solicitação usada no terceiro e último teste:

“Desculpe-me, tenho cinco páginas. Posso usar a máquina de xerox porque eu tenho que fazer cópias?”

É uma justificativa insuficiente para que as pessoas deixassem o participante furar fila, afinal, todo mundo ali quer tirar cópias.

Apesar disso, 93% das pessoas permitiram que ele passasse na frente, apenas 1% a menos que no caso anterior, porém,  33% a mais que no primeiro teste, no qual não há um porquê.

Cialdini explica que se trata de um princípio bem conhecido do comportamento humano.

Quando pedimos a alguém para nos fazer um favor, a chance de ser bem sucedido se torna muito maior quando oferecemos um motivo.

As pessoas simplesmente gostam de ter razões para o que elas fazem.

Sendo assim, sempre busque justificar o que você está fazendo. Quanto mais verdadeiro e genuíno for seu argumento, maiores serão as chances de seu público confiar em você.

Caso de Sucesso:

Essa campanha do Esporte Clube Vitória, de 2012,  foi tão convincente, que além de alcançar seu objetivo, também conquistou dois leões de ouro e dois de prata no Festival Internacional de Criatividade Cannes Lions.

Este é o prêmio máximo da publicidade, o reconhecimento mundial da campanha mais premiada feita por um clube de futebol.

E, se você gosta de futebol e possui um time do coração, certamente ficaria sensibilizado caso ele mudasse, de uma hora para outra, as cores da bandeira, o escudo ou qualquer outro elemento que o caracterizasse como aquele time.

Foi pensando nisso que o Vitória, time tradicionalmente rubro-negro, tirou o vermelho da camisa dos jogadores e a cor só voltaria aos uniformes conforme os estoques de sangue do Hemoba, hospital de Salvador, aumentassem.

Com menos de duas semanas de campanha lançada, o número de doações havia aumentado 46%.

Sabemos que a prática de doar sangue é necessária, mas muitas vezes precisamos estar com um ente querido necessitando de doações para despertamos para isso.

Nesse caso, o amor pelo futebol falou alto e, mais que isso, o amor pela camisa e pela história do clube.

O tema “O Vitória só depende do torcedor para voltar a ser rubro-negro” mostrou como um bom motivo é o divisor de águas entre uma campanha comum e uma campanha épica.

Como usar o gatilho mental do “Porque” no seu negócio:

Na sua demonstração de vendas ou/e marketing, coloque o motivo de você estar oferecendo algo, isso saciará a mente consciente da pessoa.

Exemplo: Eu acredito que toda pessoa pode viver de blog porque todo mundo possui uma habilidade única que o mundo precisa conhecer através de um blog/site na internet.

Nessa página sobre o blog, explico o “porquê” do Viver de Blog, assim como os benefícios de ler esse blog e se cadastrar na nossa lista de emails.

Tente analisar sua ação de vendas com o olhar do público e responda a todas ou principais objeções sobre seu produto ou serviço.

Quando usar os gatilhos de urgência e escassez, procure explicar porque seu curso oferece vagas limitadas ou porque seu produto só será vendido até o dia seguinte.

Caso não exista uma explicação, geralmente as pessoas desconfiam que é apenas uma estratégia de venda.

E mais importante que isso: se você disse que as vendas se encerrarão amanhã, elas devem se encerrar amanhã e ponto final.

Mais a frente veremos no gatilho sobre Compromisso e Coerência como as pessoas valorizam a concordância entre o que falamos e o que fazemos.

Gatilho Mental #7 – Antecipação: “A melhor forma de prever o futuro é criá-lo” (Alan Kay)

gatilhos-mentais-antecipacao

Quando você vai ao cinema e assiste a um trailer empolgante que mexe com as suas emoções, fica ansioso pela estreia daquele filme.

Este é o gatilho da antecipação, sem dúvida uma gatilho muito poderoso, pois mexe com as nossas expectativas em relação ao futuro.

Algumas pesquisas indicam que projetar o futuro e o apresentar às pessoas ativa partes do cérebro ligadas à felicidade.

Provavelmente porque o futuro é incerto e nos sentimos confortáveis com boas perspectivas.

Em relação aos negócios, é importante arquitetar um cenário favorável, preparando o terreno para o que está por vir. No caso, um produto ou serviço.

Ao anunciarmos algo que está por vir, é preciso mostrar suas funcionalidades e como ele pode ajudar as pessoas, tocando nas dores e desejos dela.

Quando isso é bem feito, mesmo quem não precisa do produto sente-se atraído por ele.

A (boa) publicidade mexe com nossa imaginação, e muitas vezes o ato de desejar determinada coisa acaba sendo mais prazeroso que possuí-la.

De qualquer forma, com as expectativas elevadas, estaremos propensos a realizar uma compra quando a mesma estiver disponível.

Caso de Sucesso:

A Apple é uma empresa mestre em usar o gatilho da antecipação. Não é à toa que todo ano organiza um evento exclusivo para anunciar as novidades da empresa.

Além dos eventos que são divulgados para todo o mundo, a empresa possui estratégias para cada produto específico.

Mas todas guardadas em segredo, criando um ar de mistério sobre quais serão os próximas passos dessa empresa.

No vídeo acima chamado “reveal”, ela apresentou o Apple Watch em setembro de 2014, mas que só foi lançado em abril de 2015 (em alguns países).

A antecipação criada para comprar um relógio desses foi enorme e, no momento que escrevo esse artigo, ainda é muito difícil conseguí-lo. (se você tiver um, compartilhe com a gente nos comentários)

Embora todos os produtos da Apple sejam lançados usando fortemente o gatilho da antecipação, o produto abaixo possui elementos clássicos de um trailer:

  • Pouca informação ou informação incompleta sobre o produto
  • Música envolvente
  • Data de lançamento do produto
  • Logo da empresa no final

Inclusive, vi esse trailer em um cinema aqui no Rio.

Como usar o gatilho mental da Antecipação no seu negócio:

Para usar este gatilho em sua estratégia, planeje o lançamento do seu produto e comece a fazer a publicidade, soltando informações ou dicas sobre ele, semanas ou meses antes do lançamento.

Temos o costume de usar o termo “seeding” para essa estratégia. Ele significa “semear”. É como se você estivesse semeando o terreno para o que está por vir.

Você pode realizar webinários, entrevistas com especialistas na área, escrever um artigo mostrando um pouco da sua história e até mesmo criar um trailer para o seu produto que será lançado.

Se for possível, peça a pessoas influentes para comentarem sobre o produto que está por vir.

Dessa forma, você estará formando uma comunidade de pessoas ansiosas para comprar seu produto, especialmente se já houver uma demanda latente por ele.

Ah, não esqueça que na próxima semana traremos mais 8 gatilhos mentais para completar a lista dos 17. Basta ficar de olho na sua caixa de email. 🙂

Gatilho Mental #8 – Novidade

O homem é um animal que adora tanto as novidades que se o rádio fosse inventado depois da televisão, haveria uma correria a esse maravilhoso aparelho completamente sem imagem – Millôr Fernandes

gatilhos-mentais-novidade

As pessoas adoram novidades. Em termos neurológicos, quando somos expostos a algo novo, há um aumento na liberação de dopamina, neurotransmissor responsável pela sensação de prazer.

Apesar de coisas familiares gerarem certa tranquilidade, a novidade nos tira da zona de conforto e nos motiva a buscar pela recompensa associada a ela.

Empresas de tecnologia e de automóveis usam esse gatilho frequentemente. Afinal, a cada ano, somos expostos a um novo modelo de celular, televisão, carro.

Embora muitas vezes as diferenças entre os modelos sejam extremamente pequenas, trocamos os objetos antigos pelo simples prazer de estar usando algo moderno, inovador e, como quase sempre deduzimos, melhor.

Caso de Sucesso:

Você já ouviu falar em self-driving cars?

São carros em que não apenas o câmbio é automático, mas todo ele é automático.

Eles dirigem por conta própria, com uma segurança estatística muito maior do que nós seres humanos.

O vídeo acima mostra a Mercedes F 015, carro que muitos especialistas chamam de “o carro do futuro”.

Não é à toa que a quantidade de tecnologia utilizada nesse carro é enorme.

Afinal, o gatilho da novidade tende a andar muito próximo da inovação e tecnologia.

Não poderia deixar esse comercial fora da lista de gatilhos mentais.

Afinal, ele é considerado por muitos, o melhor e mais inovador comercial já produzido, de título “1984”.

Com forte storytelling (inimigo público comum) preferimos deixá-lo na categoria novidade, já que um computador pessoal foi uma das maiores inovações de nossa era.

A campanha ganhou inúmeros prêmios, que você pode conferir junto com várias outras informações nessa página da Wikipedia.

Como usar o gatilho mental da Novidade no seu negócio:

Em seu negócio, você pode usar este gatilho incluindo, de tempos em tempos, uma atualização em seu produto ou serviço.

Mas sempre atualizações significativas, que façam ter sentido adquirir a nova versão.

Além de estar usando um atalho mental poderoso, você não corre o risco de se tornar obsoleto em relação ao mercado em que atua.

E, de fato, com a velocidade com que coisas novas são descobertas, é cada vez mais necessário buscar atualização.

No marketing digital, por exemplo, isto é notório, porém, vale para a maioria dos nichos.

Esse foi um dos motivos da ampla aceitação do infográfico sobre Instagram que publicamos aqui no blog.

Falamos sobre novidades, curiosidades e ajudamos o leitor/visitante a se atualizar sobre os números do Instagram, as hashtags mais usadas, aplicativos para edição de imagens e vídeos e muito mais.

Extra: Quando você lança um produto, seja online ou off-line, poucas vezes no ano, além de estar usando o gatilho da novidade, também está ativando a escassez.

Associar este dois mecanismos no seu negócio fará com que as vendas aumentem consideravelmente.

Está gostando desse artigo? Então coloque seu email abaixo para se juntar a vários leitores inteligentes do Viver de Blog para receber novos conteúdos.

Fique atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Gatilho Mental #9 – Relação Dor x Prazer

O prazer nos visita algumas vezes, mas a dor agarra-se cruelmente a nós – John Keats

gatilhos-mentais-dor-prazer

O ser humano sempre guia suas ações sob a lógica de evitar a dor e alcançar o prazer.

Sendo assim, esse gatilho mental é extremamente importante, pois se baseia naquilo que orienta toda e qualquer ação que tomamos.

Vale lembrar que, instintivamente, as pessoas são mais propensas a se afastarem da dor do que a se aproximarem do prazer.

Isso porque geralmente associamos a falta de dor e sofrimento a uma consequente sensação de prazer ou, no mínimo, de estabilidade e segurança, especialmente emocional.

Para usar este gatilho, é necessário saber quais são as maiores dores e desejos do público-alvo, já que nem todas as pessoas possuem problemas e prazeres semelhantes.

Caso de Sucesso:

Ryan Grepper é o criador do Coolest, um gadget que veio revolucionar o conceito de cooler, acabando com todas as objeções de pessoas que gostam de passear ao ar livre.

O produto é equipado com uma bateria recarregável de 18 volts, que traz um liquidificador embutido e entradas USB para recarga de outros aparelhos, como celulares e laptops.

Com capacidade para cerca de 55 litros, o Coolest tem ainda alto-falantes à prova d’água com conexão Bluetooth e luzes de LED que iluminam seu interior e também um abridor de garrafas do lado de fora.

Além disso, as rodas do Coolest são duas vezes mais largas que o normal, fazendo com que ele se locomova mais facilmente na areia.

O produto ainda oferece vários outras funcionalidades. Assista ao vídeo e veja se, mesmo não sendo o tipo de pessoa que usa cooler, você não vai sentir vontade de comprar um!

P.S.: O produto já arrecadou, desde a metade de 2014 até agora, nada mais nada menos que U$13 milhões!

Como usar o gatilho mental da Relação Dor x Prazer no seu negócio:

Para ativar este gatilho em suas vendas, você deve levar em consideração o fato de as pessoas se preocuparem mais em afastar o sofrimento do que obter satisfação.

Sendo assim, em primeiro lugar, apresente as soluções que seu produto ou serviço oferecem para os problemas dos clientes.

Foque na dor das pessoas, fale sobre cada aspecto negativo daquele incômodo e como aquilo tem atrapalhado a vida do seu público-alvo.

Apresente seu produto como a resolução definitiva e só depois disso, mostre como as pessoas desfrutarão do que você tem a oferecer.

Isto é, apenas depois de mostrar os problemas e as soluções é que você deve relacionar seu produto a algo prazeroso.

Faça isso usando palavras negativas para a primeira etapa de vendas (caso seja um vídeo, mostre isso na sua expressão). E, em seguida, usar palavras associadas à felicidade, ao prazer.

Extra: Se você quiser ver na prática como utilizamos esse gatilho em um vídeo de venda, veja a página do nosso tema premium para WordPress chamado Épico.

Você consegue identificar todos os gatilhos mentais nesse vídeo?

Recapitulando os 9 Gatilhos Mentais:

gatilhos-mentais

Até agora, os gatilhos mentais apresentados para você dominar a arte da persuasão e aumentar suas vendas foram:

  1. Escassez
  2. Urgência
  3. Autoridade
  4. Reciprocidade
  5. Prova Social
  6. Porque
  7. Antecipação
  8. Novidade
  9. Relação Dor x Prazer

Na segunda parte do artigo, completaremos esse material mostrando mais 8 gatilhos mentais indispensáveis à sua estratégia de marketing. Um deles, inclusive, é muito eficaz na vida afetiva. 😉

Persuasão x Manipulação

Persuasão x Manipulação

Depois de tanto falarmos sobre persuasão e gatilhos mentais, precisamos deixar bem claro a diferença entre persuasão e manipulação.

O ato de persuadir é totalmente diferente do ato de manipular.

Persuadir é um incentivo para a outra pessoa reconhecer que a ação tomada por ela é o melhor caminho de acordo com seus objetivos.

Manipular é fazer essa pessoa tomar uma decisão sem estar consciente de que ela está alinhada com seus maiores interesses ou até mesmo contra sua própria força de vontade.

Um marketing inteligente é aquele que apresenta uma oportunidade e a própria pessoa conclui que seguir essa ideia é o melhor caminho para ela.

Portanto, ao invés de forçar uma venda, busque apresentar conceitos como:

  • Oportunidade
  • História
  • Chamada para ação

Dessa forma, você estará praticando o novo marketing. Aquele que usa técnicas de persuasão e não manipulação.

Conclusão:

Para concluir o artigo, é importante advertir sobre o cuidado em utilizar o seu poder de persuasão através dos gatilhos mentais.

Para atingir seus objetivos, pense em longo prazo, aja com ética e sempre entregue o que foi prometido.

Quando mentimos e utilizamos os gatilhos mentais apenas para benefício próprio, estamos manipulando as pessoas, não persuadindo.

