close

Mais Blog

Como parar de sofrer com a falta de criatividade na escrita

Henrique Carvalho Escrito por Henrique Carvalho em 27 de maio de 2020
Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A falta de criatividade é a pedra no sapato de todo e qualquer escritor.

Quanto mais longa a sua experiência, mais vezes deve ter enfrentado aqueles momentos sombrios onde a cabeça até dói de tanto que é preciso forçar para que algumas palavras preencham a tela em branco.

O também chamado de bloqueio criativo está tão associado à escrita que em inglês é chamado de “writer´s block“.

Durante 20 anos, o psiquiatra Edmund Bergler acompanhou escritores que sofriam do que na época ele chamou de “inibições neuróticas da produtividade”.

Seria o fim do estoque de ideias que causava esse tão indesejável efeito?

Hoje sabemos que isso não passa de um mito, mas esse fato foi seriamente estudado.

A falta de criatividade não se dava por conta do fim das ideias, mas sim pela dificuldade em se formar imagens mentais, impedida pela falta de autoconfiança no próprio potencial.

O ser humano é dotado de uma imaginação sem limites, desde que saiba usá-la da forma correta.

O tripé que sustenta a sua loja lucrativa de ideias

O escritor R.L. Stein, autor de Gosebumps, é também o criador do termo “loja lucrativa de ideias”, que ele compara a bons investimentos financeiros, pois vão render lucros no futuro.

Para ser um bom escritor, é preciso antes ter boas ideias inovadoras para escrever.

Porém, nem sempre temos a capacidade de fazer a seleção entre as ideias boas e ruins. E mesmo que saibamos, nem sempre colocamos uma boa ideia em prática.

Se o primeiro passo é ter boas ideias para construir sua loja lucrativa, você precisa de boas fontes.

Experiência

Todo lugar pode ser uma mina de ouro de boas ideias, seja na sua casa ou em locais públicos.

Toda vez que observar ou viver algo de interessante, ou tiver uma reflexão poderosa, anote.

Crie o hábito de tomar notas sempre que julgar necessário, seja no seu celular, em um caderno.

Memória

Não deixe de aproveitar essa fonte e traga suas próprias experiências e histórias para sua escrita.

Tenha um diário e anote suas experiências e pensamentos. Mesmo que você não publique, vai treinar sua habilidade de escrever a partir da sua memória.

Imaginação

As situações mais interessantes podem acontecer quando você se permite perguntar “e se”.

E se um filme de faroeste se passasse no espaço? Teríamos Star Wars.

A falta de criatividade não irá lhe assombrar se você permitir que ideias fora da caixa floresçam através desse pensamento.

Quando você estiver em um local público, como um aeroporto, restaurante ou estação de metrô, observe as pessoas e escreva uma história curta como o “e se” de alguma pessoa que chamou sua atenção.

Método I.D.E.I.A: o passo a passo para eliminar a falta de criatividade

Por que algumas ideias funcionam tão bem e outras falham de forma terrível?

Essa é a ideia central do livro “Made to Stick”.

O livro é organizado em torno de 6 princípios fundamentais para uma ideia funcionar, apresentados através do acrônimo SUCCESS.

  • SIMPLICITY – Simplicidade
  • UNEXPECTEDNESS – Inesperado
  • CONCRETENESS – Concreto
  • CREDIBILITY – Credibilidade
  • EMOTIONS – Emoções
  • STORIES – Histórias

Isso significa que uma ideia que gruda em nossa mente e é facilmente lembrada precisa fazer com que as pessoas:

1. Entendam facilmente ela: simples.

2. Prestem atenção nela: inesperado.

3. Lembrem com visuais e sentimentos: tangível.

4. Acreditem nela: credibilidade.

5. Se preocupem com ela: emocional.

6. Tomem ação sobre ela: história.

O método IDEIA tem como objetivo gerar ideias que se encaixam nesses 6 princípios, afinal, falta de criatividade não se resolve com qualquer ideia, mas sim com boas ideias.

E já adianto: nenhuma boa ideia nasce do completo zero ou é 100% original. Até mesmo as inovações mais geniais são mix e remixes.

Para combater a falta de criatividade na sua escrita você deve se fazer a seguinte pergunta: como posso mixar elementos já conhecidos e uni-los de uma forma diferente e colocar o meu tempero único?

Através do método I.D.E.I.A

I: incubação.

D: distribuição.

E: estruturação.

I: iluminação.

A: ação.

1. Incubação

Se você quer ser um bom escritor ou redator e não, quer sofrer com a falta de criatividade, leia muito e escreva muito.

Não há como abastecer seu estoque de ideias sem boas referências para usar em novas conexões.

Toda a informação com a qual entramos em contato durante nossa pesquisa e em nosso dia a dia, fica armazenada em uma espécie de biblioteca do subconsciente. E que não pode ser acessada sempre no momento desejado.

Você pode demorar minutos, horas, dias, meses ou anos para usar aquela referência adquirida, mas ela precisa estar incubada na sua mente.

