Mais Emails

Como Melhorar a Conversão de Suas Campanhas de Email Marketing

teste-ab-email-marketing

Você quer melhorar suas campanhas de email marketing? Então você precisa fazer testes A/B.

Testes A/B em Email Marketing? Sim, você leu corretamente.

Não é de hoje que falo sobre a filosofia ABT (Always Be Testing), ou seja, sempre esteja testando.

Mesmo com diversas dicas e estudos sobre o tema, é dessa maneira que finalizo o infográfico sobre email marketing.

Mas afinal, por que testar tanto? Simples. Guarde essas palavras:

Você não representa o seu exato público.

O que quero dizer é: na maioria das vezes, o que você acredita ser melhor para seu público não é exatamente o que eles querem, seja ele composto de clientes ou leitores.

Portanto, antes de assumir que sua ideia (sua hipótese) irá agradar seu público e trazer melhores resultados para você, pense, teste e analise.

Você já viu os testes que faço com landing pages. Eles nunca param e agora já são mais de 80 landing pages em teste nos meus sites.

Testes A/B em landing pages não são novidade. Porém, eu raramente vejo testes A/B em email marketing.

Aqui no Viver de Blog, esse tipo de teste são realizados desde o dia de lançamento e nesse artigo vou compartilhar com você o que aprendi durante mais de 3 meses de testes.

Continue lendo esse artigo para saber mais:

Como fazer um simples teste A/B nas suas campanhas de email

Se você utiliza uma ferramenta profissional para email marketing, realizar testes A/B é uma moleza.

Como o MailChimp (link afiliado) é minha ferramenta favorita para email marketing, é ele que mostrarei nos testes desse artigo.

No MailChimp, ao criar uma nova campanha, você pode optar por ela ser no formato de teste A/B.

Você pode realizar o teste em 3 variáveis diferentes:

  1. Título do Email (assunto).
  2. Nome da pessoa/empresa que está enviando o email.
  3. Horário que será entregue o email.

Já testei as três opções. Porém, a que obteve resultados mais significativos foi a primeira: o título do email.

Veja por exemplo o teste que fiz escolhendo dois títulos diferentes para o artigo sobre 18 problemas de usabilidade.

Título da Versão A: 18 Problemas de Usabilidade que Deixam Seus Leitores Furiosos (e como consertá-los)

Título da Versão B: [Novo Artigo] 18 Problemas de Usabilidade que Deixam Seus Leitores Furiosos (e como consertá-los)

Percebe a diferença?

Ao adicionar “[Novo Artigo]” no início do título do email, eu acreditava que poderia obter uma taxa de abertura (open rate) maior. Em contrapartida, o tamanho do título do email aumentava.

Seria esse aumento no tamanho do título prejudicial ou benéfico?

Somente testando poderia saber o resultado mais efetivo. Veja o resultado gerado pelo próprio MailChimp:

teste-ab-mailchimp

O email com o tamanho do título maior [B] foi melhor em todos os quesitos. Basta ver as estrelas no grupo B, que representam melhores números.

O objetivo inicial era aumentar a abertura de emails (open rates). E tivemos: 45,9% para a versão A e 49,1% para a versão B. Um aumento próximo de 7%.

E as demais variáveis? Não se preocupe. Mostrarei agora para você quais são as métricas mais importantes ao avaliar a efetividade de seus emails.

As Métricas Mais Importantes no Email Marketing 

Com tantos números e informações é fácil se perder.

Veja na campanha enviada sobre o Infográfico Email Marketing as métricas mais importantes que você precisa conhecer.

mailchimp-reports

As métricas mais importantes são:

1. Recipients: Número de pessoas para as quais enviei esse email.

Nem sempre você conseguirá 100% de entrega nos seus emails. Isso ocorre porque alguns usuários podem estar com sua caixa lotada, o email de destino ter expirado, entre outras razões.

Observe

o número 3.054 em “Successful deliveries“. Ele é diferente de “Recipients” (3.057). A diferença (3) você pode ver em “Bounced”. Esse número representa a quantidade de campanhas que não chegaram no seu destino.

2. Open Rate: É a divisão entre o número dos usuários únicos que abriram (534) pela quantidade de emails entregues (3.054), que dá 17,5%.

Perceba que existe também a quantidade total de aberturas “total opens”, 844. Isso significa que algumas pessoas abriram esse email mais de uma vez.

3. Click Rate: É a divisão entre o número dos usuários únicos que clicaram (237) pela quantidade de emails entregue (3.054), que dá 7,8%.

4. Clicks per unique opens: É a divisão entre o número de cliques únicos (237) e aberturas únicas de email (534), que dá 44,4%.

5. Unsubscribers: Representa o número de usuários que se descadastraram da lista. Conforme sua lista cresce, é natural esperar um aumento nesse número. Nesse email, tivemos 4 usuários que se descadastraram, ou 0,13% dos usuários que receberam o email.

6.Abuse Reportes: Representa o número de usuários que marcaram seu email como spam. Da mesma forma que unsubscribers, também é possível esperar um aumento nesse número conforme sua lista vai crescendo.

