close

Mais Conversões

Como usar o poder do planejamento estratégico para transformar ideias geniais em ações inovadoras

Henrique Carvalho Escrito por Henrique Carvalho em 20 de junho de 2017
Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Planejamento estratégico é a melhor oportunidade de transformar uma ideia, um sonho, em realidade.

Você pode ter ideias brilhantes, mas se não pode realizá-las, suas ideias não vão levar você para lugar algum” – Lee Iacocca

Se você é um leitor regular do Viver de Blog deve ter reparado que, em nossos últimos conteúdos, estamos falando muito sobre estudo de mercado, estratégias e ferramentas de marketing.

Todos esses conceitos podem parecer distantes da realidade de quem está apenas começando ou já possui um pequeno negócio, pois muitos desses conceitos são utilizados, em sua maioria, por grandes empresas.

No entanto, todo esse ensinamento pode e deve ser adaptado e aplicado também em negócios menores, pois possibilitam que seu negócio comece ou continue em uma jornada de sucesso. Especialmente no mercado ultra competitivo dos dias de hoje.

Claro que a aplicação desses conceitos para empreendimentos digitais e pequenos negócios precisa de uma abordagem simplificada, prática e que não tome muito do seu tempo.

E é essa versão do planejamento estratégico que vou mostrar para você!

O planejamento estratégico serve justamente para você tirar seus sonhos do papel. Através dele você desenha o futuro do seu negócio, estuda sua situação atual e define as ações que irão fazer com que você vá do ponto A (hoje) para o ponto B (futuro).

Esse futuro pode ser daqui a 3 meses, 1 ou 5 anos. A frequência com que você irá fazer seu planejamento estratégico depende da velocidade das mudanças no seu mercado e, principalmente, do que você deseja concretizar.

O planejamento estratégico pode ajudar você a:

  • Definir uma direção a seguir e estabelecer prioridades, assim você sabe onde quer chegar e quais as atividades-chave para alcançar esse resultado.
  • Garante que todas as ações, sejam elas de marketing, vendas ou finanças, estejam direcionadas para o mesmo objetivo.
  • Torna o processo de tomada de decisões muito mais fácil, pois com as prioridades previamente definidas é mais fácil saber ao que dizer sim ou não.
  • Evita que você perca tempo em atividades que não irão levar você ou sua empresa onde você precisa chegar, evitando desperdício de tempo e dinheiro.

Portanto, se você está precisando de um guia passo a passo para colocar suas ideias em prática, continue lendo esse artigo porque nele você vai aprender mais sobre:

Gostou do que vem por aí? Então já compartilhe com seus amigos para que cada vez mais pessoas consigam realizar o sonho de viver de sua habilidade única.

Você sabe o que quer da sua vida?

Talvez a relação entre vida pessoal, propósito e planejamento estratégico não seja tão clara assim. Porém, é essa aliança entre planejamento profissional e pessoal que fará a diferença na transformação de sonhos em realidade.

Veja os exemplos de grandes empreendedores como Steve JobsWalt Disney e Oprah Winfrey.

Todos eles começaram suas grandes empresas a partir de um sonho pessoal e o desejo de colocar em prática seu propósito de vida.

Sem esse forte desejo de realização pessoal, nem mesmo a Apple ou da Disney teriam sido idealizadas, quanto mais realizadas Afinal, essas marcas são reflexos de desejos individuais de seus criadores.

E mais, nenhum desses grandes nomes criou empresas apenas porque queria ganhar dinheiro, mas sim porque acreditavam em algum muito maior, na possibilidade de exercer sua habilidade única e, ao mesmo tempo, ajudar pessoas e impactar o mundo de forma positiva.

Se você está começando hoje ou não, não importa. Saber quais seus objetivos de vida para os próximos anos, seu planejamento estratégico pessoal irá impactar diretamente seu planejamento estratégico empresarial.

Eu não me refiro à decisões relacionadas à empresa, mas sim à sua vida. Antes de pensar nos rumos que deseja para seu negócio, reflita sobre o que você deseja para a sua vida. Para isso, procure respostas para essas perguntas:

  • O que você deseja fazer nos próximos anos?
  • Quer empreender sozinho(a) ou gostaria de ter um sócio, uma equipe para ajudar?
  • Você deseja empreender para fazer as coisas do seu jeito, ganhar muito dinheiro ou porque deseja impactar o mundo de forma positiva?
  • Quantas horas você quer trabalhar por semana?
  • Ter um negócio e trabalhar por conta própria é algo que combina com sua personalidade?
  • Quanto você está disposto(a) a correr riscos?
  • Se você pudesse desenhar o futuro ideal, como seria?
  • O que impede você de alcançar esse sonho?
  • Como ter uma empresa pode ajudar ou atrapalhar esse seu objetivo?