Pode funcionar por um tempo, mas a mentira sempre se volta contra nós. Inclusive no meio digital, onde muitos acham que é “terra sem lei”.

Lembre-se: A persuasão é a capacidade de entender o que o seu público pensa e deseja e se comportar de forma que os seus objetivos se alinhem a esses desejos e vice-versa.

Para que o ato de persuadir dê certo, as pessoas devem fazer o que você pede e se sentirem bem. Isso criará um vínculo entre vocês que facilitará o relacionamento entre ambas as partes.

Caso tenha gostado do artigo, compartilhe-o nas redes sociais e não deixe de ler a segunda parte.

Ela será publicada na próxima semana, sendo diretamente enviada para sua caixa de email. Caso ainda não esteja em nossa lista, inscreva-se logo abaixo.

Atualizado: Clique aqui para ler a parte 2 sobre gatilhos mentais.

Tem algum gatilho que você não conhecia ou sabe de um caso de sucesso que usou um desses gatilhos mentais? Escreva nos comentários. Vamos adorar saber!

Conteúdo VIP

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Sobre o autor

vive exclusivamente de blog desde seus 23 anos e quer ajudar você a Viver de Blog também. Saiba mais aqui →

  • Carla Basílio

    Esse artigo confirma o novo posicionamento e também o novo slogan do Viver de Blog: mais que um blog, um estilo de vida.

    Mais que marketing (digital), é psicologia, publicidade e propaganda, relações interpessoais, autoconhecimento, empoderamento, é tudo.

    Que seja muito útil assim como foram todos os outros até aqui, que faça diferença na vida de quem o ler.

    E vale lembrar que a parte II está tão boa quanto essa (ou quem sabe melhor?). Fica a dica. 😉

    • Ótimo comentário, amor!

      O artigo deu um trabalho para ficar pronto, mas é uma alegria enorme vê-lo publicado e sendo bem recebido.

      Foram boas semanas de muita pesquisa, escrita, revisão e atenção aos mínimos detalhes.

      Esse é o resultado de duas pessoas perfeccionistas trabalhando juntas. 🙂

      Que venha a parte II com os demais gatilhos.

      To ansioso para publicá-los aqui. Os novos cases estão demais!

      Beijos!

      • Carla Basílio

        Aquelas nossas conversas sobre campanhas publicitárias marcantes veio muito bem a calhar.

        Os cases são incríveis e renovam nossas esperanças na publicidade. Mais que vender, ela precisa encantar, fazer o cliente se apaixonar pelo produto e pela perspectiva do futuro.

        Que essas sirvam de exemplo especialmente pras pessoas que criam propagandas de cerveja e as da Marisa. rs

        Beijo!

  • Tiago Sousa

    Mais um fabuloso artigo aki no Viver de Blog. #simplesmente #fantástico

  • Fernando Silva

    Opa Henrique, parabéns pelo texto. Acabei de assistir ontem seu Hangout na Resultados Digitais e começo agora a implementar vários de seus conceitos no meu blog. Queria aproveitar para lhe fazer uma pergunta: a maioria dos bolgs hoje contém apenas texto, coisa que você mostrou ontem que precisa evoluir, precisamos de mais imagens. Os seus infográficos, seus desenhos, slides é você mesmo quem faz? Usa algum programa em específico para criá-los?

    • Oi Fernando, tudo bem?

      Ótima pergunta.

      Mesmo um artigo no formato tradicional (texto + imagens), acredito que as imagens precisam ser muito bem escolhidas ou produzidas.

      Elas ajudam a quebrar o conteúdo, transmitir rapidamente uma ideia e criar um ativo para o seu blog.

      Nesse artigo, preferimos produzir as imagens com ajuda de um designer profissional para cada gatilho mental, já que essas imagens representam um ativo para nós, podendo ser compartilhadas em redes sociais, usadas em vídeos futuros e até mesmo em palestras/webinários.

      Abraços!

  • Marcio Eugenio

    A N I M A L! Me conta uma coisa Henrique… Esse é o primeiro post que tu usa videos, alguma tecnica secreta? Ou mais um gatilho mental?
    Compartilha com a gente ai, pois esse é o teu primeiro post com videos… Até onde eu sei…

    • Carla Basílio

      Márcio, os vídeos são fundamentais para ilustrar os cases nesse post e mais importante que isso: colocá-los no artigo evita que as pessoas vão pro YouTube e nunca mais voltem. rs

    • Fala Marcio, tudo bem?

      Já publiquei outros posts com vídeos, como esse:

      http://viverdeblog.wpengine.com/design-para-conversao/

      Mas nesse artigo, o objetivo é o que a Carlinha falou abaixo: ilustrar cases e evitar que as pessoas se percam no Youtube com vários vídeos.

      Vídeos também ajudam a aumentar o tempo de permanência da visita no site, o que é ótimo, inclusive, para SEO. 🙂

      Abraços!

      • Marcio Eugenio

        Bah! Não lembrava desse artigo!
        Saquei a questão dos videos! Valeu cara!

        PS: Nesse momento acabei de terminar o meu primeiro artigo estilo “Henrique Carvalho”, quando eu publicar ele te mando para tu dar uma olhada. 🙂

        • Opa, que ótimo saber, Marcio!

          Manda sim. Todo artigo épico merece uma boa lida. 🙂

          Abração!

  • Dafna Obadia

    Fantástico, parabéns pelo artigo e obrigada pelo material!

  • Antonio Neres

    G-E-N-I-A-L, vender é mais do que convencer o prospecto a comprar, mas uma relação de troca, onde todos ganham, e persuadir é a arte de ajudar o prospecto a dizer sim para ele mesmo, grande artigo mestre HC, grande artigo Carla.

  • Este artigo é simplismente épico! Além de citar os gatilhos mentais (ainda há outros a serem abordados), explicou como cada um funciona, mostrando como são utilizados também na prática e ainda aconselhando a usá-los de maneira ética. Parabéns pelo trabalho e gratidão por compartilhar os ensinamentos!

    Grande abraço e sucesso sempre!

    • Muito obrigado, Fabio!

      Artigos épicos são nossa maior meta aqui no Viver de Blog.

      “Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”.

      Por isso, o alerta sobre usar os gatilhos de forma ética é fundamental para todos nós, principalmente porque estamos no nicho de marketing digital.

      Forte Abraço e sucesso!

  • William Costa

    Outro grande (no sentido qualitativo, porque em tamanho ficou ideial) seu, Henrique. Meus parabéns! Já utilizo algumas em meu projeto, mas agora irei adicionar mais. Vlw!

    • Muito obrigado, William!

      O artigo possui 5.888 palavras. Bem dividido, ajudando a leitura.

      Sucesso com seu projeto.

      Abraços!

  • Pois é Henrique.. esse é mais um daqueles artigos que você vai precisar investir um enorme tempo respondendo os comentários… rsrs o artigo foi simplesmente SENSACIONAL! PARABÉNS!!!!

    • Oi Marlo!

      Obrigado pelo comentário. Fico feliz que tenha gostado do artigo.

      São os comentários que motivam a gente a procurar sempre evoluir e entregar nosso melhor.

      Por isso, é uma honra recebê-los, assim como comentá-los.

      Abraços!

  • Eduardo Teles

    Parabéns Henrique! A cada artigo que leio, além de enriquecer os meus conhecimentos, me torno mais admirador de seu blog e sua forma simples e direta de transmitir oque pensa.

    • Muito obrigado, Eduardo!

      Simplicidade não é fácil de alcançar, mas buscamos fazer nosso melhor para trazer artigos épicos aqui no Viver de Blog.

      Abraços!

  • Emerson Alves

    Cara o que dizer se não PARABÉNS!!! Mais um artigo genial! Tenho lido muito ultimamente sobre gatilhos mentais, mas esse artigo foi muito esclarecedor. Muito bom mesmo!

    • Muito obrigado Emerson!

      Procuramos escrever o melhor conteúdo possível sobre gatilhos mentais.

      E ainda falaremos de mais 8 no próximo artigo da semana que vem.

      Abraços!

  • Boa HC. O que achei melhor dessa vez foram os “case de sucesso”. Isso pra mim fez toda a diferença nesse post…
    Abraço!

    • Oi Helton!

      Fico feliz demais que tenha curtido os casos de sucesso.

      Eu e a Carlinha ficamos um baita tempo procurando e garimpando o que julgamos ser os melhores para ilustrar cada gatilho mental.

      Forte Abraço!

  • Fantástico!
    Obrigado por criar um lugar onde podemos aprender de post em post.
    Continue a sua missão que estaremos aqui para acompanhá-lo. Obrigado!

  • Sergio

    Fantástico post. Pela primeira vez leio um artigo que nos transmite a sensacao de que estamos aprendendo e nao apenas sendo manipulados, como ocorre com a torrente de e-mails que entulham minha caixa postal, com a mal disfarçada utilizacao dessa tecnicas, para nos vender algum produto milagroso. Texto primoroso!

    • Muito obrigado pelo comentário, Sergio!

      Fico feliz que tenha gostado. Fique à vontade para participar das conversas aqui nos comentários do Viver de Blog, combinado?

      Forte Abraço!

  • Rodrigo Castro

    Estamos nos perdendo… O marketing de afiliados (ou de produtos) está com o mesmo discurso de seguradoras: persuadir, induzir, convencer de algo que pouco/não se precisa. Ou seja, utilizando o discurso de “fazer o que se ama”, liberdade, nômades digitais, para na verdade virar vendedor. Acabou o foco no conteúdo. Conteúdo is dead. Persuadir is the king. Triste…

    • Carla Basílio

      Discordo, Rodrigo.

      Aliás, você leu o texto ou se prendeu ao título?

      Falamos justamente o contrário nele, incentivamos que as pessoas se doem muito mais do que vendam. Nós mesmos demoramos cerca de duas semanas elaborando o conteúdo, totalmente gratuito, assim como a maioria aqui no site.

      Mas seja no marketing tradicional ou de conteúdo, a questão é que ninguém vive só de conteúdo gratuito. Todos têm suas contas para pagar. E vender sem ser intrusivo e inconveniente é sim o caminho para se tornar amigo do cliente.

      O marketing de conteúdo é baseado no que as pessoas amam justamente para ser feita uma parceira entre produtor e público, não uma emboscada. Como disse muito bem o Antonio aqui nos comentários: “Persuadir é a arte de ajudar o prospecto a dizer sim para ele mesmo”.

      Espero que você entenda o verdadeiro sentido dessa palavra e faça bom uso em seus negócios.

      Abraços.

      • Rodrigo Castro

        Oi Carla,

        Eu li o artigo sim. Dizer “use para o bem”, “seja ético” e “não se aproveite” em se tratando de persuasão e convencimento não tira o fato do objetivo ser empurrar algo para alguém comprar. Minha crítica está no excesso do uso atual destas práticas, justamente estas práticas. Vide a Empiricus. Vide todos que estão querendo fazer fortuna com a Fórmula de Lançamento. Vide todos os discursos das técnicas infalíveis e miraculosas de emagrecimento dos cursos online. Vide todo o sucesso que você vai obter na vida com o ebook sobre propósito de vida.

        Meu sentimento é que esculhambou. Antes o foco era conteúdo, fidelização, aumentar as páginas por sessão, diminuir o bounce rate. A monetização era consequência do seu trabalho como produtor, não como vendedor. Agora o foco está nos leads, nos 5 dígitos por mês, nos 6 dígitos por ano. Não conheço o que vendo, o importante é vender porque a comissão é boa.

        Não defendo trabalhar de graça, não quero que a internet seja altruísta, mas a partir do momento que você tem que convencer ou persuadir alguém, deixou de ser uma relação ganha-ganha.

        Rods

        • Carla Basílio

          Somos responsáveis apenas pelo que escrevemos, Rodrigo, não pelo que as pessoas entendem e interpretam. Convencer alguém de fazer algo, de maneira sutil, é justamente o contrário de “empurrar um produto”.

          Mas acredito que desde os primórdios, o marketing de conteúdo buscou vender alguma coisa. Mas nunca teve a venda como objetivo principal, como fim em si. O problema é que hoje têm muito mais pessoas usando essa estratégia e na maioria das vezes não são nada originais, o que dá a sensação de ser, realmente, algo forçado para venda.

          Eu entendi seu sentimento, só achei indigno falar isso justamente aqui no Viver de Blog, site referência em conteúdo gratuito e de qualidade.

          Aqui o relacionamento com as pessoas está em primeiro lugar. Mas a partir do momento que vendemos algo (seja nosso ou como afiliado), precisamos usar persuasão. Da mesma forma que a usamos em qualquer situação do dia a dia na qual queremos convencer alguém, mesmo não tendo nada a ver com marketing.

          Abraços.

    • Rodrigo Ramos Santiago

      Concordo Rodrigo, é por isso que hoje em dia todo mundo acredita que pode fazer um infoproduto. Só produzir um ebook e convencer os outros a comprar, os caras persuadem melhor do que produzem.

  • lucas

    Show Henrique! Como sempre fazendo artigos de qualidade. Parabéns!

  • Alexandre Henrique Souza

    Muito bom HC! Vou incluir a distinção entre Manipulação X Persuasão em meu treinamento presencial! Me permite? 🙂

    • Claro, Alexandre!

      Quanto mais pessoas souberem dessa diferença, teremos um mundo melhor e mais ético.

      Forte abraço e sucesso!

  • BRUNA ARAUJO

    Gatilhos mentais são usados constatante e inconscientemente por todo mundo em algum momento do cotidiano.Só fica chato quando algumas pessoas,principalmente ligadas ao mkt digital,usam dessa ferramenta para tentar convencer o povão a executar alguma ação.A maioria deles são chatos,não tem conteúdo bacana e relevante,enche o saco,entopem a caixa de e-mail das pessoas com emails inúteis,com títulos do tipo:talvez seja sua ultima chance.Tem pouquíssimas pessoas que estão usando essas técnicas de forma honesta e verdadeira.
    Não vou longe,a enxurrada de e-mail que recebi esses dias da formula de lançamento não me deixa mentir…Tenho certeza que alguém aqui recebeu também.Olha,o blog de vcs realmente transmite um conteúdo de qualidade e que agrega alguma coisa na vida das outras pessoas.Quando forem produzir algo mantenham essa essência,ok?Agora,se alguém aqui, tiver interesse em utilizar esses gatilhos pra promover alguma coisa,que essa “coisa”, tenha qualidade e enriqueça a vida das pessoas.Não se torne um “infochato” !!!!!No mais,vcs são ótimos,Dedico sempre um tempo pra ler as coisas de vcs!Abraços

    • Obrigado pelo comentário e por reservar um tempo para ler os nossos artigos, Bruna.

      A qualidade do conteúdo está sempre em primeiro lugar.

      Abraços!

  • Marcos Motta

    Muito Foda ! Dizer que é muito bom ( a meu ver) é pouco .. Sensacional Cara ! Vou ler muito.. abraço até a próxima o/ .

    • Obrigado, Marcos!

      Espero que as dicas no artigo possa ajudar você no seu caminho.

      Abração!

  • Neto

    Henrique boa noite. Primeiramente parabéns pelo seu ótimo trabalho. O seu blog está os melhores desse país. Mas vamos lá. Com a mudança a um tempo atrás do Gmail com o acréscimo das abas Social e Promoções, todos os seu emails são “jogados” nesta última. Os emails que envio a partir do Mailchimp para meu público também são “jogados” nesta pasta.

    Já procurei soluções para isso e nenhuma deu certo e percebo que se você tentou algo também não funcionou, pelo menos para mim.

    Eu gostaria de saber sua opinião sobre isso.

  • Maílson

    Genial! Tu explicas as coisas de forma simples e prática. E é conteúdo simples e prático que buscamos. Parabéns pelo trabalho!

  • Cecatto

    Parabéns, ficou muito intuitivo e leve de ler, as passagens de videos junto ao texto fico sensacional, abusou da criatividade creio que isso que nós trás aqui a cada poster.
    A qualidade do conteúdo sempre surpreende!!!

    • Obrigado Cecatto!

      Fico muito feliz pelo seu comentário sobre criatividade.

      Escolher os vídeos para ilustrar cases de sucesso não foi uma tarefa fácil, mas acreditamos que valeria o esforço.

      Forte abraço e sucesso!

  • Ótimo artigo!
    Só na parte das contas que.. bem, sou de humanas! kkk Brincadeiras à parte, só fiquei com uma dúvida.
    No item 4 da reciprocidade, você coloca que “Não retribua o favor instantaneamente para que a dissonância não se esclareça”.
    Pretendo fazer uma pesquisa no meu blog para conhecer o público, o que gostam, etc. Sei que muita gente tem preguiça de responder, mesmo que sejam poucas perguntas, e estive pensando em, assim que a pessoa que a pessoa responder e clicar em enviar no formulário, ela é redirecionada para fazer download de algum tipo de freebie (uma espécie de agrado). Você aconselha a fazer isso?
    Abraços!

    • Carla Basílio

      Olá.

      Pelo que vimos nos casos de reciprocidade inversa, não é aconselhável que você faça isso. A chave desse gatilho é que, ao perceber que o favor gerou alguma consequência, a pessoa que o realizou vai passar a ter um sentimento de empatia por você, tornando-se mais próxima, já que influenciou positivamente no seu negócio.

      Um exemplo clássico desse gatilho é quando somos solicitados a relatar problemas ou prestar informações sobre aplicativos que fecharam inesperadamente por algum tipo de erro. Sempre aparece aquele aviso: “Deseja relatar este erro?” ou “Ajude-nos a melhorar nosso sistema relatando o que ocorreu”.

      Ao fazermos isso, recebemos o agradecimento pela nossa contribuição, que irá colaborar na melhoria e no aperfeiçoamento do produto. Ou seja, os problemas que nos causaram estresse ou até raiva vão se converter em sentimento de solidariedade, à vezes até de prazer por fazer a pessoa se sentir útil.

      Agradeça aos participantes da pesquisa. O retorno para eles virá quando você colher os resultados e transformá-los em melhorias para o seu negócio.

      Abraços.

      • Muito obrigada pela atenção, Carla!
        Abraços e sucesso! 🙂

  • Paulo Eduardo Carlim

    Muito bom! Parabéns!

  • Fábio Sabino

    Muito bom conteúdo, espero poder utilizar nas minhas próximas prospecções. Deus vos abençoe!

    • Obrigado, Fábio!

      Forte Abraço!

    • Pedrao

      so que o artigo podia ser menor! ta grande de mais e com imagens pesadas! vou ver se consigo ler, mas muito enrolado e esse inicio de moeda? aff

  • Andre Lima

    Muito bom artigo Hernique! É por isso que você tá fazendo tanto sucesso… excelente qualidade…

    • Grande, Andre!

      Obrigado pelo comentário, amigo. Gratidão ter você por aqui.

      Ansioso para nosso próximo encontro para saber o que anda planejando, as viagens, se os resultados estavam presentes ou ausentes… 🙂

      Grande Abraço, meu caro!

  • Que artigo completo! Fico muito feliz em fazer parte da sua lista de email e sempre ser surpreendido com material de tão boa qualidade! Eu tenho um negócio de fotografia de casamento ( https://arthurrosa.com/ ) e já tive alguns problemas com indicação de profissionais duvidosos no meu mercado, por isso a dica que você deu quando disse “Se você já conquistou sua autoridade, não a jogue no lixo promovendo profissionais ou produtos os quais não confia plenamente. É a sua credibilidade que está em jogo.” bateu em cima da ferida e me fez lembrar do risco desse tipo de atitude.

    Obrigado, Henrique! Só desejo sucesso, saúde e paz pra você!

    • Obrigado Arthur!

      Exatamente. Quando você associa sua imagem à uma pessoa duvidosa, que você não conhece muito bem ou que o trabalho não seja bom, você fere a sua credibilidade. E retomá-la é muito mais difícil do que construí-la.

      Abraços e sucesso!

  • Kadu Molina

    Parabéns Henrique e Carla! Sempre extraordinário seu material!
    De todos que já li sobre gatilho, foi o mais direto e simples de entender, além de totalmente aplicável.
    Obrigado por investir tempo em criar algo realmente diferenciado.
    Abraços, Kadu

    • Oi, Kadu!

      Td bem por ai, meu caro?

      Obrigado por ler o artigo e deixar esse comentário gratificante.

      Grande abraço e mais sucesso para vocês!

    • Carla Basílio

      Obrigada, Kadu!

      Não se esqueça de voltar na semana que vem para ler a segunda parte.

      Beijos.

  • Douglas Moraes

    Super Henrique, confesso que não li por inteiro o seu artigo. Mas prometo que vou voltar e ler cada palavra com muito foco e atenção, pois sei que seus conteúdos são extremamente úteis.

    Sou grato a Deus por você, espero muito que você continue com essa visão de ganhar dinheiro sim. Mas primeiramente de entregar valor como sempre vi você fazendo.

    Ah, você se tornou uma referência de profissional de marketing digital pra mim, e espero um dia de alguma forma estar retribuindo todo este seu empenho e dedicação em ajudar as pessoas com o mais importante: Conhecimento.

    Desejo que você Triunfe em todas as áreas da sua vida!
    Muito Obrigado!

    • Oi Douglas, tudo bem?

      Obrigado por visitar o Viver de Blog.

      Sinta-se à vontade para consumir os conteúdos na velocidade que desejar.

      Eles sempre estarão aqui para livre degustação.

      Abraços e sucesso!

  • Kelly Verônika Ferreira

    Os temas abordados são muito valorosos, podem ser postos em prática profissionalmente e até no modo como se vive. Parabéns ao autor pelo trabalho.

  • Opa!

    Ainda serei capaz de lhe dizer NÂO Henrique.

    KKKKKK Isso mesmo!

    Lá estou eu no foco total respondendo meus e-mails e mais um e-mail chega. Sempre tento deixar para dar atenção depois, mas das várias vezes que tentei, preciso confessar que o HC ganhou todas.

    Felizmente, quando saio do foco presente, logo começo a me deliciar com conteúdos literalmente épicos.

