close

Mais Blog

Escrita produtiva: 4 hábitos para conquistar o sucesso

Henrique Carvalho Escrito por Henrique Carvalho em 24 de junho de 2020
Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Hábito, consistência e prática são as bases de sustentação da escrita produtiva.

A qualidade do produto final importa,lógico, mas ela será garantida enquanto esses 3 tripés existirem na vida do escritor, redator, copywriter, jornalista, empreendedor digital ou qualquer outro profissional que dependa da escrita para viver.

Além dos anos de prática, alguns escritores possuem cartas na manga, ou melhor, bons hábitos,  para serem mais produtivos enquanto escrevem.

Mas, por que o hábito da escrita importa tanto, seja para a produtividade, seja para alcançar a genialidade?

Você vai entender agora:

Como o cérebro funciona

O ser humano é muito bom em identificar padrões até onde eles não existem. Quem nunca olhou para as nuvens e viu formatos de elementos conhecidos, como animais ou objetos?

Isso acontece porque nosso cérebro precisa de padrões e hábitos para funcionar.

Por isso precisamos de hábitos diários, ou perto disso, para desenvolver uma habilidade complexa, como a da escrita.

Estou falando de realmente escrever todos os dias, incluindo finais de semana, porque perder um dia pode ser aceitável, perder dois seguidos já é pedir para que o hábito seja abandonado em breve.

Como construir esse hábito diário de escrever?

Tudo começa com a escolha do ambiente dedicado somente para a escrita.

1. O ambiente do escritor

O local que você escreve deve ser exclusivo para essa finalidade. Pelo menos no mundo ideal.

Evite escrever no mesmo lugar que você assiste Netflix ou surfa na web de forma inconsciente.

Vamos supor que você resolva escrever no sofá da sala, o mesmo lugar que você usa para relaxar.

A mensagem que você passa para sua mente é que naquele local tudo é permitido. Incluindo procrastinar.

Quando você separa um local exclusivo para a escrita ou para o trabalho, automaticamente você entra no “modo escrita”.

No livro a Mágica da Arrumação, a autora Marie Kondo fala de como o ambiente afeta o corpo e a mente.

Quando você tem menos objetos na sua visão, no seu ambiente, isso traz mais clareza. Há quem acredite até que o ar de um ambiente organizado e com poucos elementos à vista, deixa a energia do local mais leve e as coisas fluem muito melhor.

Tenha só os objetos essenciais na sua mesa ou ambiente de trabalho e descarte todo o resto, principalmente se esses itens o distraem de alguma forma.

Organize seu espaço de trabalho uma única vez e tenha um lugar para cada coisa. Se você precisa reorganizar os itens toda semana ou até todo mês, algo está errado.

No meu local de escrita, eu tenho apenas 3 itens:

  • Laptop.
  • Fone de ouvido com isolamento acústico.
  • Garrafa de água.

Só o essencial para garantir que eu vou escrever com foco total e sem dar argumentos para a minha mente usar para procrastinar.

Não tenho um ambiente para escrever: e agora?

O ambiente ideal para a escrita não precisa ser um cômodo separado somente para esse fim.

Pode ser uma mesa no canto da sua sala, uma cadeira onde você só senta para escrever ou até mesmo ser um equipamento, ou acessório que você só usa para escrever, como um computador, Ipad ou caderno.

Caso você não encontre o local ideal dentro da sua própria casa, uma cafeteria ou coworking podem ser ótimas alternativas.

O ambiente da escrita deve ser defendido assim como um guerreiro espartano luta pelos seus ideais. Assim como o “horário de ouro”, o momento do dia que você vai dedicar 100% à escrita diária.

2. Horário marcado com a escrita

Escrever todos os dias no mesmo horário vai instalar o “chip da escrita” no seu cérebro, criando um padrão de sucesso que será cada vez mais fácil de repetir.

Cada um tem o seu momento melhor para escrever, de preferência quando a mente está mais ativa.

O meu é na parte da manhã, como a primeira atividade do dia, com a mente limpa e clara depois de tomar um bom café da manhã.

Se você tem uma tarefa grande pela frente, como escrever um livro, e você deixa para chegar nela somente no fim do dia, grandes são as chances da sua reserva de energia mental ter se esgotado pelo uso em outras atividades, muitas vezes nem tão importantes assim.

Realizar tarefas em blocos concentra seu foco e faz com que você produza muito mais rápido.

Quando falamos de tarefas que necessitam da imaginação, como a escrita criativa, isso se torna mais difícil, pois com o desgaste de atividades, a qualidade do texto pode cair.

3. Pesquisa e leitura diária

Quando você trabalha em um alto ritmo de escrita precisa encontrar formas de evitar o bloqueio criativo.

Estar sempre pesquisando referências novas e outros especialistas nos assuntos sobre os quais você escreve é uma ótima forma de fazer isso.

Mas procurar por outras fontes de inspiração não relacionadas a seu nicho é melhor ainda para gerar ideias realmente originais.

