close

Mais Blog

Como escrever o seu primeiro livro digital: 6 dicas de quem já enfrentou e venceu essa batalha

Henrique Carvalho Escrito por Henrique Carvalho em 24 de março de 2021
Junte-se a mais de 250.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Como escrevi e lancei meu primeiro livro digital?

Foi mais simples do que eu imaginava.

O verão de 2012 foi a passagem de ano mais espetacular na minha carreira como escritor.

Não por causa da linda praia em Itaúna que passei com minha família. Afinal, eu estava focado em uma única missão.

Terminar meu primeiro livro digital sobre uma estratégia de investimentos pouco conhecida chamada Alocação de Ativos.

Eu tinha 30 dias para criar do ZERO esse material e vendê-lo somente pela internet.

Levei alguns dias até chegar ao conceito original para esse livro digital, respondendo a essa simples pergunta:

“Eu estou criando () para () que faz () porque ().”

“Eu estou criando um livro digital sobre alocação de ativos para investidores que os ajuda a investir sem se preocupar com o sobe e desce do mercado porque ninguém comenta sobre essa técnica sólida no Brasil, usada pelos melhores fundos de investimentos do mundo.”

Com o conceito bem definido, reservei 3 semanas para escrever o livro inteiro (em torno de 300 páginas).

Em apenas 7 dias o material estava completamente pronto.

Do início ao fim. Revisado e pronto para publicação.

Nas outras três semanas, preparei todo o material de marketing:

  • Página de vendas
  • Artigos de antecipação no blog
  • Checkout no meio de pagamento
  • Emails para divulgação na lista que construí pelo blog
  • Banners para colocar no blog
  • Networking com autoridades nesse mercado.

No dia 20/03/2012, abri as vendas para ele no meu site ao preço de R$ 87 e, para minha surpresa, foram 119 vendas no primeiro dia. Ou seja, um faturamento de R$ 10.353,00 em menos de 14 horas.

Até hoje, mais de 9 anos depois, esse livro digital continua vendendo e já gerou uma receita total de mais de 330 mil reais.

Dá para imaginar como esse verão em 2012 marcou profundamente minha carreira como escritor.

Ele mostrou que era possível.

Ele mostrou que a dedicação supera qualquer desafio.

Ele mostrou que eu poderia escrever um livro e viver da escrita.

Por que escrever um livro digital?

Quantos autores não sonham em ver seu trabalho sendo lido por diversas pessoas?

Infelizmente, o mercado editorial não é para todos.

Para ver seu livro publicado, você precisa não só ter um bom trabalho, mas corresponder às expectativas do mercado naquele momento, para quem sabe assim, cair nas graças de algum editor.

Vamos supor que você escreva sobre um assunto bastante em alta no momento, como ficção estilo fantasia, como Harry Potter ou Game of Thrones, grandes sucessos de venda.

Essas obras acabaram por aumentar a procura por livros de outros autores do mesmo gênero, elevando, em consequência, a procura das editoras por novos talentos.

Mas e se você não produz nada relacionado ao desejo de grandes massas como esse exemplo acima?

Talvez seu livro nem tenha chance de ser publicado, apesar da sua qualidade, pois será destinado a um público mais específico, em um nicho de mercado. Nesse momento que a autopublicação pode ser um caminho a ser considerado.

E como um incentivo extra, você precisa saber que a venda de livros digitais já ultrapassou a venda de livros físicos em gigantes como a Amazon.

Apesar de não ser fácil ganhar destaque em um mar de publicações oferecidas pela Amazon.com ou outras plataformas semelhantes, a autopublicação pode ser um caminho altamente rentável, desde que bem planejado.

Principalmente se você investir em construir sua própria plataforma, ou seja, um blog ou site,e em consequência, uma audiência, que teria interesse em comprar seu livro.

Outras vantagens do livro digital

Diversos outros produtores de conteúdo, blogueiros, escritores independentes e empreendedores já descobriram que escrever um livro digital pode abrir caminhos em suas vidas profissionais.

Sua audiência até pode gostar muito do seu conteúdo gratuito, mas isso por si só pode não ser um grande incentivo para se inscrever na sua lista de emails.

