close

Mais Blog

Como escrever um texto épico para seu blog

Henrique Carvalho Escrito por Henrique Carvalho em 15 de janeiro de 2020
Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Como escrever um texto épico, memorável, incrível que vai atrair muito tráfego para seu blog, é algo que você gostaria de saber?

Não estou falando de um post normal, que você publica toda a semana, para manter a frequência.

São conteúdos especiais, daqueles que você criará talvez 3 ou 4 vezes no ano.

Um texto que a sua audiência não vai esquecer tão facilmente e que pode até mesmo virar um ebook de tão completo e aprofundado.

Que continua relevante com o passar do tempo.

E que é uma máquina de gerar visitas, cadastros na sua lista de emails e até vendas.

Um conteúdo tão, mas tão bom, que as pessoas vão naturalmente linkar e compartilhar.

Você gostaria de aprender como escrever um texto assim?

Então continue lendo…

Mas o que é um texto épico?

Um dos conteúdos mais acessados da história do Viver de Blog é o artigo sobre “17 Gatilhos Mentais para você dominar a arte da persuasão e alavancar suas vendas [parte I]“.

Deu para perceber que o conteúdo é tão aprofundado que precisou ser dividido em duas partes, totalizando mais de 10 mil palavras e muito conhecimento.

Porém, mais importante do que o tamanho, é a informação contida nele.

O artigo que estamos usando como exemplo é de 2015. E até hoje é extremamente atual e ranqueia em primeiro lugar no Google para o termo “Gatilhos Mentais”.

O mesmo acontece com o artigo “Exemplos de Introdução impossíveis de serem ignoradas“, que, apesar de estar em segundo lugar nas buscas orgânicas, é o conteúdo mais acessado da VDB de 2019, até mesmo na frente da nossa homepage, como você pode conferir:

E o que esses textos têm em comum?

Tudo começa com uma “única coisa”.

A única coisa

Todo texto deve girar em torno de um único conceito para gerar uma transformação poderosa.

Antes de escrever um texto você precisa definir o que deseja que o leitor faça de diferente ao final do mesmo.

A Ideia Única, ou Big Idea, deve ser:

  • Grandiosa e impactante
  • Fácil de compreender
  • Útil
  • Imediatamente convincente

Além disso, ela será guiada pelo nível de consciência do seu possível cliente, ou seja, o que ele já sabe sobre:

  • Quem é você?
  • Sobre seus próprios problemas
  • Sobre as soluções disponíveis no mercado

As respostas vão ditar o quê e como você deve conduzir a escrita.

E evitar que você escreva algo interessante, mas sem relevância para a ideia central.

Para ser único você não precisa reinventar a roda

Seu ponto de vista muda tudo.

Ao pensar em como escrever um texto épico, muitas pessoas imaginam que precisam ter uma ideia 100% original.

E vamos combinar que hoje, onde praticamente tudo já foi criado, essa é uma tarefa quase impossível.

E se posicionar de forma única é mais simples do que parece.

Basta que você traga a sua perspectiva, visão, opinião, sentimentos para o mesmo assunto.

Você é único(a) e se souber explorar o seu real diferencial, ninguém poderá realmente copiá-lo(a).

Se ainda assim, está difícil encontrar a Big Idea…

O bloqueio criativo não deu folga e você não sabe nem por onde começar, ou seja, qual ideia deve virar seu texto épico?

A ferramenta Blog Topic Generator é da Hubspot e dá sugestões de temas em formatos de títulos.

Você insere 3 termos que gostaria de escrever sobre e ele irá gerar 5 ideias que você pode usar sobre os temas.

Preparando a audiência

Antes mesmo de escrever a primeira palavra do seu texto, você precisa conhecer melhor seu público.

Se você já tem uma audiência, ainda que pequena, é muito provável que já tenha recebido comentários, sugestões e dúvidas comuns.

O que você precisa definir agora são formas de entender melhor seu público.

E se você está começando, faça pesquisas no Ubersuggest, busque outras referências sobre o assunto que vai trabalhar, encontre dúvidas comuns, ou conteúdos pouco explorados.

Você agora tem uma ideia do seu público e o que ele deseja consumir na forma de conteúdo.

Se você não estiver 100% claro sobre o que ele quer, não se preocupe.

A verdade é que nós nunca sabemos com toda certeza se o que iremos produzir será um sucesso para nossos leitores.