Não existe um escritor milionário que não seja um leitor voraz.

Mas não basta sair lendo tudo que aparece pela frente sem se preocupar com a retenção desse conhecimento.

Veja algumas dicas tanto para ler, quanto guardar o conhecimento recém adquirido na memória para sempre que precisar dele:

Leitura de ebook com apoio de um audiobook

Ao estudar com o eBook (visual) + o audiobook (auditivo) e ainda grifando partes específicas no eBook (cinestésico), você está maximizando as melhores formas de reter conhecimento.

Se você quer saber mais sobre formas de aprendizado, veja esse infográfico: “Qual Destes Estilos De Aprendizagem É O Seu? Descubra Para Nunca Mais Sofrer Estudando (Ou Produzindo) Conteúdos”.

Relembre

Relembre mental ou oralmente os pontos importantes do que você leu.

Depois, faça perguntas para você mesmo e responda com suas próprias palavras.

Por fim, grife e faça anotações após ter terminado a leitura. Faça notas sucintas e que simplifiquem os conceitos.

Hoje com o YouTube é muito fácil encontrar reviews de livros, documentários, filmes…

Além de rever o que você estudou vai ter uma nova perspectiva no assunto que talvez você não tenha notado antes.

4. Separar a escrita da revisão

O medo do julgamento e da opinião de outras pessoas é um problema para você?

Quando você deixa de finalizar, ou de fazer algo, por não acreditar que está bom o bastante para ganhar o mundo, essa busca pela perfeição passa a ser um problema. E dos grandes.

Alguns acabam entrando em um casulo e não compartilham absolutamente nada. Assim, nunca vão descobrir se suas obras são boas, medianas ou até mesmo geniais.

Se estamos o tempo todo escrevendo e julgando nossa escrita, com medo do que as pessoas vão pensar quando lerem, se o texto está bom ou ruim, se o tema é adequado ou não, estamos cometendo o pecado capital número um da escrita criativa e fluída.

Estamos interrompendo o fluxo de ideias e, por consequência, o da produtividade.

Durante o processo de escrita, existem duas partes, ambas importantes, mas que não podem existir ao mesmo tempo.

A primeira é a escrita em si; a hora de ter ideias, de criar pontos aparentemente desconexos, mas que vão surpreender sua audiência pela autenticidade e originalidade quando forem ao ar.

A segunda pate depende da parte lógica da nossa mente, que é muito boa para organizar melhor as ideias, corrigir os eventuais erros e polir o produto final da sua escrita.

Criação seguida da revisão.

Ambas precisam ser feitas em momentos, e até dias diferentes, para que sua mente não bloqueie o fluxo criativo que, com treino, irá permitir que você escreva até 8 mil palavras em um único dia.

Como se livrar da culpa por não ser produtivo

Tornar-se altamente produtivo requer muito mais do que o uso correto de técnicas e ferramentas.

A disciplina é parte importante da vida de um escritor que deseja ser bem-sucedido, mas assim como a habilidade da escrita, ela também é construída com o tempo. E enquanto você trabalha esse músculo, você vai falhar no processo.

E se sentir culpado(a) por dias não tão produtivos só irá atrasar ainda mais seu objetivo.

Primeiro de tudo é preciso definir qual o seu sonho de vida.

Para quem não sabe onde deseja chegar, qualquer caminho serve.

Além disso, é preciso construir uma base sólida, cuidando de sua saúde física, mental e espiritual antes de pensar em escrever seja mil, dois mil ou 8 mil palavras por dia.

Quando esse equilíbrio finalmente for encontrado, certamente você atingirá níveis de produtividade que nem imaginava ser capaz.

Mas claro que algumas dicas mais simples também são muito bem-vindas:

  1. Descubra quais as suas maiores distrações: redes sociais, telefonemas, emails, conversas paralelas, etc.
  2. Use essas distrações com inteligência: após um período de trabalho (que pode variar entre 60-90 minutos), faça uma pausa. E nessa pausa de 10 a 15 minutos você pode até mesmo acessar sua página no Facebook para se distrair.
  3. Que tal organizar sua semana no domingo à noite? Não tomará mais que 10 minutos do seu tempo, mas economizará bons minutos de suas manhãs.
  4. Planeje seu dia de acordo com as tarefas prioritárias e não as mais fáceis ou menores.
  5. Cuide de suas emoções e evite pessoas e pensamentos negativos.
  6. Não misture trabalho com lazer, como, por exemplo, trabalhar vendo televisão. Você não fará uma coisa nem outra.
  7. Esqueça o hábito de apagar incêndios. Não reaja somente a urgências, tenha seu dia planejado.
  8. Defina prazos menores para tarefas mais importantes: quando você limita o tempo para realizar uma atividade acaba por concentrar mais energia nela.
  9. Mantenha uma lista de tarefas. Sua cabeça não é um computador e o esforço de ter que lembrar do que precisa ser feito não compensa.
  10. Saiba a hora de descansar. Respeite os limites do seu corpo e mente

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade