close

Mais Presença

Marketing para Escritores: como se tornar um Best-Seller

Henrique Carvalho Escrito por Henrique Carvalho em 14 de abril de 2021
Junte-se a mais de 250.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Uma vez um escritor famoso disse: “Eu não sou o melhor escritor, eu sou um escritor best-seller”.

A dura verdade em suas palavras, chocou vários fãs que acreditavam que ele era o MELHOR escritor.

Sua sábia sinceridade me levou a entender que você não precisa escrever para ser o escritor mais talentoso. E assim, ganhar um Oscar, ou até mesmo um prêmio Nobel de literatura.

Ao mesmo tempo, você não deseja ser reconhecido como uma cobra vendedora que desliza pra lá e pra cá com sua maneira tóxica de vender a qualquer custo.

A linha fina entre esses dois extremos é o balanço que desejamos:

Escrever de modo único e, ao mesmo tempo, vender para viver exclusivamente da nossa paixão.

Basta ver o que os melhores escritores do mundo fazem.

Vamos dar uma olhada no valor estimado de vendas que cada um já gerou:

• J. K. Rowling (Harry Potter) — $500M (R$ 2 Bilhões)

• R.L Stein (Monstros e Arrepios) — $400M (R$ 1.6 Bilhão)

• Stephen King (À Espera de um Milagre) — $350M (R$ 1.4 Bilhão)

• Paulo Coelho (O Alquimista) — $350M (R$ 1.4 Bilhão)

• James Patterson (Alex Cross, a Série) — $275M (R$ 1.1 Bilhão)

• C. S. Lewis (As Crônicas de Nárnia) — $200M (R$ 1 Bilhão)

• Dan Brown (Código Da Vinci) — $200M (R$ 1 Bilhão)

• EL James (50 tons de cinza) — $125M (R$ 500 Milhões)

Agora… perceba que NENHUM deles ganhou um prêmio Nobel.

Eles são bem sucedidos não porque TEM ideias, mas sim porque sabem como posicionar e vender suas ideias: a base do marketing para escritores.

Todos que escrevem são escritores.

  • Romancistas, Poetas e contistas.
  • Roteiristas
  • Redatores e Jornalistas
  • Professores
  • Copywriters e Social Medias
  • Ghost Writers e Blogueiros
  • Editores e Críticos literários
  • Tradutores e Revisores

E a lista nem acaba aqui.

Todo escritor precisa aprender a fazer seu próprio marketing.

Todo profissional que usa a escrita de alguma forma no seu dia a dia precisa aprender a usá-la também para se vender. Para valorizar seu trabalho e ganhar mais, seja vendendo seus serviços, criando um negócio em torno de uma marca pessoal ou construindo uma audiência mais engajada.

São as ideias, as emoções geradas e a escolha de palavras certas que fazem com que as pessoas tenham interesse em ler o que você escreve.

E que comprem o que você vende, seja seu tempo, seus livros ou seus produtos digitais.

Não existe um Escritor Milionário que não seja bom em marketing para escritores.

Muitas vezes eles não são os melhores escritores, mas são os que melhor sabem se vender, como o exemplo desse escritor campeão de vendas que citei.

E você pode concordar ou não, mas quem não é visto não é lembrado.

Como fazer o marketing para escritores

Então vamos falar sobre os 3 níveis de ganhar dinheiro escrevendo.

Sem enrolações. Direto ao ponto, independente do seu estágio na escrita hoje.

1. Vender seus serviços de escrita

Principalmente para quem está dando os primeiros passos na hora de transformar palavras em cifrões, vender sua habilidade de escrever para outras pessoas e empresas é um passo fundamental.

Nesse primeiro nível estamos falando sobre estas possibilidades:

  • Redator freelancer ou redator fixo em uma empresa.
  • Social media: escrever para redes sociais de outra pessoa/empresa.
  • Copywriter: escrita persuasiva para fazer o negócio de outra pessoa vender.
  • Ghostwriter: estrutura e escrever livros para experts.
  • Revisor de textos profissional: em sua maioria de livros.
  • Tradutor de textos: traduzindo outros idiomas para o português.

2. Vender seus produtos apoiados na escrita

O 2.º nível é uma carreira solo, porque você está escrevendo para seu próprio negócio ou projeto.