Realizando testes A/B no coração de suas campanhas de email: O conteúdo

Vimos no início do artigo como fazer um teste A/B com títulos diferentes.

Apesar da grande importância do teste com títulos, o verdadeiro teste que você deveria fazer é no conteúdo.

Porém, como fazer testes A/B no conteúdo de suas campanhas de email?

Não existe uma maneira pronta para fazer o teste no MailChimp, mas nada que uma simples segmentação não resolva.

Para dividir sua lista em dois grupos, você pode separá-la por emails que comecem com uma letra menor do que “K” e emails com a letra maior do que “K”.

Veja a imagem abaixo para saber como fazer na sua própria lista:

MailChimp Segmentation

Não se preocupe. Os emails com a letra “K” não se perderão. Eles estarão no grupo B. Acredito que o MailChimp considera “is greater than” como “maior e igual a”.

Nem sempre essa divisão será perfeita e você terá 2 grupos com números idênticos, mas é uma excelente aproximação. Você pode testar os seus segmentos em tempo real, o que ajuda na separação dos grupos.

Agora que já entendemos como fazer a segmentação para nosso teste A/B, vamos aos testes!!!

7 testes A/B que realizei no Viver de Blog e o que aprendi com eles

Os 7 testes que realizei e explicarei aqui abaixo foram:

  1. Avaliar o sistema de ranking de estrelas do MailChimp.
  2. Com/Sem logo, Cor do Botão e Título.
  3. Versão longa x Versão curta.
  4. O poder de uma única palavra: online x na internet.
  5. Versão longa x Versão curta. Layout Melhorado.
  6. HTML x Plain-Text
  7. Fonte fraca e menor x Fonte mais escura e maior

Teste #1: Avaliar o sistema de ranking de estrelas do MailChimp

Esse é um recurso fantástico do Mailchimp que já mencionei de forma mais detalhada nesse artigo.

Basicamente, ele avalia a interação do usuário com os emails enviados numa escala de 1 a 5.

Quanto mais esse usuário abre e clica nos emails, mais próximo ele fica de 5.

Quanto menos esse usuário abre e clica nos emails, mais próximo ele fica de 1.

Nesse teste, eu queria saber o impacto de enviar o email para segmentos de ranking de estrelas diferentes.

Versão A: Ranking de Estrelas maior ou igual a 4 estrelas. (4 e 5)

email-5-pilares-a

Em todos os testes nesse artigo você poderá ver uma imagem como essa que mostra o mapa de cliques, indicando onde as pessoas mais clicaram.

A porcentagem dos cliques é calculada em relação ao número total de cliques.

Perceba como o botão azul foi responsável por 78,3% dos cliques totais desse email. O design do botão é totalmente customizável no MailChimp, o que ajuda bastante a testá-lo.

Além da imagem, você também poderá analisar abaixo, as métricas mais importantes desse email.

Resultados Versão A:

  • Recipients (Successful deliveries): 1.323 (99.8%)
  • Opened (Open Rate): 720 (54.5%)
  • Clicked (Click Rate): 270 (20.4%)
  • Clicks per unique opens: 37.5%
  • Unsubscribers: 2
  • Abuse Reportes: 1

Versão B: Ranking de Estrelas menor do que 4 estrelas. (1,2 e 3)

email-5-pilares-b

O texto é o mesmo. Porém, o visual do email é outro.

Veja que o botão laranja recebeu 84.6% dos cliques totais, se destacando dos outros elementos.

Resultados Versão B:

  • Recipients (Successful deliveries) 2.189 (99.7%)
  • Opened (Open Rate): 513 (23.5%)
  • Clicked (Click Rate): 144 (6.6%)
  • Clicks per unique opens: 28.1%
  • Unsubscribers: 6
  • Abuse Reportes: 4

Avaliação Final (A x B):

  • Recipients (Successful deliveries): 1.323 (99.8%) x 2.189 (99.7%)
  • Opened (Open Rate): 720 (54.5%) x 513 (23.5%)
  • Clicked (Click Rate): 270 (20.4%) x 144 (6.6%)
  • Clicks per unique opens: 37.5% x 28.1%
  • Unsubscribers: 2 x 6
  • Abuse Reportes: 1 x 4

O que aprendi com esse teste:

  • Engajamento com seu público é fundamental. O pessoal mais engajado (estrelas 4 e 5) apresentou 2x mais aberturas de email e 3x mais cliques, percentualmente.
  • Botão laranja se destacou melhor que o azul.

Teste #2: Com/Sem logo, Cor do Botão e Título

Nesse novo teste, a segmentação dos grupos utilizou a técnica da letra K e foram divididos o grupo A (letra menor que K) e B (letra maior que K).

Versão A: Sem Logo e Botão Azul

Tïtulo: Como Atrair Tráfego: O “Segredo” das 25.100 Visitas do Viver de Blog em apenas 1 Mês

email-25100-visitas-a

O título do email A é um pouco longo, o que pensei poder atrapalhar nas aberturas de email (open rates)

Novamente, eu procurei testar o botão em azul para confirmar se ele perderia do botão laranja.