Se você oferece informações adicionais, de qualidade e ainda por cima, gratuitas, em formato de livro, ou melhor, de eBook, a oferta se torna quase irresistível.

Você pode até não ganhar no primeiro momento, mas quem tem uma lista de emails possui um verdadeiro tesouro nas mãos. Basta saber como usar estrategicamente para gerar muito mais renda no futuro.

Além disso, você ganha pontos com sua audiência. E quanto mais valor você gera, mais seu público o reconhece como uma autoridade no mercado.

Sem falar que você mostra que realmente entende do assunto a ponto de escrever um livro de qualidade sobre ele.

Pronto para começar a escrever seu próprio livro?

Como escrever seu primeiro livro digital

Planejar como escrever um livro já é uma tarefa intimidadora para a grande maioria das pessoas.

Sentar de frente para a tela em branco do seu computador e começar a escrever de fato, ainda mais assustador.

Muitas vezes as preocupações e angústias em relação ao tema escolhido começam a aparecer nesse momento.

Portanto, recomendo que você quebre a tarefa “escrever um livro” em outras menores e detalhe cada um dos passos.

E se você funciona na base da pressão, coloque uma data limite para a entrega de cada uma delas.

1.Faça pesquisa e crie um banco de ideias

Leia e analise o que outras pessoas estão produzindo. E como você pode fazer diferente.

Crie o hábito de salvar bons materiais de pesquisa, marcar trechos e páginas dos livros que você lê, fazer resumos de suas leituras e anotar todas suas ideias em um único lugar.

Esse banco de conteúdos vai salvar a sua escrita da falta de inspirações acelerar seu processo de escrita, não só do seu primeiro livro, como de muitos outros.

Você pode usar o Evernote, o Google Drive ou até o bloco de notas do seu celular para esse fim.

2.Planeje o livro do começo ao fim

Durante a fase de pesquisa, as ideias do seu livro vão começar a pipocar a todo momento: durante a leitura, no momento de meditação e silêncio ou até no banho.

Aproveite para construir as bases do seu primeiro livro, ou seja, definir quais os tópicos e subtópicos serão tratados em cada um dos capítulos.

Se você estiver escrevendo seu primeiro livro de ficção, a dica é a mesma.

Primeiro planeje em linhas gerais o desenrolar da sua história, o perfil do protagonista e outros personagens, o cenário e qual a mensagem mais importante de todo o livro.

Criar um mapa mental com todas essas informações antes de escrever a primeira linha, é fundamental principalmente para quem está começando, para que o sucesso do seu livro não dependa somente da sua inspiração, mas da sua organização e planejamento.

Através de elementos visuais e uso de cores diferentes, fica fácil montar a estrutura do livro, definindo a hierarquia de capítulos, tópicos e subtópicos com maior facilidade.

4.Crie uma rotina de escrita diária e parta para a ação

Escrever materiais longos como livros e ebooks não é tarefa possível de ser feita de um dia para outro. Nem que você seja o mestre da produtividade.

Muita gente acaba desistindo dessa complexa tarefa muito antes de sequer começar, justamente porque ela parece quase uma missão impossível para quem tem um negócio para administrar ou um trabalho a cumprir.

Se esse é o seu caso, uma rotina de 15 minutos de escrita pode ser a solução dos seus problemas.

Essa ideia veio do escritor Anthony Trollope que, ao longo de 38 anos, publicou 47 romances, 18 obras de não ficção, 12 contos, 2 peças de teatro e uma variedade de artigos e cartas.

Trollope alcançou sua incrível produtividade escrevendo em intervalos de 15 minutos durante três horas por dia.

Ao invés de medir seu progresso pelo número de páginas ou palavras escritas, a meta dele era escrever por 15 minutos consecutivos.

Talvez você não tenha as mesmas 3 horas diárias apenas para escrever, mas pode adaptar o conceito para a sua realidade.

Se tudo que você consegue é uma hora por dia, escreva por 15 minutos, descanse outros 5 e faça mais 15 minutos de escrita até completar o tempo total.

A sua mente vai entender que, uma vez que o ciclo de 15 minutos for completado, essa é uma pequena vitória.

Ao invés de se cobrar para ter um capítulo finalizado, você apenas escreve por 15 minutos.

E, quando menos perceber terá seu livro finalizado.

5.Revise, revise de novo e revise mais uma vez

Durante qualquer processo de produção de texto, pequenos erros de ortografia e digitação são comuns.

No entanto, seu livro não pode apresentar esse tipo de problema. Não importa se ele é gratuito ou pago.

O leitor irá perceber e, dependendo da gravidade dos erros em questão, pode desistir da leitura no meio.

Se você fosse publicar seu livro através de uma grande editora, o editor seria o responsável não só por encontrar erros, mas também eliminar passagens que não se adequam ao contexto, frases em excesso e até mesmo mudar a ordem de capítulos.

Ao decidir publicar por conta própria você terá que ser seu próprio editor.

Caso essa seja sua realidade, faça a revisão em um outro momento.

Dias, talvez até uma semana depois de finalizar a produção de cada capítulo.

Deixe seus olhos descansarem e sua mente esquecer um pouco do assunto em questão. E tente ler como se fosse você o leitor.

6.Venda seu livro digital pela capa

Você compra um perfume pelo aroma ou pela embalagem?

O aroma, assim como o conteúdo do seu primeiro livro, é decisivo. Porém, é o frasco, ou a capa, que atrai e cria a primeira impressão.

No meu primeiro livro digital, optei por terceirizar o design porque eu não tinha os conhecimentos necessários para criar um visual interessante para o meu livro digital.

Também existe a opção de usar templates prontos, como os disponíveis no Canva.

Ou quem sabe, se você possuir conhecimentos em softwares como InDesign da Adobe pode conseguir um resultado ainda mais profissional.

Além do design da capa, o título é a primeira conexão que você vai estabelecer com seus leitores.

Não economize esforços nessa parte do seu livro se você não quer jogar dias, meses e até anos de dedicação fora.

Dias difíceis vão aparecer no caminho…mas você dá conta.

Até mesmo os melhores e mais produtivos escritores têm dias ruins.

Outro dia estava assistindo a uma palestra com Stephen King e George R.R. Martin.

Durante o vídeo, Martin pergunta a Stephen King se ele tinha alguma dica para ser mais produtivo ao escrever.

Para quem não sabe, os livros restantes de Game of Thrones estão longe de serem publicados porque o próprio Martin admitiu estar enfrentando diversos dias difíceis durante o processo de escrita.

Por outro lado, King é considerado um dos escritores mais produtivos do mundo, com  59 livros publicados e mais de 400 milhões de cópias vendidas.

Para manter esse alto grau de produtividade, você deve imaginar que ele escreve praticamente o dia todo. Pelo menos eu pensava que sim…

Mas ele escreve 6 páginas por dia em 3 a 4 horas de trabalho. Porém, ele não falha em sentar todos os dias na sua mesa de trabalho e escrever as 6 páginas.

Com ou sem vontade. Com ou sem inspiração.

Nas mãos dele, a página não permanece em branco. Ao mesmo tempo, ele não espera ter algo bom ao final dessas horas. Ele apenas escreve e deixa a revisão para outro momento.

Por que eu decidi te contar essa história?

Primeiro, para mostrar que até os escritores mais bem-sucedidos do mundo têm seus problemas no processo de escrita e, apesar de amar o que fazem, também passam por dias ruins.

Em segundo lugar, para mostrar que, aqueles que tratam a escrita como um hábito, e não como uma arte dependente da inspiração, conseguem escrever e publicar seus livros.

Se você está enfrentar dias ruins durante a escrita do seu livro, você não estará sozinho(a).

Mas não deixe que isso impeça que você faça o que precisa fazer: escrever.

Portanto, tenha certeza que você está disposto(a) a injetar a dose de energia necessária para levar esse projeto até o final.

Caso contrário, você terá apenas desperdiçado horas em vão.

Minha intenção não é fazer você desanimar e desistir, mas sim apresentar a realidade nada glamourosa que envolve a produção de um livro.

O esforço vale muito a pena e pode ser para você, assim como foi para mim, o início de algo muito maior.

Fature de R$ 7.000 a R$ 22.000 por mês enviando emails.

Workshop de Campanhas Semanais

Quero Saber Como →
Workshop de Campanhas Semanais

Junte-se a mais de 250.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

>