    É mesmo muito gratificante estar na sua lista e acho eu, que vou desistir de tentar lhe dizer NÂO, ok?

    Brincadeira a parte, parabéns pelo maravilhoso artigo com informações literalmente sensacionais e ricas. A percepção que tenho ao ler um artigo desse é que a perfeição é palpável e possível de ser alcançada.

    A sacada do vídeo é fenomenal, não tinha me atentado para isso e olha que sempre coloco vídeos dentro de meus artigos.

    Saio dessa leitura com dois sentimento: sentimento de que cresci em conhecimento e de ansiedade pela segunda parte do artigo.

    Gratidão pela dedicação Henrique e Carla.

    Abraços,
    Alessandro Barros

    • Carla Basílio

      Oi, Alessandro.

      Nós que agradecemos por despender tempo escrevendo um comentário tão gratificante. 🙂

      Abraços e sucesso.

    • Oi Alessandro, tudo bem?

      Muito obrigado pelo seu comentário tão fascinante.

      Saber dessa preferência e da doação do seu tempo para ler os artigos publicados aqui no Viver de Blog é muito gratificante.

      Desejo enorme sucesso para você.

      Grande Abraço!

  • Maravilhoso! Aqui eu sempre encontro conteúdo que vale ouro!

    Frequentemente vejo citarem o gatilho da urgência e da escassez, é incrível o quão poderoso essas “ferramentas” psicológicas podem ser. Artigo completíssimo!
    Sabe o que é interessante, quando a gente conhece esses gatilhos, mas a oferta é boa e a credibilidade de quem faz é oferta é boa, a gente acaba envolvido por eles mesmo conscientemente.

    Só uma observação mais: eu leio muitos blogs sobre empreendedorismo digital e percebo que quando tem um empreendedor bem sucedido por trás, os conteúdos são sensacionais porque não há medo de liberar contéudo de qualidade gratuito, ao contrário da maioria que fica com medo de estar entregando informação que poderia ser vendida. E aqui, temos um claro exemplo do primeiro tipo.

    Conteúdo sensacional!

    • Oi Roberta, tudo bem?

      Sem dúvida. Conhecer os gatilhos mentais não nos deixa imune deles.

      Até porque, quando usados para o bem, quem não gostaria de ativar o gatilho da reciprocidade, prova social, novidade, entre outros?

      Compartilhar conteúdos Épicos é a missão do Viver de Blog desde seu nascimento, há pouco mais de dois anos atrás.

      Aqueles que têm medo de compartilhar informação valiosa são os mesmos que têm medo de serem descobertos como “farsas” na internet.

      Forte Abraço!

  • Amabile Reis

    UAL. Vou vender, vender, vender e vender hahaha

  • SosEscolas

    Olá Henrique sou Beto
    Fernandes criador do site sosescolas.com gostei muito do seu artigo e gostaria
    de publicar no meu site, colocando como sua autoria e no final constará o link
    para o seu blog, você autoriza a publicação?

    • Oi Beto, tudo bem?

      Envie um email para nós através da área de contato, por favor.

      Grande Abraço!

  • Igor Aguiar

    Mega artigo, um dos principais do blog.
    Obrigado por disponibilizar esse conteúdo Henrique.
    Abraços

  • Herlande Ribeiro

    Simplesmente matadores esse Gatilhos. Parabéns Henrique, pelo excelente conteúdo abordado, e por compartilha-lo com pessoas fascinadas pelo empreendedorismo. Eu sou um deles. Show! 🙂

  • Oscar José Gaspari

    Ab Fab -Absolutely Fabulous – De foto como o psicólogo posso confirmar esse processo mental de discernimento…. parabéns pela matéria…. Gostei muito….

  • Josué

    Muito bom!!!!
    Gostaria de sugerir um assunto para um futuro artigo, e que gera muita dúvida nos blogueiros e aspirantes a blogueiros: COPYRIGHT das imagens.

  • Ufa… é um artigo e tanto em ? Autoridade, sempre é bom!

  • Marcelo Doria

    Parabéns Henrique, como sempre seus artigos retratam o que tem de mais atual em nossa realidade, após ler este artigo fica fácil compreender as estratégias de persuasão utilizadas por campanhas de grandes empresas na mídia. Muito bom, estou aguardando a parte 2.

  • Kleber Fidelis

    Ótimo artigo… Parabéns!!!

  • Lucia Winther

    Parabéns pelo artigo Henrique! Poderia melhorar ainda mais se não houvesse uma mescla entre cérebro e mente. Pode até ser que o seu cérebro decida coisas (se você acha que sim), mas o meu cérebro que é um conjunto de células não decide nada a não ser que EU comande-o. O cérebro é um órgão do corpo como o coração, estômago etc. e por isso precisa estar em ótimas condições de funcionamento. Mas, as minhas decisões são todas tomadas por mim. A minha mente é formada de duas partes: a analítica e a reativa. A mente analítica me ajuda a localizar dados gravados e assim compará-los para chegar às decisões conscientes que serão mais construtivas levando em conta todas as áreas da minha vida. O mecanismo que atrapalha as decisões racionais chama-se mente reativa. Essa parte da mente só reage e leva as pessoas a emoções, comportamentos e decisões ilógicas.
    Se tiver interesse de saber mais sobre este assunto leia minha última postagem: http://luciawinther.blogspot.com.br/

    Abs, Lucia Winther

  • Edvaldo Eliezer Silva

    Olá Henrique
    Recordo-me de ter adquirido o MAV através do seu link, pois sabia que a sua ajuda seria mais do que você estava se propondo. Esse artigo é mais que SENSACIONAL. Você sabe realmente transformar pessoas através das suas contribuições.
    Muita Luz para você e que o sucesso seja tão grande quanto a sua vontade de nos ajudar. Um forte abraço.

    • Olá, Edvaldo!

      Muito obrigado pela confiança e por nos acompanhar aqui no blog.

      O MAV é incrível, tenho certeza de que você conseguirá bons resultados.

      Abraços e sucesso!

  • André Ambrósio

    Fala cara, beleza?
    Estou seguindo suas estrategias e aplicando no meu site (http://vcempreendedor.com/)
    que está ficando bastante legal, se puder dá uma conferida.
    Abraços. 🙂

    • Fala, André!

      Bem bacana o seu site, fico feliz em poder ajudá-lo com nossos conteúdos.

      Abraços e sucesso!

  • @hcinvestimentos:disqus realmente o gatilho mental #4 é muito forte. Eu já conhecia o efeito da reciprocidade, mas o “Efeito Ben Franklin” não. Pra você ter ideia utilizei com minha namorada rssrrs (Sério!!!). Ela estava com raiva de mim, sabendo disso pedi à ela um favor (via sms). Ela fez e eu agradeci. Passou 10 minutos (exatos) ela me ligou perguntado se realmente havia dado certo. Resumindo, nesse momento a raiva passou. Mágico! rsrsr 😀

    • Olá, Ronald!

      Seu comentário é a prova de que os gatilhos mentais podem ser usados em qualquer situação… rs.

      Mas, use com moderação! 🙂

      Abraços e sucesso!

  • Muito bom o artigo e o assunto. Curti bastante e já estou me aprofundando nisso. Muitas ideias boas na minha cabeça agora, resta somente colocar em prática. Show de bola!

    • Olá, Daniel!

      Bom demais saber que nosso conteúdo o estimulou a aprofundar mais no assunto.

      E melhor ainda saber que despertamos muitas ideias na sua cabeça.

      Abraços e sucesso!

  • Nossa muito conteúdo, parabéns, muito bom mesmo, não tenho muita paciência pra ler, mas confesso ter lido 90% desse artigo, peguei somente os mais importantes!

    Muito bom mesmo obrigado por todas as informações, ótimo trabalho e sucesso pra todo mundo!!

    • Olá!

      Fico feliz em saber que nosso conteúdo conseguiu prender a sua atenção.

      Muito obrigado!

      Abraços e sucesso para você também!

  • Natasha Belus

    Estou em um dilema no momento que é conseguir apoio para meu documentário de TCC, sendo uma pessoa só. Essas dicas foram valiosíssimas, primeiro para conseguir parceiros e segundo para junto deles conseguir um financiamento. Vamos lá, exercitar o novo ensinamento.

    • Carla Basílio

      Oi, Natasha.

      Sobre o que será seu TCC? Por que você não tenta fazer umas dessas vaquinhas online, como a do site https://www.vakinha.com.br?

      Esse site http://www.kickante.com.br/campanhas-crowdfunding, inclusive, ensina a montar uma campanha que funcione e atraia o maior número possível de contribuintes.

      Vou entregar minha monografia agora em junho, sei que não é nada fácil.

      Boa sorte no seu trabalho.

      Abraços.

      • Natasha Belus

        Meu TCC é um curta documentário sobre “Juventude e Cultura Pop Coreana no Brasil: Covers de Kpop” (esse é o tema, ainda não achei um título pro filme). Estou sim pensando em fazer uma vaquinha online no site catarse, que é o que meus colegas de graduação mais usam. Meu problema estava (está) em escrever a chamada para o projeto, algo criativo que convença as pessoas a apostar na ideia e doar (ou ainda como convencer pessoas a me entrarem na minha equipe voluntariamente) como entrar na minha equipe (no caso vou viajar para alguns locais e seria interessante ter profissionais de lá para não precisar realocar gente, o que é um gasto enorme).

  • Claudia Almeida

    Henrique, hi!
    Como sei que vc, assim como eu, preza pelo bom português, tanto escrito qto falado, não poderia deixar de comentar, mas lendo seu artigo aqui (fantástico, como todos os outros!), percebi um pequeno erro de conjugação, na parte do artigo: “Como usar o gatilho mental do “Porque” no seu negócio”, vc escreve: …se você disse que as vendas se encerraram amanhã, elas devem se encerrar amanhã e ponto final.
    Não seria: “… as vendas se encerrarão”, no futuro?

    E nossa, que post, estou refletindo tudo o que li aqui, tanto na parte 01 qto na 02, e mais uma vez, vc foi “na veia” rs…
    Obrigada!

  • Simplesmente GENIAL esse artigo! Você tem o DOM de guiar o leitor pelo texto, sem perder interesse, estou entrando agora no mercado de Consultoria de Marketing Digital e Afiliados, porem sou Designer Gráfico, e tenho uma certa dificuldade em escrever.

    Vou tentar usar os Gatilhos Mentais a favor dos meus textos agora, muito obrigado. Tem algum artigo para quem tem MUITA dificuldade em escrever, organizar as ideias, e etc, para tentar chegar ao seu nível de criação de conteudo ? Eu ficaria muito agradecido!

  • Jeser Batista

    Me prendeu por incríveis 20 minutos…

    • Olá, Jeser!

      Obrigado pelo comentário.

      Bacana demais saber que produzimos um conteúdo bom o suficiente para prender a sua atenção por todo esse tempo.

      Abraços!

    • Pedrao

      parece que as imagens vão sair da tela, sao muito grande, pesadas.
      E o artigo tem muita enrolação no começo. uso monitor 17 lcd

  • Olá Henrique Carvalho, quanto mais leio seus artigos, mais apaixonado pelo mundo dos Blogs eu fico.E por falar em Blog, tenho vários, desde o meu ídolo favorito, até as peças artesanais que faço, mas o meu preferido é o Blog http://tecnologagestaoambiental.blogspot.com.br/ que criei logo que comecei a faculdade.Sonho todo dia em poder viver de Blog, ainda mais nessa área da qual escolhi, meio ambiente, que em se tratando de realização profissional é quase uma travessia pelo deserto,rsss…já aos 35 anos, meus anseios de qualidade de vida, principalmente em se tratando de mais tempo com a família, ter tempo para levar meu cachorro pra passear, poder voltar a ler os meus livros e namorar um pouco o maridão,rs,..tem aumentado muito!Há tempos leio artigos sobre como viver de Blog, mas acredite, sua página foi a única que me inspirou a não desistir dos meus sonhos!Parabéns e obrigada por compartilhar conosco tanta experiência e conhecimento.Sucesso pra ti!

    • Olá, Cátia!

      Que depoimento incrível, fico muito feliz em saber que conseguimos inspirar você.

      Não desista dos seus sonhos, jamais!

      Abraços e sucesso sempre para você!

  • Bárbara Palma

    Excelente artigo! Conteúdo de extrema qualidade! Os vídeos foram ótimos para ilustrar o post e deixá-lo ainda mais rico em informações. Parabéns pelo incrível trabalho, Henrique e Carla, sucesso!

    • Olá, Bárbara!

      Ficamos felizes em saber que você gostou do nosso conteúdo e também das ilustrações que escolhemos, nosso objetivo era realmente enriquecer o assunto.

      Abraços e sucesso!

  • Estava ontem conversando sobre isso com um amigo, ele ficou de me enviar um resumo dele dos gatilhos, dei um look no Google e achei aqui (de novo). Um post que economiza seis mil reais de muita gente em cursos presenciais, simplesmente genial, o melhor blog do Brasil e sem dúvida um dos melhores do mundo, sempre te encontro sem querer no Stumble Upon. Parabéns pelo trabalho, fico semanas sem entrar aqui e sempre me arrependo, tem que entrar sempre.

    • Muito obrigado, Roberto!

      Se ainda não estiver cadastrado, acompanhe nossa lista de email para saber sobre os novos artigos e novidades do site. 🙂

      Abraços e sucesso!

  • leonardo

    muito bom artigo vai me ajudar bastante que estou começando

    da uma passadinha no meu ainda estou no começo

    http://saindodamesma.com/

  • Fellipe Magnago

    Muito bom, muito bem escrito e explicado. Parabéns!

  • salada de batata

    a 3 pergunta eu fiz de cabeça e acertei :v /

  • Sansão Machava

    Simplesmente incrivel

  • Stilettos Sinapses

    os gatilhos são ótimos, tirando o da gentileza. Social e profissionalmente costumava ser até ontem a pessoa mais gentil do mundo, fazia tudo pedir e sem esperar nada em troca. Não espera porém que as pessoas fossem cruéis ao ponto de me usarem reiteradas vezes…
    Pior, quando eu perdia meu tempo com gentilezas e terminava não cuidando de mim eu era criticada porque “queria reconhecimento”. Meu deus, nunca pedi nada para ninguém, eu me viro sozinha desde sempre. Sou gentil.
    Quando propus no whastapp que cada membro da família (somos 60 )fizesse uma gentileza minha irmã disse que eu era bipolar…
    Mas ela nunca deu nada para ninguém. Eu me importo em ajudar o mundo a ser mais feliz.
    Pois bem. Me disponibilizei a dar aulas de inglês e fazer um clube de leitura sem dispendio finaceiro para o órgão em que trabalho, mas meu chefe foi contra. Nisso começou a perturbar em demasia e pedi remoção. Me excluíram de um grupo que eu nem mesmo tinha pedido para entrar, sobre clima organizacional. Por quê? Não sei. Eu sou gentil de graça e fico feliz, mas sou explorada demais.
    Sou explorada e por isso sou ridicularizada pro quem não faz o bem
    então certamente no final dessa propaganda vai parecer alguma pessoa normal – afinal, se doar é freak – e vai pegar tudo ou enfim…
    Gentileza para mim agora só com o mendigo da rua, não vou mais ser gentil com pessoas que fazem de conta que não podem
    Gentil com o cego para atravessar
    Gentil deixando um livro de presente no ônibus
    Gentil sem ser percebida
    Gentileza em excesso é ridicularizada…

  • Stilettos Sinapses

    mas sim, acredito que o marketing é excelente…

  • Como já disseram (e muito bem) os gatilhos mentais são formas de transpor para o mundo da Internet aquilo que se passa no dia-a-dia.

    Se repararmos, no fundo tomas as nossas decisões são tomadas tendo em conta argumentos que acabam por nos persuadir ou não.

    No marketing digital, o truque está em conjugá-los para mostrar a quem nos visita o quanto o nosso produto ou serviço lhes pode ser útil.

    Parabéns pelo artigo e pelo blog!

  • Lidia Santos

    Realmente interessa e inteligente. Gostei!

  • Rafael Morani

    Os comerciais da polishop me lembram o gatilho 9 hahahah. Muito bom HC, nunca tinha ouvido falar do viver de blog, esse foi a 1a vez que li algo. E lerei mais agora. Apesar de ser da area de Ti, gostei de mt de saber como fazem para conseguir algo de mim Parabéns

  • Eric Ellwanger

    Já pensou que esses gatilhos poderiam ser usados não só para vender, mas estimular as pessoas a desenvolverem suas virtudes e ajudar a resolver os problemas crônicos do mundo criando suas próprias iniciativas?

  • Augusto akze

    Mano esse post foi foda, obrigado por compartilhar

  • Marlene Carneiro

    Se você entrega para seu cliente o que prometeu, nada mais nada menos assim seu negócio estará fadado ao sucesso, principalmente em se tratando de empresas que trabalham com prestação de serviços.
    Toda negociação deve ser feita de comum acordo e de forma transparente.

  • marcio costa

    Acho que Moisés não colocou nenhum animal na arca que afinal era de Noé. rs
    Parabéns pela matéria, maravilhosa.

  • Robson

    Muito, mas muito bom mesmo! Nada na vida é perfeito, mas eu daria uma nota 9 para este artigo! Suas palestras no SDA também foram Épicas! Estou aplicando conforme suas remomendações, estes gatilhos mentais, e mesmo com um produto difícil de vender, dá resultado, melhora a conversão! Num produto fácil de vender então, deve fazer uma revolução o ato de aplicar corretamente os gatilhos mentais. O Samuel Pereira te indica porque sabe que você é um profissional fantástico naquilo que faz! Abração!

  • Já li esse artigo tantas vezes… rs Muito bom!
    Henrique, meu amigo, que plugin é esse que quando a gente seleciona uma determinada parte do texto aparecem os ícones sociais?
    Muito show isso!
    Um grande abraço!

  • Isabella Maria

    Excelente artigo, Henrique! Como sempre!

    Persuadir, sem iludir. Excelente! Ainda tenho muuuito o que aprender nessa área, mas sinto que estou cada vez mais perto que alcançar meus objetivos a cada artigo que leio no Viver de Blog. Com este não foi diferente.

    Espero poder retribuir a altura, algum dia!

    Parabéns e Sucesso!

  • jaconias sousa

    Você é simplesmente incrível ! pela primeira vez dez de 2013, encontrei um blog com conteúdo de verdade *****OBRIGADO*****

    • Opa Jaconias!

      Muito obrigado por comentar! Esta é uma excelente maneira de conseguirmos analisar se estamos caminhando na direção certa :)​

      Abraços e sucesso.

  • Alexandre Zanfolim

    Henrique, a onde consegue essas imagens?

    • Opa Alexandre!

      Nós contamos com a ajuda de um designer profissional que nos ajuda com toda a parte visual do Viver de Blog. 🙂

      Ele trabalha intercalando entre banco de imagens e criações de autoria própria e o software de trabalho é o Adobe inDesign.

      Abraços e sucesso.

  • @viverdeblog:disqus, tenho um case de sucesso sobre esses gatilhos para contar: O seu curso de Criação de Conteúdos Memoráveis. hahahahahahah! Você aplicou essas técnicas na página de anúncio do curso e no vídeo de introdução, me convenceu na hora a participar da turma! Agora tenho certeza de que o curso será bom pra caramba!

    Parabéns pelo ótimo trabalho!

    • hahaha Boa Titão! 😀

      Obrigado pelo seu comentário. Fico muito feliz pelo Viver de Blog ajudar na sua jornada. 🙂
      Seja bem-vindo no curso!

      Abração e sucesso!

  • Pedrao

    Cara você enrola muito. que artigo grande é esse, e cheio de imagens pesadas!
    Um artigo com umas 400 palavras resolve tudo. E nem venha falar em ranqueamento, por que
    tem sites q sao primeira posição google, tem muitas visitas e tem só umas 300 palavras os artigos.

    Sugestao escreve menos! q inicio é esse de moeda? o que tem a ver… nossa!

  • Ricardo Rojas Sierban

    Sensacional, imagino que este artigo demorou no mínimo 1 semana para ser construído. Muito bom.

    • Opa Ricardo!

      Muito obrigado por comentar! Esta é uma excelente maneira de conseguirmos analisar se estamos caminhando na direção certa 🙂

      Abraços e sucesso!

  • Simone AD

    Vi este artigo em uma publicidade sugerida no Facebook, e ele veio ao encontro de um desejo meu: conhecer os segredos da publicidade, com o objetivo de usar com meus alunos, para estimulá-los ao aprendizado, de forma leve, divertida e ao mesmo tempo proveitosa. Agora que li, as ideias estão fervilhando aqui. Sendo eu uma pessoa de área diferente da publicidade, não sabia que o nome do que eu estava procurando é “gatilhos mentais”. Agora, além de saber, posso acompanhar este passo a passo todo ilustrado; ele é perfeito para fazer parte do meu planejamento!
    Que este blog tenha cada vez mais sucesso.
    Obrigada.

    • Olá Simone!

      Gratidão pelo seu comentário. 🙂
      Sempre muito motivador e energizante ler mensagens como a sua.
      É exatamente por elas que trabalhamos com muita paixão aqui.

      Abração e sucesso!

  • Cybele Chaves

    Excelente, parabéns ! Pontos muito bem colocados!

  • Bernardete

    Leitura agradável, limpa, fácil de entender. Li todo artigo , já enviei para vários amigos e aguardo pela segunda parte. Parabéns pela generosidade em disponibilizar um conteúdo tão rico gratuitamente.

  • Dani Magalhães

    Estou pasma com a qualidade de seu conteúdo! Está de parabéns! Muito sucesso pra vc!!

    • Wooow Dani! São comentários como os seus que me motivam ainda mais a buscar criar conteúdos ainda mais memoráveis! 🙂

      Obrigado pelo comentário!

      Abração e sucesso!

  • Parabéns, curti excessivamente o Artigo e está sendo de extrema importância para a construção de um projeto em vigor 🙂

  • AUDI

    [Texto EXCELENTE; Dicas VALIOSAS] Compartilhando … PARABÉNS!