Resultados Versão A:

  • Recipients (Successful deliveries): 1703 (99.8%)
  • Opened (Open Rate): 544 (32.0%)
  • Clicked (Click Rate): 213 (12.5%)
  • Clicks per unique opens: 39.2%
  • Unsubscribers: 6
  • Abuse Reportes: 1

Versão B: Com Logo e Botão Laranja

Título: [VdB] Como Atrair Tráfego: O “Segredo” das 25.100 Visitas em apenas 1 Mês

email-25100-visitas-b

Esse título contém o [VdB] que é a sigla do Viver de Blog e gostaria de testar para ver se esse tipo de título poderia aumentar a taxa de abertura.

O botão laranja novamente foi predominante no design e recebeu 87.7% dos cliques. Acredito que é um recorde nos meus testes para um único botão.

Resultados Versão B:

  • Recipients (Successful deliveries): 1.785 (99.8%)
  • Opened (Open Rate): 575 (32.3%)
  • Clicked (Click Rate): 221 (12.4%)
  • Clicks per unique opens: 38.4%
  • Unsubscribers: 4
  • Abuse Reportes: 1

Avaliação Final (A x B):

  • Recipients (Successful deliveries): 1703 (99.8%) x 1.785 (99.8%)
  • Opened (Open Rate): 544 (32.0%) x 575 (32.3%)
  • Clicked (Click Rate): 213 (12.5%) x 221 (12.4%)
  • Clicked (Click Rate): 39.2% x 38.4%
  • Unsubscribers: 6 x 4
  • Abuse Reportes: 1 x 1

O que aprendi com esse teste:

  • Não houve mudança significativa entre colocar ou não [VdB] no título. Porém, continuo usando essa terminologia para “marcar” meus emails e me diferenciar na hora do usuário explorar sua caixa de entrada.
  • O botão laranja novamente foi superior, atraindo maior percentual de cliques do que o geral.

Teste #3: Versão longa x Versão curta

Depois de um tempo otimizando emails, percebi que quanto mais direto eu fosse nessa comunicação, melhores eram meus resultados.

Logo, resolvi fazer um teste com uma versão padrão [A] e uma versão extremamente curta [B].

Versão A: Padrão

email-usabilidade-a

Comparando esse layout com o layout de emails anteriores, você já pode perceber que existem algumas novidades, como:

  • Título mais destacado com um fundo cinza claro.
  • Imagem à esquerda e texto introdutório à direita sobre o artigo.
  • Links em verde claro.
  • Botão laranja maior e com menos texto.

Todas essas mudanças foram resultados de diversos testes A/B realizados em cada campanha de email enviada, analisando o que funciona e não funcionava.

Resultados Versão A:

  • Recipients (Successful deliveries): 2.332 (100%)
  • Opened (Open Rate): 615 (26.4%)
  • Clicked (Click Rate): 144 (6.2%)
  • Clicks per unique opens: 23.4%
  • Unsubscribers: 8
  • Abuse Reportes: 0

Versão B: Versão extremamente curta

email-usabilidade-b

Logo, título, imagem com introdução e botão. Somente isso. Veja os resultados.

Resultados Versão B:

  • Recipients (Successful deliveries): 2.185 (99.9%)
  • Opened (Open Rate): 592 (27.1%)
  • Clicked (Click Rate): 162 (7.4%)
  • Clicks per unique opens: 27.4%
  • Unsubscribers: 3
  • Abuse Reportes: 0

Avaliação Final (A x B)

  • Recipients (Successful deliveries): 2.332 (100%) x 2.185 (99.9%)
  • Opened (Open Rate): 615 (26.4%) x 592 (27.1%)
  • Clicked (Click Rate): 144 (6.2%) x 162 (7.4%)
  • Clicks per unique opens: 23.4% x 27.4%
  • Unsubscribers: 8 x 3
  • Abuse Reportes: 0 x 0

O que aprendi com esse teste:

  • Vá direto ao ponto em sua comunicação via email. No meu caso, o usuário tinha ideia de que o clique o levaria a ler o novo artigo. Logo, por que não ser o mais direto possível?

Está gostando desse artigo?

Cadastre seu email no campo abaixo para ser o primeiro a receber novas atualizações do site.

Fique atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Teste #4: O poder de uma única palavra: online x na internet

Esse teste foi inusitado porque eu queria testar apenas uma única palavra no título para avaliar a taxa de abertura.

  • Versão A: [VdB] As melhores ferramentas para você construir seu império online
  • Versão B: [VdB] As melhores ferramentas para você construir seu império na internet

Resultados:

  • [A] Opened (Open Rate): 635 (25.7%)
  • [B] Opened (Open Rate): 432 (18.5%)

Quando olhei os resultados não acreditei. Como uma única palavra pode ser responsável por fazer com que mais de 200 pessoas abram um email?

Portanto, tome o tempo necessário para pensar em um bom título para seu artigo e seu email.

Compartilhei algumas dicas bem legais nesse artigo sobre geração de tráfego.

Teste #5: Versão longa x Versão curta com layout melhorado

Para comprovar os resultados do teste #3, eu precisava de um novo teste (melhorado).

Essa melhora se reflete no design geral, com maior segmentação de blocos de texto e um design mais centralizado.

Versão A: Versão longa

email-dicas-landing-pages-a

Resultados Versão A:

  • Recipients (Successful deliveries): 2.594 (100%)
  • Opened (Open Rate): 558 (21.5%)
  • Clicked (Click Rate): 161 (6.2%)
  • Clicks per unique opens: 28.9%
  • Unsubscribers: 3
  • Abuse Reportes: 3

Versão B: Versão muito curta (com layout melhorado)

email-dicas-landing-pages-b

Resultados Versão B:

  • Recipients (Successful deliveries): 2.483 (100%)
  • Opened (Open Rate): 541 (21.8%)
  • Clicked (Click Rate): 175 (7.0%)
  • Clicks per unique opens: 32.3%
  • Unsubscribers: 12
  • Abuse Reportes: 2

Avaliação Final (A x B)

  • Recipients (Successful deliveries): 2.594 (100%) x 2.483 (100%)
  • Opened (Open Rate): 558 (21.5%) x 541 (21.8%)
  • Clicked (Click Rate): 161 (6.2%) x 175 (7.0%)
  • Clicks per unique opens: 28.9% x 32.3%
  • Unsubscribers: 3 x 12
  • Abuse Reportes: 3 x 2

O que aprendi com esse teste:

  • Uma versão mais curta do email ajuda nas conversões. Filosofia do Menos é Mais, que estudos acadêmicos comprovam. Mais sobre esses estudos aqui.
  • Links azuis (da mesma cor do Viver de Blog) ajudaram a melhorar as conversões em relação ao link verde claro (padrão do MailChimp)

Teste #6: HTML x Plain-Text

O teste mais importante que já fiz.

Não sei o porquê demorei tanto tempo para realizar um teste desse tipo, mas a ideia era testar um email “bonitinho” no formato HTML, com imagens, botões e bordas e, na outra versão, um email somente de texto (plain-text).

Sabemos que um email em HTML costuma estar associado a um email corporativo.

Já um email somente de texto lembra os emails que você recebe de seus amigos, sendo um tratamento mais pessoal.

Versão A: HTML

email-infografico-email-marketing-a

Resultados Versão A:

  • Recipients (Successful deliveries): 3.180 (99.8%)
  • Opened (Open Rate): 546 (17.2%)
  • Clicked (Click Rate): 222 (7.0%)
  • Clicks per unique opens: 40.7%
  • Unsubscribers: 5
  • Abuse Reportes: 0

Versão B: Somente texto (plain-text)

email-infografico-email-marketing-b

O tamanho dos emails (HTML e Plain-Text) é praticamente o mesmo.

Porém, note como o email somente com texto (versão B) é bem mais rico em texto.

O padrão que utilizo nesse tipo de email é:

  • Introdução
  • Link
  • Benefícios
  • Link
  • P.S.
  • Link

Mas será que esse padrão funcionou? Vamos aos resultados!

Resultados Versão B:

  • Recipients (Successful deliveries): 3.057 (99.9%)
  • Opened (Open Rate): 534 (17.5%)
  • Clicked (Click Rate): 237 (7.8%)
  • Clicks per unique opens: 44.4%
  • Unsubscribers: 4
  • Abuse Reportes: 1

Avaliação Final (A x B)

  • Recipients (Successful deliveries): 3.180 (99.8%) x 3.057 (99.9%)
  • Opened (Open Rate): 546 (17.2%) x 534 (17.5%)
  • Clicked (Click Rate): 222 (7.0%) x 237 (7.8%)
  • Clicks per unique opens: 40.7% x 44.4% 
  • Unsubscribers: 5 x 4
  • Abuse Reportes: 0 x 1

O que aprendi com esse teste:

  • Emails no estilo “somente texto” tendem a apresentar resultados melhores do que HTML por estarem associados a uma comunicação mais próxima (de amigo) em relação a comunicação mais distante (corporativa).
  • Tenha um método bem definido para o padrão dos seus emails de texto.

Teste #7: Fonte fraca e menor x Fonte mais escura e maior

Se você chegou a esse artigo através do email que enviei para você, saiba que ele reflete o teste #7.

A ideia desse teste é identificar se existe uma diferença entre o estilo de fonte usada no email.

Veja as versões que foram enviadas.

Versão A:

teste-7-a

Email padrão “somente em texto” que foi o vencedor do teste anterior.

Se o seu email começa com uma letra antes de “K” é essa a versão que você recebeu para chegar até esse artigo.

Versão B:

teste-7-b

Nessa nova versão, testei aumentar um pouco o tamanho do email. De 550 pixels de largura [versão A] para 600 [versão B].

Além disso, alterei a fonte e seu tamanho:

  • Versão A: Fonte Courier New, tamanho 14.
  • Versão B: Fonte Verdana, tamanho 18.

Como cada vez mais usuários lêem emails em aparelhos mobile (tablets e smartphones), o aumento de fonte melhora bastante a qualidade da leitura.

UPDATE: acredito que alguns ficaram curiosos para saber qual foi o resultado deste teste, certo?

Primeiro, que a taxa de abertura dos dois ficou bem próxima. Mas a Versão A, da fonte menor e mais clara, levou uma pequena vantagem neste teste.

Conclusão – Recapitulando

teste-ab-email-marketing

Testes A/B em Email Marketing são poderosos e podem trazer resultados significativos.

Ao contrário do que alguns dizem, o email não morreu. Na verdade, está mais vivo do que nunca.

Capturar emails deveria ser um dos principais objetivos de um site. Afinal, você precisa criar e cultivar a sua lista de emails para:

  • Promover seus artigos do blog
  • Interagir com seus leitores
  • Conseguir conversões melhores
  • Obter mais receitas na venda de seus produtos ou de afiliados

Nos testes que realizei tirei importantes ideias como:

  • Emails curtos tendem a gerar resultados bem melhores do que emails longos.
  • A cor do seu link e do botão no email importante. Para mim, azul nos links e laranja para o botão funciona muito bem.

Escolha ferramentas de email que permitam você realizar esses tipos de testes e não pare de otimizar seus emails. No meu caso, o MailChimp (link afiliado) cobre muito bem todos esses quesitos e ainda possui um app para iPhone fantástico para acompanhar esses números.

Além disso, veja esse infográfico sobre Email Marketing para saber o porquê é a estratégia favorita da maioria dos empreendedores e como você pode aumentar a abertura de seus emails através de 10 dicas úteis.

E também qual o melhor método para divulgar seu conteúdo, se comunicar com sua audiência e vender seus produtos, veja o infográfico “Email Marketing x Mídias Sociais: descubra de uma vez por todas em qual investir para impulsionar a divulgação do seu conteúdo”.

Agora é com você!

  • Quais tipos de testes você está fazendo na sua estratégia de Email Marketing?
  • O que você gostaria de mudar nos emails recebidos aqui no Viver de Blog?
  • Você prefere receber esses emails na versão HTML ou Plain-Text?

Adoraria saber a sua opinião nos comentários!

Conteúdo VIP

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Sobre o autor

vive exclusivamente de blog desde seus 23 anos e quer ajudar você a Viver de Blog também. Saiba mais aqui →

  • Ayrlonn Galvão

    Muito bom Henrique, fiquei muito satisfeito.

    Recentemente iniciei com Email Marketing para um Fórum que possuo e com esses ensinamentos aos poucos irei testando também.

    Parabéns pelo Blog!

  • Bom artigo Henrique!
    Email Marketing é o meu mundo faz mais de 14 anos e com certeza gostei como tornaste este tema mais acessível à maioria dos interessados.
    Parabéns!

    • Que ótimo Rui!

      Fico feliz em poder compartilhar essas informações e legal saber da sua extensa experiência no assunto.

      Abraços!

  • André Fogaça

    Simplesmente fantástico. Parabéns, Henrique! Este artigo foi uma verdadeira aula sobre E-mail Marketing e Teste A/B. Um abraço!

    • Grande André!

      Muito obrigado pelo comentário. Já conversamos sobre esse assunto e espero que esse artigo tenha sido mais detalhado do que minhas explicações. 🙂

      Abração!

  • Leonardo Rocha

    Muito bom o artigo cara! Abraço

  • Mateus Ramos

    Henrique, mais uma vez você está de parabens.
    Bom saber que os emails em plain text tem uma taxa de abertura maior, pois é como utilizo.
    Porém achava que essa diferença iria ser maior.

    Abraços

    • Obrigado Mateus!

      Por enquanto essa é a realidade dos testes, mas acredito que os motivos são fortes para continuar enviando emails “somente em texto”.

      Abraços!

      • Fulgêncio Bomtempo

        O que achei interessante no teste HTML x Plain Text foi o fato de confirmar que o leitor prefere uma mensagem mais curta. A taxa de abertura não pode ser influenciada no estilo do corpo do e-mail, já que para você descobrir como o e-mail foi redigido você terá que abrir ele.

        Mas o fato que mais me chamou a atenção foi que os leitores do plain text após lerem apenas 2 linhas já clicaram para saber o conteúdo do post, com mais frequência que os que receberam o HTML e clicaram no botão laranja.

        Abraço,

        • Exatamente Fulgêncio!

          Porém, é sempre bom lembrar que existem leitores que lerão seu email até a última linha e, por esse motivo, precisamos colocar o link mais de uma vez. Colocar o link 3 vezes nesse modelo acho que é o limite.

          Abraços!

  • Fabio Vasconcelos

    Olá Henrique, excelente artigo!

    Os testes são muito importante e você mostrou claramente isso!
    Lendo um dos seus artigos eu resolvi fazer um teste MailChimp X Aweber. Me cadastrei no MailChimp pelo seu link, e lá importei uma lista que de contatos que tinha no Aweber com 920 contatos! No Aweber eu enviei uma campanha para os contatos e tive um taxa de abertura de 19,3%. Importei esta mesma lista de contatos para o MailChimp e enviei uma campanha para esta lista, consegui a taxa de abertura de 31%. Confesso que fiquei impressionado com esta taxa de abertura que quase perdi o sono. Resolvi fazer mais um teste e enviar mais uma campanha para aquele contatos, e foi ai que começou o meu trama. Quando acessei a minha conta o MailChimp tinha bloqueado minha conta e eu não conseguia enviar a nova campanha! Entrei em contato com o suporte, mas ele me enviaram uma mensagem padrão, que dava a intender que eu não estava qualificado para usar o serviço do MailChimp.

    Bom, então resolvi pagar o serviço para 1000 contatos na mesma conta e para a minha surpresa ele aceitaram o pagamento e liberou a minha conta. Enviei outro e-mail para os contatos e consegui a taxa de abertura de 26% o que é excelente. Resolvi então migrar a minha lista do Aweber de 6 mil contatos para o MailChimp, mas dai veio a surpresa, novamente eles bloquearam minha conta!

    Mandei vários e-mail para eles, mas só recebia a resposta que ele não poderiam me atender e mandaram eu procurar outro serviço de E-mail Marketing!

    Cheguei a conclusão que, eles dão a opção para importar contatos, mas não gostam que faça isso, sem logica!

    Desta forma não, vou ficar no aweber, pois começar a criar uma lista desde o inicio novamente esta fora de planos e ainda por sim o suporte é péssimo.

    Isso já aconteceu com você?

    Abs!

    • Oi Leo!

      Poxa, que notícia ruim cara.

      Eu nunca presenciei isso porque comecei desde o dia zero com o MailChimp. Sei que eles tem políticas rigorosas em relação à importação de listas, mas não sei até onde vai esse rigor.

      Acredito que eles fazem isso para evitar pessoas que compram listas de email e importam no MailChimp (tenho certeza que não é o seu caso). Cara, o suporte deles sempre foi maravilhoso comigo e nunca me deixaram na mão.

      Talvez eles tenham suspendido sua conta por spam. Claro que posso estar muito enganado, mas quando você atinge uma quantidade muito alta de marcações de spam por email, eles enviam uma notificação dizendo que se continuar dessa maneira podem bloquear sua conta.

      Nunca recebi, mas conheço casos de pessoas que já receberam. Na Aweber, isso é mais comum.

      Sinto mesmo pelo que está acontecendo, mas tente entrar em contato com o suporte deles e explicar exatamente o que você está fazendo e pergunte o motivo da suspensão de conta.

      Espero que consiga resolver esses problemas da melhor maneira possível.

      Grande Abraço!

    • Olá Fabio,

      Talvez o MailChimp tenha confundido sua lista com uma lista comprada…

      Há um tempo atrás importei uma lista com mais de 11000 contatos para o MailChimp e enviava mais de um email por semana, sem nenhum problema.

      Mas antes de fazer isso, eu usei um serviço de limpeza de lista de emails.
      Li em algum lugar do Help do MailChimp que se você tiver uma bounce rate muito alta, eles começam a te colocar na blacklist e você fica impossibilitado de usar o serviço deles.

      Não sei se foi seu caso, mas se for uma lista antiga com muitos emails inválidos, faz sentido terem te bloqueado por acharem que é uma lista comprada.

      Caso não seja isso fico com a pulga atrás da orelha, pois no momento estou dependendo do MailChimp e gosto muito dele…

      Abraço,

  • Aninha Araújo

    cara parabéns sobre o artigo, gostei são alterações incrivelmente que implementam e ajudam no engajamento do leitor.

  • Eduardo

    Cara…vc é sem noção!!!
    Simplesmente fantástico o seu post
    Parabéns

    • Muito Obrigado Eduardo!

      Fico muito feliz em saber que adorou esse artigo. 🙂

      Forte Abraço!

  • George Newton

    Ótimo artigo Henrique! Mais detalhado que isso é difícil haha Abraço

  • Ótimo artigo!

    Já fiz testes A/B com e-commerce, alguns sendo os mesmos que você fez, de título e de cor e/ou texto de botões.
    Outro que fiz que foi um pouco diferente foi testando se era melhor fazer links direcionando para cada produto anunciado, ou se seria melhor linkar para a categoria/marca. Infelizmente não tenho mais acesso aos dados, mas lembro que os resultados desse último variavam muito e não consegui chegar a um resultado consistente.

    Quanto aos emails do Viver de Blog, eu prefiro as versões curtas por não ser muito fã de ficar lendo no client de email, prefiro ler no browser.
    Prefiro a versão HTML, mas o estilo de comunicação da versão Plain-Text é bem interessante. Aí entra um questionamento que eu carrego há um tempo para quando lançar meu futuro blog: será que um email em HTML com mais cara de “produto” mas com uma linguagem mais amigável funcionaria?

    Abraço e parabéns pelo blog novamente!

    • Oi Erick!

      Ótimo comentário: “Quanto aos emails do Viver de Blog, eu prefiro as versões curtas por não ser muito fã de ficar lendo no client de email, prefiro ler no browser.”

      Acredito que sintetiza bem a preferência dos leitores pelos emails curtos.

      Funcionaria sim. Tudo depende da mensagem que você está entregando. Uma linguagem mais amigável e apropriada para seu público faz uma boa diferença. Porém, continuaria testando HTML x PlainText para ter uma ideia da preferência visual do seu público.

      Blogs sobre design você se daria muito melhor usando HTML do que PlainText. Afinal, o visual para eles é muito importante.

      Abraços!

  • Que artigo ótimo. Parabéns.

    Henrique, você cria uma nova campanha para cada artigo que faz? Ou criou aquela Newsletter?

    Abraços!

    • Obrigado Ludyson!

      Crio uma nova campanha. Antigamente (no HC Investimentos) utilizava o modelo de entrega via RSS. Porém, a mensagem não era flexível e o disparo automático.

      Prefiro disparar quando quero, realizando os testes desejados e com total liberdade para incluir links, textos e imagens.

      Abraços!

  • camillehabib

    Muito bom o artigo! Ainda estou começando a fazer testes A/B em diversas situações (Facebook Ads, landing pages…). Também utilizo o MailChimp e tentei enviar uma versão Plain-Text mas não consegui adicionar link, então optei pela versão HTML (bem) simples.

    Você poderia me dizer como adiciono o link?

    Obrigada,
    Sucesso! 🙂

    • Obrigado Camille!

      Tenho certeza que aprenderá muito nesses seus testes A/B em diversas estratégias. Valem todo esforço. Para facilitar, estou escrevendo os emails somente de texto no novo editor deles. Apenas retiro qualquer imagem ou layout bonitinho como bordas. Daí fica 1.000x mais fácil padronizar e enviar emails.

      Abraços!

  • Muito bom! Mas talvez não faça muito sentido utilizar estes testes para aqueles leitores 4 estrelas ou mais.

    Digo isso porque se ele é 4 estrelas, provavelmente ele abrirá e clicará em seu email independente do leiaute.

    Contudo, se ele tem menos de 4 estrelas, talvez seja, realmente, necessário fazer um “trabalho de convencimento” para que leia o artigo.

    Faz sentido?

    http://www.ricodinheiro.com.br

    • Obrigado Kleber!

      Sim, aquele teste inicial foi uma experiência única para ver se o ranking do MailChimp funciona bem. E como funciona! 🙂

      Abraços!

  • Tavares

    Henrique , Parabéns pelo seu post. Muito bom e esclarecedor. Muito boa suas dicas ! abs

  • Fala Henrique “Testador” Carvalho!

    Cara, vou confessar que só cliquei no link que recebi (versão A do último teste), porque já sabia que era você o remetente. Acho muito feio e-mail com fonte Courier New, parece spam :))

    Gosto de receber e-mails no estilo do Teste #6 versão A, mesmo não utilizando esse padrão em minhas listas.

    Um outro teste que poderia fazer é colocar sua foto na assinatura.

    Enfim, gostei dos testes. Parabéns!

    • Oi Felipe!

      É… já modifiquei a fonte nos emails mais recentes e tive melhores resultados.

      A ideia de usar a Courier New era o forte contraste entre texto – negrito – links que destacavam esses 2 últimos.

      Obrigado pelo comentário. Testar a imagem na assinatura é algo interessante de se fazer.

      Abraços!

  • Nilton Neto

    Olá Henrique,
    Muito massa esse artigo!

    O que me chama atenção nos seus artigos e a forma como você os coloca, me faz quase afirmar que somos bem parecidos em uma coisa: Perfeccionismo!

    Eu mesmo fico em muitas situações antes de postar meus artigos, me criticando e toda hora achando que não está bom, falta algo e por ai vai…Queria muito me livrar disso!

    Querer e fazer a coisa certa é muto bom, mas sempre achar que algo não está bem somente me atrasa.

    Sou muito fã do seu blog e estilo de postar.

    Forte abraço.

    • Oi Nilton!

      Entendo bem esse seu pensamento. Gosto de pensar que dou MUITA atenção aos detalhes e adoro planejar antes de postar.

      Porém, sabemos que “done is better than perfect”. Logo, eu faço o meu melhor até postar, mas prefiro contar com o feedback dos leitores em diversas situações para que eles me digam como devo melhorar e não eu achar como devo melhorar.

      Essa forma de pensar tem me ajudado a entregar mais do que somente planejar.

      Forte Abraço!

  • Jorge Gonçalves

    Fantástico Artigo . Fiquei a conhecer este blog muito recentemente mas estou impressionado com a qualidade de boa informação oferecida.Parabéns Henrique…
    Abraços

    • Muito obrigado Jorge!

      Continue acompanhando o Viver de Blog. 🙂

      Abraços!

  • Edigley Alexandre

    Olá, Henrique!

    Obrigado por se preocupar em tantos detalhes neste artigo. Minhas dúvidas em como criar testes A/B foram tiradas.

    Respondendo a sua pergunta: é muito mais agradável receber em modo HTML.

    Abraço!