Onde adquirir boas referências:

  • Livros
  • Audiobooks
  • Sites e blogs
  • Vídeos e palestras
  • Cursos

2. Distribuição

Você consegue se lembrar o que estava fazendo no exato momento que teve sua última ideia genial?

Possivelmente você envolvido(a) em uma atividade que exigia pouco de suas habilidades cognitivas, como tomar banho, fazer uma caminhada ou lavar a louça.

Como a mente não está sendo muito requisitada nesses momentos, o subconsciente consegue trazer à tona as referências que foram armazenadas no estágio de incubação.

Por isso crie o seu próprio banco de ideias, seja em um aplicativo como o Evernote ou Bear App, o bloco de notas do seu celular ou até mesmo em um caderno.

3. Estruturação

Como você sabe muito bem, seu tempo não é um recurso ilimitado ou que pode ser comprado em alguma loja.

É nessas horas que você irá agradecer por investir alguns minutos do seu tempo para organizar e catalogar suas ideias, seja separando em pastas, tags ou usando etiquetas, catalogue as suas melhores ideias

Como não conseguimos lembrar de todas as ideias quando precisamos delas, ter uma memória virtual ou física bem organizada no momento de necessidade, irá garantir que o fantasma da falta de criatividade não assombrará sua vida.

4. Iluminação

A combinação de referências e informações, com um toque especial, cria algo genial e também o(a) ajudará a escrever com maior velocidade.

Como você já colheu e organizou sua fonte de referências, ficará mais fácil investir na combinação entre elas, ainda que não sejam sobre o assunto que você escolheu escrever.

5. Ação

Chegou a hora de escrever!

As ideias já estão definidas, já organizou e revisou os materiais que vai usar como fonte de informações.

Sempre trabelhe com um único tópico central, a sua Big Idea, já que para chamar a atenção seu texto precisa “defender” uma única ideia central.

E ter subtópicos que vão ser os pilares de apoio do tema escolhido.

Organizar os temas que você separou em tópicos, assim como as ideias que irão preencher esses subtópicos.

Hábitos x inspiração: qual a arma mais importante no combate à falta de criatividade

Dizer para si próprio que você escreve apenas quando a inspiração bate chama-se autossabotagem.

William Faulkner, escritor americano vencedor de um prêmio Nobel, brincava com a falsa ideia da inspiração constante:

“Eu apenas escrevo quando estou inspirado. Felizmente, a inspiração chega todo dia às 9 da manhã.”

O desenvolvimento do hábito da escrita irá superar a inspiração e a genialidade em 99,99% das vezes, não importa se você é um escritor iniciante.

A postura profissional que você escolhe ter irá ditar seus resultados e não o talento.

Um exercício prático para ajudar na fixação do hábito de escrever é o que chamo de “Micro Sprint”.

Você irá determinar quanto tempo por dia irá dedicar exclusivamente para escrever e nada mais. Se você é iniciante, comece com 5 minutos diários e se está mais avançado pode ir acima de 30 minutos.

Recomendo que você faça essa atividade na sua melhor hora do dia, aquela onde você terá menos interrupções externas.

Desligue o celular e o wi-fi, o foco é na escrita. Você não pode consultar a internet nem outras fontes como livros para fazer pesquisas. Essa é a hora de colocar as palavras na tela ou no papel.

Além de entrar no estado de flow, você está treinando o seu “músculo” da escrita.

Quanto mais você escreve, mais adaptado se torna. Tanto sua capacidade de digitação, criatividade e qualidade do texto irão aumentar com o tempo.

Coloque no topo do documento sobre o que você vai escrever (qualquer assunto é válido) e se necessário faça a pesquisa em outro momento. Ou escreva sobre o que vier na sua cabeça.

Comece a contar o tempo e parta para a ação sem parar até terminar os minutos que você determinou.

No dia seguinte, repita o processo.

Para incorporar o hábito, procure escrever todos os dias, evitando a todo custo perder mais que dois dias seguidos para não correr o risco de colocar seu progresso a perder.

Além de exercitar a escrita diária, a falta de criatividade será apenas uma sombra do passado se você:

  • Estiver em um estado físico adequado, privilegiando o descanso e altamente motivado(a).
  • Manter bons hábitos, como a prática de exercícios, alimentação saudável e meditação diária.
  • Evitar a procrastinação frequente.
  • Mantiver um bom “estoque” de referências de todo o tipo.
  • Não contar com momentos de inspiração para criar.
  • Reduzir a presença da lógica em momentos criativos (não revise enquanto escreve).
  • Não for perfeccionista.
  • Não temer rejeição.
  • Dominar a ansiedade.
  • Parar de temer o bloqueio criativo.
  • Acreditar no seu potencial criador.
Como ser muito bem pago pelo que você AMA escrever.

Escritor Milionário

Torne-se um Escritor Milionário →
Escritor Milionário

Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

>