Todas essas respostas irão impactar o que você deseja para o seu negócio, pois ele nada mais é do que uma extensão de você mesmo(a).

Procure investir um pouco de tempo para fazer o seu planejamento pessoal antes de partir para o planejamento estratégico da sua empresa.

Se ambos estiverem alinhados, maiores são as chances de você não procrastinar e não desistir no meio do caminho.

Com isso em mente, vamos conhecer às etapas planejamento estratégico do seu negócio.

1.Conhecendo o cenário do seu negócio através do estudo de mercado

O estudo de mercado tem como objetivo analisar aspectos quantitativos e qualitativos de um nicho de mercado, a fim de entender se o mercado onde você pretende atuar (ou já está atuando), é o ideal para o seu negócio.

A definição de missão, visão, valores e até de objetivos, não compõem o planejamento estratégico por si só, a não ser que venham acompanhados de dados sobre o mercado-alvo.

O que os seus consumidores desejam ou o que seus concorrentes estão fazendo são dados importantes e sem isso você apenas possui um plano, mas não um planejamento estratégico.

O planejamento estratégico sempre considera que você está saindo do ponto A em direção ao ponto B. Mas para ir até o ponto B você precisa entender sua situação interna atual, ou seja, como está a sua empresa hoje e qual a situação externa, aquela que você não possui controle sobre: o mercado.

A melhor ferramenta para fazer essa avaliação da sua empresa é a Análise SWOT, pois ela dirá com clareza quais as forças e fraquezas do seu negócios, bem como as ameaças e oportunidades que você irá encontrar em seu caminho.

Para fazer a análise SWOT do seu empreendimento, veja o nosso infográfico sobre“Como Usar a Análise SWOT para Fazer um Diagnóstico Certeiro do Seu Negócio e Criar um Planejamento Estratégico de Sucesso

Recomendo também que você leia os artigos que já publicamos sobre mercado, consumidores e concorrência para entender qual a melhor forma de criar um bom planejamento estratégico baseado nos dados certos:

Por que você precisa obter esses dados do mercado? Para encontrar seu lugar único no mercado, sua vantagem competitiva e definir melhor a missão, visão e os valores centrais do seu negócio.

2.Missão: a razão da existência

A missão responde a pergunta mais fundamental de todas: por que existimos?

Nesse caso, por que a sua empresa existe? Qual seu propósito maior e a quem ela se destina?

Para definir a missão da sua empresa com sabedoria, é interessante que se responda a três questões básicas:

  • Por que a empresa existe?
  • O que a empresa faz?
  • Para quem?

A missão de uma empresa pode ser resumida em um parágrafo, uma linha ou até mesmo em poucas palavras, como a missão do Google:

Organizar a informação mundial para torná-la universalmente acessível e útil.”

Ou a missão atual da Disney:

Ser a líder mundial na produção e no fornecimento de entretenimento e informação. Através do nosso portfólio de marcas para diferenciar nossos conteúdos, serviços e produtos, nós desejamos desenvolver as mais criativas, inovadoras e lucrativas experiências de entretenimento e produtos relacionados do mundo.”

Ou a mais resumida, como da Nike:

Trazer inspiração e inovação para todos os atletas do mundo.”

A sua missão precisa:

  • Ser original e refletir a personalidade da sua marca;
  • Fazer sentido no longo prazo;
  • Ser memorável, portanto quanto mais simples e objetiva, melhor;

Você já sabe qual o motivo da criação da sua empresa, agora precisa saber para onde quer que ela vá, afinal, esse é o propósito de todo planejamento estratégico.

3.Visão: o futuro do seu negócio

Ao definir a visão de uma empresa, é importante estabelecer a perspectiva para longo prazo.

A visão inspira-se naquilo que se almeja para o futuro.

A visão é uma das partes mais importantes do seu planejamento estratégico, justamente porque esse tipo de planejamento possui o objetivo principal de criar uma ideia de futuro para o seu negócio. Ela será o guia do seu plano de marketing.

Por vezes, o conceito de visão é confundido com a missão. Enquanto a missão explica o por quê da existência da empresa, a visão indica onde você deseja chegar com seu negócio.

Inclui-se, nesta etapa, aquilo em que a empresa quer se tornar e em que direção devem ser focados os seus esforços.

Exemplo da visão da Mercedes-Benz:

Nosso objetivo é ser referência como empresa produtora e fornecedora brasileira dos melhores veículos comerciais, agregados, automóveis, componentes e serviços.

Da Nike, para que você consiga perceber a diferença entre a visão e a missão dessa empresa.

Ajudar a Nike Inc. e nossos consumidores a prosperarem em uma economia sustentável onde pessoas, lucros e o planetas estão em equilíbrio.

Exemplo de visão da Unilever:

Nossa visão é aumentar nossos negócios, enquanto desassociamos o crescimento da pegada ambiental e aumentamos o impacto social positivo.

Uma visão que faça sentido precisa ter essas características:

  • Visualizar a situação da empresa em 5 anos;
  • A declaração da visão precisa ser escrita no futuro;
  • Mostrar a direção a ser seguida;
  • Precisa ser ambiciosa e ousada;
  • Mostrar qual o impacto que essa direção irá causar no mundo.

4.Valores: o centro de tudo

Os planos de missão e visão são as rota de execução do seu planejamento estratégico. Já os valores da empresa guiam a sua conduta nesse processo.

Os valores de uma empresa devem refletir princípios éticos e morais, unindo o mundo empresarial ao pessoal.

São princípios inegociáveis, ditando comportamentos e atitudes no funcionamento de toda estrutura organizacional.

Dão suporte às formas de relacionamento dos colaboradores entre si e perante os clientes, fornecedores e sociedade, bem como são os pilares da gestão de marketing de conteúdo da sua empresa.

Como definir os valores de uma empresa?

Existem algumas metodologias para definir os valores de uma empresa, mas nada melhor do que uma reflexão profunda com os colaboradores ou sócios (se você tiver):

  • Se você acordasse amanhã e dinheiro não fosse uma necessidade para o resto de sua vida, você se manteria firme a estes valores?
  • Você consegue imaginar esses valores sendo válidos daqui a 100 anos, assim como são hoje?
  • Você gostaria que sua empresa mantivesse esses valores, mesmo que, em algum momento, eles se tornem uma desvantagem competitiva?
  • Se você começasse uma nova empresa amanhã em um ramo totalmente diferente de trabalho, você construiria os mesmos valores fundamentais para essa nova organização, independente da diferença de suas atividades?

Se a resposta para os 5 itens acima for “Sim”, você tem os valores de sua empresa muito bem definidos.

Exemplos de valores comuns:

  • Responsabilidade
  • Equilíbrio
  • Compromisso
  • Comunidade
  • Diversidade
  • Empoderamento
  • Inovação
  • Integridade
  • Propriedade
  • Segurança

Exemplo de Valores da empresa Volkswagen:

  • Proximidade ao cliente
  • Alta performance
  • Adicionar valor
  • Renovação
  • Respeito
  • Responsabilidade
  • Sustentabilidade

5.Definição de metas SMART

A missão e a visão irão mostrar, em linhas gerais, para onde a empresa deseja caminhar e os valores deixam clara a conduta que será adotada nesse processo.

Tudo isso com base na definição do cenário atual que considera as forças e fraquezas da empresa e as oportunidades e ameaças encontradas no mercado.

Porém, a implementação de estratégias exige a definição clara de metas, para não restar dúvida sobre o planejamento, mas, principalmente para quebrar um objetivo complexo em metas alcançáveis.

Objetivos devem ser organizados por grau de importância e de forma quantitativa e consistente. As metas precisam ser realistas.

Pense em suas metas como pontos de parada em sua viagem rumo ao destino final.

A meta SMART traz a estruturação de suas metas. Ao invés de apostar em definições vagas um plano de ação é construído com estimativas reais.

O acrônimo SMART (esperto em inglês) é a abreviação de 5 critérios necessários que precisam estar presentes em uma meta. São eles:

S (Specific)Especificidade:

Uma meta específica significa que você pensou nos detalhes essenciais para que o resultado seja realmente alcançado.

Quando você define uma meta genérica, como ganhar 10 mil reais por mês, não está de fato direcionando seus esforços para lugar algum, pois você pode ganhar esse dinheiro de diversas formas, pode demorar um mês para alcançar essa meta ou 30 anos.

Por isso o detalhamento mais aprofundado é tão importante. Não deixe de considerar:

  • O que exatamente (mais detalhes possíveis) você quer conquistar?
  • Onde?
  • Você precisará da ajuda de outras pessoas? Quais pessoas?
  • Existe uma alternativa para essa meta SMART que desejo alcançar que traria o mesmo grau de satisfação?
  • Quais são as suas limitações para conquistar essa meta?
  • Quais são as condições obrigatórias para conquistar essa meta?

M (Mensurable): Mensurável

Pense na sua meta. Ela pode ser mensurada em termos financeiros, de tempo ou de resultados?

Continuando no exemplo de quem deseja ganhar mais, será necessário definir:

  • Quais são os resultados mensais esperados?
  • Quanto tempo de dedicação será necessário para alcançar a meta?
  • Quanto mais evidências palpáveis e não subjetivas você definir, melhor.

A (Attainable): Alcançável

De nada adianta você construir um planejamento fantástico para uma meta que não apresenta condições realistas se ser colocada em prática.

Você pode até trabalhar com metas e objetivos maiores, mas será que está disposto(a) a pagar o preço e colocar todo o esforço necessário para tornar aquele sonho uma realidade?

Não há nada de errado em determinar metas altas, ao contrário: quando você mira bem alto, as chances de acertar algo abaixo são bem maiores do que se você já decidisse perseguir uma meta pequena.

R (Relevant): Relevante

Pense bem antes de investir tempo e dinheiro em uma meta  que não faz tanto sentido para atingir o seu objetivo principal.

No caso do planejamento estratégico, o objetivo está 100% conectado à sua definição de visão, o futuro da empresa. A visão pode e deve ser “desmembrada” em objetivos menores, que por sua vez irão impactar a criação das metas.

T (Time-related): Temporal

Se uma meta não parece urgente ou não tem uma data de entrega, ela certamente será adiada.

Então defina datas para qualquer meta SMART que você decidir realmente colocar em prática.

Se você escolhe prazos curtos demais, corre o risco de desistir por perceber que não conseguirá entregar o que se propôs na data que definiu. Ou ainda, corre o risco de criar uma situação estressante, que não existiria se você planejasse seu tempo com inteligência.

Não obedecer uma data limite pode colocar todo seu planejamento estratégico a perder.

Dentro do planejamento estratégico de um negócio, indico relacionar as metas com alguns aspectos importantes dentro do seu negócio:

  • Metas financeiras (vendas, faturamento, lucro);
  • Metas relacionadas a clientes;
  • Metas relacionadas à pessoas (contratação de profissionais qualificados, treinamento, etc)
  • Metas operacionais

Se você quer saber mais sobre Metas SMART leia o artigo “O que é uma meta SMART? Conheça uma técnica poderosa para atingir seus objetivos em 2017”

Mas lembre-se que todo esse planejamento sem definição de indicadores chave de performance não servem para muita coisa.

Você precisa entender se o que está fazendo está levando sua empresa na direção da sua visão, e não há como fazer isso sem mensurar resultados.

Por isso defina KPIs para cada estratégia que decidir implementar.

Todo planejamento estratégico só faz sentido se ele leva à ação, se serve para tirar a ideia ou o sonho do campo abstrato.

Afinal, não faz sentido algum você investir tempo em planejar suas ações apenas para guardar tudo isso em uma gaveta e deixar esquecido por lá.

O objetivo principal do uso da metodologia de meta SMART é justamente definir as ações de curto prazo que irão levar você e seu negócio rumo à visão que você imaginou.

Conclusão

Criar estratégias adaptáveis pode exigir que você abandone algumas das definições assumidas no processo de criação do seu planejamento estratégico.

Planejar por longos períodos antes de testar hipóteses não é o tipo de atitude que continua fazendo muito sentido nos dias de hoje.

Coloque seu planejamento estratégico em teste o quanto antes. Reformule suas estratégias sempre que verificar que elas não estão alcançando os resultados esperados, exatamente como é feito no ciclo de Growth Hacking.

Não caia no erro prestar mais atenção ao que indica o GPS do que aquilo que você está vendo diante de seus olhos enquanto percorre a estrada.

Resumindo, vamos recapitular as importantes etapas do planejamento estratégico do seu negócio:

1.Forças: defina de 3 a 5 qualidades que você e sua empresa já possuem e que usarão para atingir o cenário desenhado na definição da Visão.

2.Fraquezas: quais os 3 a 5 pontos cruciais para alcançar a Visão que você precisa desenvolver ou melhorar.

3. Oportunidades: identifique de 3 a 5 tendências do mercado e/ou necessidades não atendidas que podem ser muito bem aproveitadas por você.

4.Ameaças: identifique de 3 a 5 ameaças que estão fora do seu controle mas podem, de uma maneira ou outra, trazer consequências negativas para o seu negócio.

5.Missão: a razão da existência da sua empresa. O porquê você faz e para quem você faz.

6.Visão: onde você deseja chegar com seu negócio. Qual o ideal de futuro que você deseja atingir e qual impacto sua visão irá causar no mundo.

7.Prioridades: através de metas específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e com tempo estipulado, defina as prioridades do seu negócio e coloque metas para elas. Relacione ações concretas às metas definidas.

8.Indicadores de performance: quais as KPIs de controle para avaliar o impacto do planejamento estratégico?

Não esqueça que nenhum plano sobrevive ao plano de batalha e que ajustes podem e devem ser feitos para o sucesso do seu negócio.

Planos são inúteis, mas planejar é essencial -Dwight D. Eisenhower

Você deseja aprender a produzir conteúdos memoráveis 2 vezes mais rápido e com 10 vezes mais poder de viralização e vendas, mesmo que você não tenha o dom da escrita? Conheça o curso de produção de conteúdo do Viver de Blog. Clique aqui embaixo e saiba mais!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

55 Compart.
Compartilhar
Compartilhar
Twittar
WhatsApp