  • Leandro Moreira

    Oi Herique no MailChimp, dá para fazer uma reguá de relacionamento? tipo programar e-mail automaticos conforme for o perfil do usuario?

  • Jonathann de Almeida

    Adorei o artigo. Nunca havia visto estes testes em outros sites de conteúdo. Isso é um grande diferencial. Aguardo o complemento com os resultados do teste 7. Um forte abraço!

  • Philipe

    Olá, Henrique.

    Gostaria de saber o que você usa para criar seus formulário de inscrição na lista (fora o mail chimp) ? Pra fazer o design

    • Oi Philipe!

      Utilizo uma versão customizada pelo meu designer.

      Abraços!

  • Fabio Jonatas

    Olá Henrique. Uma duvida: Eu por exemplo acompanho diversos blogs sobre os mais variados assuntos, de marketing a musica, passando por viagens e filosofia.

    Particularmente, como leitor, detesto deixar meu email, principalmente para não ter muita distração na hora de abrir minha caixa de entrada, já que muitas vezes tenho uma quantidade razoavel de emails pra responder.

    Por isso sempre que encontro blogs do meu interesse assino por meio de feeds. Isso é meu costume como leitor. Mas agora com um projeto de montar um blog proprio, gostaria de entender como quais as vantagens de ter leitores que utilizam o mesmo tipo de assinatura.

    Percebo que antes com o falecido Google Reader, muitos blogs deixavam mais expostos os links para assinatura via RSS, hoje em dia, mesmo com outros softwares e webapps para leitura de feeds vejo menos utilização desse recurso, ou talvez menos exposição desses atalhos nos blogs mais atuais.

    Como é possivel gerenciar a quantidade de leitores assinantes via feeds e como tornar as postagens atraentes para os varios tipos de leitores existentes hoje?

    Abraço

    • Ola Fabio!

      Realmente o RSS entrou em desuso, principalmente com as possibilidades cada vez maiores que um emkt pode proporcionar. 🙂

      Abraços e sucesso.

  • Saulo Guidotti

    Gostei muito do artigo! Esse tipo de artigo que está em falta na internet. Informações reais que contribuem para que outras pessoas possam também ter sucesso em seus negócios.

    http://www.bloginteligente.com.br

  • Vinícius Ferreira

    Henrique, parabéns pelo artigo. Se possível me passe seu contato de e-mail para conversarmos.

  • Tássia

    Oi Henrique, fiquei curiosa para saber qual foi o resultado do teste #7, pois não consta no artigo! Abs e parabéns pelo blog!

    • Olá Tássia! Depois posto aqui o resultado 🙂

      Abraços e sucesso.

  • Bruno

    Gostei muito do artigo, parabéns amigo.

  • Hugo Camilo

    Henrique, parabéns pelo excelente material, tb utilizo o mailchimp e descobri alguns recursos nesse “documentário” que vc escreveu [rsrs], que até então eu não conhecia. Obrigado! Abç

    • Hugo Camilo

      Ahh! Como vc faz para alterar a largura do e-mail como vc menciona no teste #7?

      Abç

  • Thiago Henrique Souza

    Henrique, você tem se tornado um verdadeiro mentor para mim com suas dicas valiosas. Tenho seguido todos seus ensinamentos e usado praticamente todas as ferramentas por você recomendadas. Principalmente o mailchimp. Estou explorando muito ele.

    Mas estava lendo esse artigo para procurar (não encontrei nem aqui nem na web) algo que falasse sobre teste A/B nos workflows do mailchimp. Ou seja, gostaria de testar duas sequências distintas, ou pelo menos testar 2 tipos de emails no primeiro envio do workflow.

    Você teria algo a compartilhar?

    Obrigado!

    • Muito obrigado pela sugestão Thiago!

      Vou colocar aqui na lista (que já está grande) e assim que surgir a prioridade post ele no blog. 🙂

      Abraços!

  • Ale

    Olá Henrique, parabéns pelo artigo e por abrir seus resultados pra gente.
    Uma dúvida, será que o formato HTML não apresentou resultados inferiores ao formato TEXT pq parte do primeiro acabou parando na caixa de Spam de alguns?

    abs !!

    • Olá Alexandre!

      Obrigado por comentar e compartilhar sua dúvida 🙂

      Abraços e sucesso.

  • Janina Ester

    Henrique, acabei de me cadastrar na sua lista e por enquanto estou “in love”, mesmo que a princípio não compreenda todos os termos. Você está de parabéns com os conteúdos super didáticos e pertinentes 🙂

    • Muito obrigado Janina!

      Fique tranquila. O objetivo do Viver de Blog é descomplicar tudo o que já complicaram sobre marketing digital.

      Abraços!

  • Murilo Lima

    A perfeição é feita de pequenos detalhes, já dizia Michelangelo. Seu artigo nos fez enxergar coisas que passavam despercebidas. Parabéns Henrique.

  • Henrique Rodrigues

    Oi Henrique, já tem o resultado do teste 7 rs, Curioso, abraço!

    • Olá xará! 🙂

      Vou verificar aqui os resultados com minha equipe!

      Abraços e sucesso.