Inclusive, aqui mesmo no Viver de Blog nós ouvimos bastante o feedback de vocês para cada vez mais acertarmos no conteúdo produzido. É um ciclo sem fim em busca da perfeição.

Portanto, você precisa dar um passo adiante. Faça a você mesmo perguntas do tipo:

  • Que tipo de grupo de pessoas irá ler esse conteúdo?
  • Que tipo de grupo de pessoas irá compartilhar esse conteúdo?
  • Que tipo de grupo de pessoas irá amar ou odiar esse conteúdo?

Tema e público definidos é hora de partir para a pesquisa.

Pesquisa nada óbvia

Você não está escrevendo qualquer texto para seu blog.

Você está criando O texto.

Portanto, pesquisar os primeiros colocados no Google para a sua palavra-chave em questão, e fazer um compilado do que já foi escrito e publicado, não é o caminho para criar algo realmente épico.

Nem sequer para ganhar as primeiras posições no Google.

Garanto que você já deve ter procurado por alguma resposta na internet e ao entrar nos resultados mostrados teve a sensação de estar lendo a mesma coisa, ainda que entre em diferentes sites, não é mesmo?

Isso porque os conteúdos são a cópia, de uma cópia, de uma cópia.

Ao invés disso, busque por outras fontes de pesquisa, como:

  • Livros;
  • Cursos e palestras;
  • Vídeos;
  • Documentários;
  • Entrevista e conversas com pessoas da área;
  • Sua própria experiência;

Saia do óbvio se quer produzir algo grandioso.

Organize suas ideias com um mapa mental

Os mapas mentais são excelentes para você organizar suas ideias antes mesmo de escrever seu texto.

Eles permitem você começar a partir de uma ideia central e ramificá-la em várias raízes, criando uma hierarquia de assuntos.

Utilizo bastante os mapas mentais para escrever artigos de mais de 4.000 palavras ou preparar uma palestra acima de 30 minutos.

Ter uma ideia dos tópicos que você irá abordar, mesmo que através de uma simples lista irá tirar grande parte da complexidade ao escrever.

É muito mais difícil escrever um artigo do zero, do que escrever quando você tem uma boa ideia dos tópicos e subtópicos que você irá explorar nesse conteúdo.

Pessoalmente, gosto do MindMeister ou o Xmind para criar seus mapas mentais.

Comece com uma introdução bombástica

Você nunca terá uma segunda chance de causar uma primeira boa impressão.

Estudos comprovam que 79% dos leitores escaneam páginas na internet.

Ou seja… eles não lêem palavra por palavra, mas apenas aquelas que chamam sua atenção.

E para piorar, 50% dos usuários só lêem as primeiras 111 palavras de um artigo.

Isso depois de todo o trabalho que você teve para conquistar o clique através de título magnético.

E como não perder a atenção do leitor?

Iniciando com algum desses modelos de introdução:

1. Crie loops emocionais

Perguntas são uma ótima forma de captar a atenção do leitor rapidamente.

Use perguntas que provoquem sentimentos, emoções no leitor. Crie loops emocionais que precisam ser fechados futuramente, como:

“Você já sentiu isso?”

“Você já passou por essa situação?”

O próprio artigo sobre Gatilhos Mentais começa com uma pergunta?

“Você sabe o que são e para que servem os gatilhos mentais?”

2. Use o poder de conexão de histórias

Histórias, quando bem escritas, tem o poder de criar conexões em grande profundidade.

As pessoas que contam e acreditam em histórias iguais possuem valores semelhantes.

O pensamento é: poderia ser a minha história…

3. Citações de pessoas conhecidas

As citações resumem grandes conceitos em pequenas, mas poderosas palavras.

Transferem autoridade do autor(a) da citação.

4. Mostre que você vai resolver um problema

A maioria das pessoas está na internet para resolver um problema específico.

  • “Como escrever bem?”
  • “Como escrever um artigo?”
  • “Como fazer uma introdução?”

Portanto, ao começar uma introdução apresentando um problema, você logo se conecta com seu leitor.

Você transparece para ele que entende o problema dele e está ali para oferecer uma solução baseada em tudo o que você aprendeu.

5.Inclua a pitada certa de emoções

Despertar emoções funcionam não só em introduções, mas em todo o texto.