As possibilidades são várias, mas as comuns são:

3. Reforçar sua marca pessoal usando a escrita

O 3.º nível é um otimizador para o primeiro ou segundo nível.

É você escrever para melhorar a percepção de autoridade, autenticidade e confiança da sua audiência sobre você.

São posts como esse para se destacar no meio da multidão.

Não com informação, mas sim com sabedoria, com conhecimento, separando o oceano de dados em um copo d’água para saciar os desejos de sua audiência.

Como vender com elegância e eficiência

Nós seres humanos aprendemos a confiar em nosso próprio julgamento.

São padrões, às vezes inconscientes, que nos fazem aproximar ou distanciar de uma pessoa.

E sim, isso pode acontecer com o seu conteúdo. Especialmente se ele tiver o intuito de vender um produto ou serviço.

Seu leitor percebe quando você está querendo vender algo.

Assim como nota quando não é uma recomendação natural e quando o dinheiro obtido com a recomendação parece ser o único motivo para gerar um conteúdo.

Assim como qualquer emprego, devemos ser pagos pela qualidade que colocamos no nosso trabalho.

Porém, as pessoas esperam conteúdos de graça na internet. E quando você vende algo, é como se estivesse vendendo a alma ao diabo.

É nesse ponto que entra a venda invisível.

Você precisa vender, mas essa venda deve soar como invisível para seus leitores, sem forçar a barra, sendo mais uma recomendação do que um pitch de vendas.

Quanto menos você fala sobre o produto, e mais sobre o seu leitor, mais interesse você gera por ele.

Ao focar na transformação que a pessoa pode alcançar, você vira a chave na cabeça de quem lê.

Porque você mostra que entende os problemas da pessoa e tem a melhor solução para eles.

Além de se preocupar em gerar valor primeiro, para depois fazer a venda.

Acima de tudo, busque sempre educar o leitor. Desse modo, você estará gerando mais autoridade e credibilidade para seu trabalho, aumentando diretamente a receita gerada no seu negócio.

Seja através da recomendação de produtos próprios ou de afiliados.

Exemplos de marketing para escritores no meio digital

O Instagram é uma das muitas ferramentas que um escritor, copywriter ou empreendedor pode usar para divulgar sua escrita.

Um ótimo exemplo é Rupi Kaur, poetisa e escritora muito conhecida nas redes sociais, em especial pelo seu Instagram @rupikaur. Seu livro ‘Outras formas de usar a boca” é o 1.º lugar da lista dos mais vendidos do New York Times.

A presença digital dela é tão forte que ela é chamada de Instapoet, ou poeta do Instagram.

Rupi é um ótimo exemplo de que existem inúmeras formas de viver da escrita e de divulgar seu trabalho. E quem não aproveita a oportunidade que a internet traz consigo, para fazer seu marketing para escritores,  está desperdiçando tempo.

Se você gostaria:

  • De publicar um livro
  • De vender suas poesias
  • De potencializar sua marca pessoal com a escrita
  • De alavancar seu negócio digital
  • De vender seus serviços
  • De se tornar um redator, social media ou copywriter
  • De simplesmente de ser lido

Você terá que saber mais do que apenas escrever bem.

Você terá que saber como alcançar as pessoas.

Como chamar e manter sua atenção.

Como ser persuasivo e criativo.

Além de aprofundar suas estratégias de marketing.

A junção do artista com o empresário é necessária para quem deseja viver da escrita.

O marketing para escritores do século XXI não é opcional, é necessário, até mesmo para aqueles que sonham em serem publicados por uma editora, pois ter uma audiência é requisito básico até mesmo nesse caso.

E a boa notícia é que se você precisa desenvolver um ou os dois lados da moeda do sucesso, é possível.

Dá tanto para aprender a escrever bem, quanto aprender a vender. E ainda usar a escrita para vender.

Basta estudo, direcionamento, método e dedicação. Tudo que ensinamos no Método Escritor Milionário para mais de 4.500 mil alunos que hoje sabem como viver da escrita e usar a escrita para viver.

Para saber mais, clique aqui.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

  • Junte-se a mais de 250.000 pessoas

    Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

    >