Desde que sejam as emoções certas:

  • Raiva: deixa as pessoas revoltadas, fazendo-as agir ferozmente para obterem justiça.
  • Medo: que nos leva tomar ações impulsivas, agindo muito mais com o instinto do que com a racionalidade.
  • Felicidade: essa emoção pode ser despertada em uma introdução através de palavras engraçadas, inspiradoras ou motivacionais.
  • Surpresa: dê ao leitor algo que ele não espera.

A única emoção que você deve fugir é a da tristeza, pois causa uma sensação de desperança, só fazendo seu leitor sentir-se mal por não poder fazer nada a respeito.

6. Dados e estatísticas

Sabemos que 95% dos nossas decisões são tomadas de forma inconsciente. Porém, nosso cérebro busca por informações racionais que sejam suficientes para embasar nossas ações.

Temos a tendência de acreditar em números, talvez pelo fato de serem dados objetivos, perfeitos para passar confiança.

Se você quer mais dicas para aprender e escrever introduções poderosas, leia essas duas postagens:

Feche com chave de ouro

Se o começo do seu texto tem que ser inesquecível, a [conclusão](Como fazer uma conclusão inesquecível: 7 dicas para grudar na mente dos seus leitores) precisa fechar a ideia única descrita na introdução.

Você precisa definir a sua call to action, o principal objetivo que você deseja que o leitor tome no final do artigo.

Essa call to action pode ser:

  • Comentar
  • Compartilhar
  • Cadastrar na sua lista de email
  • Clicar em um link específico

Talvez você pense que seja possível pedir para o leitor tomar todas essas decisões de uma só vez, mas essa é uma péssima ideia.

Quanto mais informações você colocar e ações você pedir, mais confuso seu leitor ficará.

Portanto, limite a sua chamada para ação em no máximo 2 objetivos.

O processo de escrita não termina por aqui.

Se você quer realmente escrever um texto especial, é na revisão que a mágica acontece.

Onde você lapida o diamante bruto e o transforma em uma verdadeira joia.

Faça a mágica acontecer na revisão

Não existem textos que nascem prontos.

Não existem ideias maravilhosas que não precisam ser lapidadas.

Não há talento ou dom que garanta uma produção textual sem erros.

O processo de revisão não é opcional, muito menos secundário.

E para fazer a revisão de textos á prova de falhas, você deve seguir esses 3 estágios obrigatórios:

1. Analisar a ideia central

Ao ler todo seu artigo, livro ou postagem no Instagram, o leitor conseguirá entender a Ideia Única que você definiu logo na primeira parte do processo?

Melhor ainda, ele será capaz de descrever a ideia do texto em uma única linha?

Nesse primeiro estágio você precisa assumir o ponto de vista de quem lê (de forma sincera) e sintetizar o que você deseja comunicar em uma única ideia.

Qual o benefício ou pequena vitória daquele texto?

Se a reposta for clara, você pode partir para o segundo estágio da revisão de textos.

2.Eliminar obstáculos com a motosserra

Hora de eliminar o excesso, especialmente os blocos de texto, as frases desnecessárias e as ideias confusas.

Comece pelo tamanho dos seus parágrafos:

  • Se tiverem mais de 3 linhas, quebre esses blocos em parágrafos menores.
  • Também procure usar listas e bullet points.
  • Destaque trechos importantes com negrito, itálico e caixa alta para chamar atenção do leitor para um ponto importante.
  • A ordem dos tópicos e subtópicos faz sentido? Pode ser melhorada?

3.Dissecar erros com o bisturi

Essa é a cereja do bolo.

Hora de dar os toques finais, refinar a sua criação.

O seu foco deve estar em:

  • Encontrar e eliminar vícios de linguagem.
  • Reescrever palavras repetidas no mesmo parágrafo se a repetição não for proposital (procure por sinônimos nesse site).
  • Trocar advérbios por metáforas.
  • Corrigir o “gerundismo” (vou estar fazer, vou estar escrevendo).
  • Abreviações.
  • Termos muito técnicos.
  • Trocar palavras longas por sinônimos mais curtos.
  • Atenção aos pleonasmos (subir para cima, ver tudo com os próprios olhos).
  • Evitar a voz passiva, já que ela enfraquece o texto.

Você percebeu que mesmo posts memoráveis seguem conceitos simples, ainda que nem sempre fáceis de aplicar?

O segredo é um só: muito treino.

Escreva sempre que puder, de preferência todos os dias.

Quanto maior a prática, mais textos memoráveis farão parte do seu catálogo.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade